Rede estruturada

10 dicas de como montar uma rede estruturada para sua empresa

Escrito por

quinta-feira, 3 de maio de 2018 | Comentários

Experimente ouvir o conteúdo do post com o player abaixo

Sua empresa está em ritmo de crescimento acelerado e você precisa estruturar melhor alguns pontos. Muito se fala da necessidade de ter uma rede estruturada para a empresa, mas do que exatamente se trata isso?

A rede é o pilar da sua empresa quando se trata da comunicação de dados. Por isso, neste post vamos abordar alguns pontos essenciais para montar uma rede estruturada bastante eficiente para a sua empresa, como foi feito aqui na HostGator Brasil para o novo escritório. Confira as ideias práticas para ser certeiro na hora de começar seu projeto.

O que é uma rede estruturada?

Uma rede compreende um conjunto de computadores ativos e cabos, que trabalham em conjunto, sincronicamente, fazendo conexões entre todos os equipamentos. Seu perfeito funcionamento é imprescindível para que não haja perda de dados. Por isso, os equipamentos precisam se comunicar internamente, tanto para compartilhar uma impressora quanto para compartilhar dados internos.

Por exemplo, para que a máquina A consiga ler, copiar e sobrescrever os dados da máquina B, elas têm de estar na mesma rede.

Como montar uma rede estruturada?

Para montar uma estrutura de rede confiável, evitando retrabalho no decorrer do tempo, é importante que você tenha atenção com os 10 pontos essenciais abaixo.

1. Infraestrutura física

É preciso conhecer bem o ambiente em que pretendemos montar a nossa rede, com a planta baixa você tem a visão geral de todo o espaço. Com ela é possível calcular o início e o fim da estrutura, medir as dimensões para a instalação de cada equipamento e avaliar quanto de material será utilizado para montar a rede estruturada.

Aqui temos a primeira etapa do projeto de rede: conhecer o espaço disponível para mensurar a quantidade de equipamentos que será necessário.

2. Pessoas utilizando a rede

Saber essa quantidade é importante para definir a capacidade que será instalada. Para tanto, é preciso projetar o headcount, ou seja, calcular o número de pessoas que vão utilizar a rede, levando em consideração a quantidade atual e a futura.

Neste ponto, o alinhamento entre as áreas de Recursos Humanos e Estratégica da empresa é fundamental para que este cálculo contemple o momento presente da empresa e sua projeção de crescimento.

Por exemplo, se hoje sua empresa tem 100 colaboradores, mas pretende contratar mais 50 futuramente, nada melhor do que trabalhar com uma reserva. Assim, construímos uma rede com capacidade de até 160 pessoas, considerando uma margem de aproximadamente 10% de capacidade instalada.

3. Insumos

As duas informações anteriores são fundamentais para que você possa calcular a quantidade de insumos, como quantos metros de cabo de rede e quantos switches serão necessários, além de quantas telas de computadores, mouses, teclados e etc. Com isso você poderá fazer um orçamento assertivo, sem comprar equipamentos a mais ou a menos.

4. Infraestrutura elétrica

Seu projeto deve contemplar também a etapa de instalação elétrica, pois é uma condição para fazer sua rede funcionar. Você deve prever uma boa instalação elétrica, com geradores exclusivos para os seus servidores, independentes do resto da empresa. Mas atenção: para a instalação elétrica preveja a contratação de uma empresa especializada. Assim, você ganha tempo e minimiza os riscos.

5. Número de servidores

Nessa etapa é preciso conhecer quais e quantas tecnologias serão gerenciadas pela sua rede. Por exemplo, vai utilizar Windows server? Sistemas Linux? Precisará de sistema de câmeras? Controle de acesso e entre outros? Assim será possível compreender se será preciso de apenas um servidor mais robusto (com capacidade para colocação de várias tecnologias dentro dele) ou mais.

6. Sistema de redundância

Todas as coisas são suscetíveis a falhas e imprevistos, não é mesmo? E neste momento não falo apenas de falhas no planejamento, mas também de fatores externos, como por exemplo uma queda de luz na região que a sua empresa está localizada.

Por isso é necessário ter um Plano B para garantir a disponibilidade de funcionamento dos equipamentos em eventuais falhas no sistema principal. Assim sua empresa e seus colaboradores poderão continuar operando normalmente. Serão nessas situações que você vai agradecer por ter um bom sistema de backup para salvar o seu dia.

Procure mapear e anotar todas os possíveis imprevistos e selecionar o plano de ação. Um exemplo é a queda de luz, sua empresa fornece atendimento 24 horas ou precisa operar em qualquer situação? Então você vai precisa de um gerador de luz pronto para ser utilizado em casos de emergência.

7. Provedor de internet dedicada

Hoje não é mais uma opção estar online ou não, então ter um provedor de internet de qualidade é necessário para garantir a estabilidade da rede e o status online da sua empresa em tempo integral. Nesse caso, vale, inclusive, considerar a possibilidade de contratar de mais de uma empresa provedora, pois aqui o backup também pode entrar em ação.

8. Monitoramento

Para um bom funcionamento da rede estruturada requer atenção ao monitoramento. Ter pessoas alocadas para esse fim é essencial para verificar constantemente os serviços e sua funcionalidade como, por exemplo, a estabilidade da rede. Caso algo sai do padrão a função do monitoramento é informar e acionar os planos de contingência, que são os planos de ação que você definiu na fase de sistemas de redundância.

O forma de monitorar mais comum se dá por sistemas instalados no setor de TI, mas pode contemplar ainda alertas por e-mail e celular, por exemplo.

9. Segurança da informação

Depois de tudo planejado para funcionar bem, agora é o momento de garantir a segurança das informações que passam pela rede estruturada. Para tanto é imprescindível que, dentre os serviços de segurança, se tenha um ótimo firewall para a aplicação de políticas de acesso e controle de consumo de banda. Além, é claro, da proteção contra vírus e ataques massivos.

Aliás, ter um antivírus para o usuário final é obrigatório, por isso instale o software escolhido de antivírus em cada computador dos seus colaboradores. E atenção: fique sempre atento aos updates, eles são indispensáveis para garantir e manter a segurança da rede da sua empresa.

10. Tempo e custo

Os nove itens anteriores são insumos para definir o prazo de execução do projeto e os custos envolvidos. Lembre-se que, definidos os prazos, é importante cumpri-los para manter a credibilidade do seu trabalho.

Em uma próxima oportunidade abordaremos questões mais técnicas sobre o centro de processamento de dados (CPD) e os servidores. Deste modo, podemos compartilhar experiências que levem a TI da sua empresa a ficar cada vez mais preparada para as inovações do mercado e as necessidades dos clientes.

Nunca pense que estará sozinho enfrentando um problema, pois tem uma equipe. Assim sua equipe nunca irá enfrentar um problema sozinho, pois terá você.

E aí na sua empresa, você já aplicou alguma dessas dicas?

Tags:, , ,
Comentários
Pressione Enter para pesquisar ou ESC para fechar