Criado em 1991, o Linux é um importante componente do sistema operacional Kernel. Clique aqui e conheça suas vantagens e seus principais canais de distribuição.

Ouça o conteúdo deste post clicando no player abaixo!

Linux é um termo popularmente empregado para se referir aos sistemas operacionais que utilizam o Kernel Linux. Ele foi inspirado no sistema Minix e desenvolvido pelo programador finlandes Linus Torvalds — por isso do seu nome.

Ele é distribuído sob a licença GPLv2. Sendo assim, qualquer pessoa pode utilizar, estudar, modificar e distribuí-lo livremente

Quer saber mais sobre esse termo que faz parte da história da computação? Então, continue a leitura!

Como surgiu o Linux?

Torvalds iniciou o desenvolvimento do Kernel Linux como um projeto particular, inspirado em seu interesse no Minix, um pequeno sistema Unix desenvolvido por Andrew S. Tanenbaum. 

De acordo com o Linus, sua criação é “a better Minix than Minix”, ou seja, “um Minix melhor que um Minix”.

Ele foi anunciado pela primeira vez através do grupo de usuários do Minix em 1991 e já em 1992, Torvalds mudou sua licença própria para uma livre e compatível com a GPL, no projeto GNU. Essa transição foi, nas próprias palavras do seu criador, a melhor escolha que ele fez.

Isso porque, a partir disso, muitos desenvolvedores passaram a contribuir, e ainda contribuem, com o seu desenvolvimento, ajudando a fazer do Kernel Linux um enorme sucesso colaborativo até os dias de hoje.

Mas afinal, o que é Linux?

Trata-se de um componente do sistema operacional Kernel, responsável pela comunicação entre o hardware e o software. É ele que aloca recursos da máquina de acordo com a necessidade do software, que pode ser:

  • Abrir uma aba do navegador;
  • Ouvir música a partir do fone de ouvido;
  • Inicializar um game.

E o Kernel, o que é?

O Kernel Linux é a base para a criação das distribuições que existem por aí — e o que não faltam são diferentes sistemas criados a partir desse núcleo.

Para promover um entendimento mais claro, vamos fazer uma analogia. Quando aprendemos a dirigir um carro, vemos o funcionamento básico como direção, pedal, troca de marcha e freio. Ou seja, não atuamos diretamente no motor — mas através de comandos que fazem ele funcionar.

Quando usamos Linux, temos outro software que faz a mediação entre Kernel e o usuário, o Shell, um interpretador de comandos. Nesse sentido, existem diversos “Shells” no mercado, como:

  • CSH;
  • KSH;
  • BSH;
  • BASH.

O interessante é que eles são os mesmos, independente do Kernel em uso. Afinal de contas, os pedais e a direção são sempre iguais, seja o seu motor 1.0 ou 1.6.

Principais vantagens do Linux

As vantagens mais importantes do Linux são estabilidade, segurança e versatilidade, uma vez que o código é aberto para as modificações. Além disso, ele conta com diversas distribuições e não requer investimento para a obtenção da sua licença.

Durante muito tempo, ele foi visto pelos seus usuários como um sistema operacional difícil de utilizar — mas isso já mudou e muito.

Principalmente, pelo fato de muitas distribuições possuírem interfaces gráficas bem similares aos do Windows, que é um sistema operacional mais popular e, consequentemente, é o que os usuários têm maior familiaridade.

Quais os canais de distribuição mais utilizados no Linux?

E já que falamos em distribuições, quais seriam as mais utilizadas? Colocamos em um ranking da mais intuitiva para os usuários do Windows poderem migrar até os que são os mais “hardcores”, que aceitam uma série de linhas de comando e envolvem um certo desafio na hora da instalação.

É importante reiterar que os que iremos mostrar são apenas algumas, uma vez que existem cerca de 300 distribuições atualmente. Vamos lá!

Manjaro

Sistema operacional rápido, fácil de usar e orientado para desktop. Ele é baseado no Arch Linux, cujos principais recursos incluem processo de instalação intuitivo, detecção automática de hardware, modelo estável de lançamento contínuo e ampla capacidade de configuração da área de trabalho.

Possui, ainda, a possibilidade de customizar suas instalações através do Manjaro Architect.

Debian

É mais do que um sistema operacional livre. Ele vem com cerca de 59 mil pacotes, contendo softwares pré-compilados e empacotados em um formato para facilitar a instalação em sua máquina. 

Além disso, é um dos sistemas mais importantes, pois proporciona um ambiente mais estável e confiável.

Kali Linux

É o sistema operacional preferido dos hackers, conhecido anteriormente como BackTrack. 

Trata-se de uma distribuição composta por uma coleção de ferramentas de segurança, inclusive suporte para arquitetura ARM.

Fedora 

Distribuição desenvolvida pelo projeto que leva o mesmo nome e propriedade da gigante Red Hat — recentemente vendida para a IBM.

Possui reputação de se concentrar na inovação, integrando novas tecnologias desde o início e trabalhando em estreita colaboração com as comunidades. Sua área de trabalho padrão é o ambiente Gnome, mas outras estão disponíveis.

Podemos citar, ainda:

Exemplo de uso do Linux

O Linux é muito famoso por estar por trás de inúmeros sistemas de servidores ao redor do planeta. Podemos citar que, a maior nuvem computacional do mundo, Amazon AWS, roda Linux em seu servidor.

Além disso, serviços como Netflix e o Facebook também rodam através dele. E, se o seu celular tem Android, você também usa o Linux no dia a dia.

Principais concorrentes do Linux

Historicamente, o seu principal concorrente é o Windows. Embora essa “batalha” tenha sido travada por anos, atualmente o cenário está mudando.

Isso porque a Microsoft passou a ser uma das grandes contribuidoras para o desenvolvimento do Kernel Linux e o disponibilizou por completo na versão Windows 10, através do WSL 2.

Ainda assim, na utilização do dia a dia em desktops e notebooks, podemos dizer que os concorrentes são Windows, MacOS e Apple. 

Mais curiosidades sobre o Linux

Para que você conheça mais sobre o Linux, selecionamos mais algumas outras curiosidades sobre ele:

  • O mascote do Linux se chama Tux — um simpático pinguim;
  • Linus tinha apenas 21 anos quando criou o Kernel e, um belo dia, insatisfeito com o sistema de versionamento que ele utilizava, resolveu criar o seu próprio. Nascia, aí, o Git;
  • A maior parte do código do Linux é escrito em C puro;
  • Linux é o núcleo do sistema operacional mais utilizado por usuários finais e o culpado disso é o Android — com 1,5 bilhões de usuários no planeta;
  • Atualmente, o Linux tem mais de 13 mil programadores ao redor do mundo que contribuem para o Kernel — considerado o maior software colaborativo da história.

Se você quiser se aprofundar ainda mais sobre o assunto, assista o vídeo que os nossos parceiross do Código Fonte TV publicaram no seu canal do Youtube. 

E não se esqueça de assinar a nossa newsletter para ficar sempre por dentro dos temas que envolvem o mundo da programação!