Banco de dados para desenvolvedores: 5 cuidados essenciais

Banco de dados: 5 cuidados essenciais para desenvolvedores

Escrito por

quinta-feira, 14 de março de 2019 | Comentários

Você já deve ter ouvido falar que a propaganda é a alma do negócio. Mas, quando se trata de programação, podemos dizer que a alma do sistema é o banco de dados. Por isso, vim aqui compartilhar alguns cuidados essenciais para ajudar quem está ingressando nesta área agora.

E, para quem já trabalha com desenvolvimento há mais tempo, vale relembrar os conceitos básicos para confirmar se está fazendo tudo certo.

O que é banco de dados?

O banco de dados é onde ficam armazenados todos os dados de um site e o que contém nele pode mudar de site para site. Em um blog, por exemplo, o banco pode conter comentários e conteúdo das postagens, em uma loja virtual os dados podem ser informações de produtos, clientes e tabela de preço. Já um site institucional pode ser 100% estático e não conter um banco.

Como os dados variam de acordo com cada negócio, essas informações podem ser relacionais e não relacionais. Ou seja, os dados podem ser usados de forma combinada ou não, tudo dependerá do objetivo do site.

Agora imagine você precisar de um dado específico e ir buscá-lo em meio a um amontoado de informações. O resultado pode ser lentidão do sistema e erros indesejados. Para evitar essa situação é fundamental planejar o crescimento de qualquer site, antes mesmo de começar a desenvolvê-lo.

Mesmo que você tenha todo o cuidado com os sites que desenvolve, no dia a dia pode precisar resolver alguma situação que envolve um banco de dados bagunçado. É o caso dos sistemas legados, linguagens antigas ou mesmo pela falta de modelagem de um site que necessita de atualização. Por isso, é importante dominar os conceitos básicos de banco de dados.

Como fazer a modelagem de um banco de dados?

A modelagem é o começo de tudo (ao menos, deveria ser). Afinal de contas, é ela que orienta todo o desenvolvimento do site ou sistema. Portanto, antes de começar a escrever as primeiras linhas do código, preocupe-se em traçar um esboço de como o site ou sistema vai funcionar. E, para quem acha que vai “perder tempo” fazendo a modelagem o que ocorre é justamente o contrário. Com o banco de dados bem estruturado as informações são encontradas mais rapidamente. Portanto, o site ou sistema fica mais rápido.

Algumas termos são muito comuns à organização do banco de dados, é importante você já começar a se familiarizar com eles: os índices. A chave primária é um índice de campo obrigatório (e não pode ser nulo) que, preferencialmente, deve ser gerenciado pelo banco de dados através do atributo de auto-incremento (um contador numérico automático). Isso, porque esse campo é responsável por identificar um registro e fazer correlações com os demais campos da tabela.

A chave estrangeira é outro índice responsável pelas relações entre tabelas. Na prática, a chave estrangeira é um índice do conjunto de dados A que aponta para um outro conjunto de dados (B) através da chave primária desse conjunto (B). Um exemplo são os sites de e-commerce que no checkout precisam relacionar uma compra a um determinado produto.

Existem outros índices, como o índice único, que faz com que o banco de dados não permita armazenar informações repetidas. Como é o exemplo do cadastro do CPF de uma pessoa – esse dado não pode ser repetido pois cada pessoa possui seu número de CPF. E também existem o índice de busca, que serve exclusivamente para melhorar a velocidade da pesquisa.

Todo esse cuidado, no momento de planejar um site, será fundamental no momento de escalar o projeto. Além de que, quando a equipe de desenvolvedores começar a crescer, os profissionais recém-chegados compreenderão com mais facilidade como o banco de dados funciona.

5 cuidados que todo desenvolvedor precisa ter com o banco de dados

Os descuidos com o banco de dados podem afetar o desempenho do site, reduzir a velocidade e até colocar em risco a integridade das informações. É comum ouvir histórias que dentro de um ou dois anos o site passa a ter problemas de desempenho e o motivo é justamente por uma falha na estrutura do banco de dados.

Para evitar este tipo de problemas, listamos cincos aspectos essenciais para um bom banco de dados. Confira:

1. Segmente as informações

O banco de dados pode armazenar diversos tipos de informações, desde nome, e-mail e senha, até CPF, data de nascimento, endereço, etc. Para manter tudo organizado, o ideal é criar tabelas separadas para cada tipo de informação, como no exemplo de um e-commerce, teríamos as tabelas abaixo:

  • Tabela de Produtos: ficariam as informações dos produtos, como preço, descrição e etc
  • Tabela de Clientes: onde ficam, por exemplo, os dados do consumidor e endereço de entrega
  • Tabela de Vendas efetuadas: que seria a relação entre as duas informações acima

2. Defina os índices e relações

Seguindo o conceito de modelagem, defina o que são informações únicas, que não devem ser repetidas, como o CPF, por exemplo. Caso alguém tente se cadastrar usando um CPF já cadastrado o sistema não aceita, pois é um índice único.

Lembre também de fazer a relação entre as tabelas, onde a chave estrangeira é criada para fazer o vínculo dos dados.

3. Preserve a cronologia das informações

É relevante salvar a data em que um dado foi adicionado ao sistema ou um novo registro foi criado. O banco de dados pode fazer esse registro automaticamente, através da sua propriedade de valor padrão. Essa informação é muito útil no momento de resolver problemas.

4. Priorize a integridade dos dados

Invista na segurança das informações que estão no banco de dados. O básico é definir quem terá acesso direto ao banco de dados e o servidor e uma política de segurança, que inclua backups regulares (preferencialmente diários).

5. Defina os tipos de dados

Defina quais são as propriedades de cada informação armazenada, como por exemplo os campos de CPF e telefone, necessariamente, precisam ser caracteres numéricos. E também definir limitações de tamanho dos dados, como um nome não deve ultrapassar 200 caracteres.

 

Pra fechar, vou deixar um desafio para quem já tem algum banco de dados: identificar a origem das falhas. Muitas vezes são coisas básicas, como uma data que o sistema registra como texto ou detalhes mais avançados como uma requisição ao banco de dados mal construída.

E, para quem quer aperfeiçoar e melhorar o seu desempenho profissional, a orientação é buscar conhecimento, praticar e se dedicar ao máximo. Existem vários cursos básicos que são muito bons, principalmente para quem está começando. Inclusive, no começo não adianta investir muito em capacitações caras, pois você corre o risco de entender muito pouco. Então, recorra a fóruns de discussão e busque informações na documentação do sistema gerenciador de banco de dados, como é exemplo do MySQL.

Você quer saber mais sobre desenvolvimento de sites, linguagens de programação e outros assuntos semelhantes a este? Compartilhe conosco sobre o que você gostaria de ler aqui no blog. 😉

Tags:, , ,
Comentários
Pressione Enter para pesquisar ou ESC para fechar