Pretende seguir a carreira na programação e está indeciso sobre qual tipo de desenvolvedor quer ser? Veja as diferenças e vantagens de cada caminho.

[ Atualizado em: 13/07/2021 ]

Sendo o mercado de trabalho para desenvolvedores bem amplo, isso possibilita você escolher áreas diversas como Back-end, Front-end e Full-Stack. São carreiras que têm muita demanda no mercado, por isso, se você deseja ingressar na área, é bom conhecer cada uma delas!

Sendo o mercado de trabalho para desenvolvedores bem amplo, isso possibilita você escolher áreas diversas como Back-end, Front-end e Full-Stack. São carreiras que têm muita demanda no mercado, por isso, se você deseja ingressar na área, é bom conhecer cada uma delas!

Dentro da área de programação existem 3 tipos de desenvolvedor que são mais comuns de se encontrar.

Cada um possui vantagens e desvantagens, além de seguir uma linguagem específica – fatores que devem ser avaliados com cautela.

Carreiras de Desenvolvedor

Ao optar pelo Front-End, é preciso saber desenvolver as telas de aplicação projetadas pelo Arquiteto e Designer. Logo, geralmente, precisa dominar HTML, CSS e JavaScript.

O desenvolvedor Back-End é quem lida diretamente com as requisições do cliente. Além de precisar ter noção de linguagem de programação, é necessário saber programar regras de negócio do sistema e gravar dados, por exemplo.

Já o desenvolvedor Full-Stack é o desenvolvedor que realiza o trabalho mais complexo. Isso porque ele faz tanto Front-End quanto Back-End. Portanto, deve ter conhecimento amplo sobre todas as tarefas realizadas pelos demais tipos de desenvolvedores.

Mas afinal, qual dos tipos de desenvolvedor se enquadra melhor no seu perfil, habilidades e atitudes?

Neste conteúdo, você vai conhecer as características de cada um, bem como suas vantagens e desvantagens. Boa leitura!

O que é Back-end?

A linguagem back-end tem como objetivo cuidar das “engrenagens” de uma aplicação na web, onde cria códigos para que o site funcione corretamente através de funções e códigos de segurança. 

Sendo assim, um desenvolvedor back-end cuida dos bastidores, a parte de trás de tudo o que acontece em um site. Isso também envolve banco de dados, segurança, processamento dos dados e outras informações importantes que serão levadas para a frente, ou seja, para o front-end! 

Um Back-end mantém tudo em segurança, pensando em como o site também irá ser rápido e funcional para os usuários.

Dessa forma, é necessário que o desenvolvedor esteja sempre atuando em conjunto com os desenvolvedores front-end para estruturar bem os projetos.

Tudo funcionará bem se as engrenagens funcionarem corretamente!

O que um desenvolvedor back-end precisa saber?

Além de ter um bom raciocínio lógico, saber ter um bom gerenciamento de problemas. Também é necessário possuir uma boa previsibilidade em problemas de forma a impedir que os projetos sejam acometidos com erros que podem acontecer de maneira constante.

Outro ponto necessário para você ser um Back-End, é saber um pouco da língua inglesa. Como sabemos, a programação foi criada basicamente em inglês. Então, é necessário compreender muitos comandos nesse idioma.

Tudo isso somado a trabalhar bem em equipe – afinal, você irá trabalhar com um time de desenvolvedores, no mínimo, ser dedicado e nunca deixar de estudar as linguagens de programação é essencial para a área de Back-end.

Quem direciona a carreira de programador para essa função, também precisa se especializar em uma ou mais linguagens, como:

Além disso, deve saber publicar aplicações – o que requer conhecimento em serviços como Azure e AWS e na criação de contêineres, como o Docker.

Se você acha que tem todos os pré-requisitos, então é uma boa área para você!

O que é Front-end?

Depois do Back-end, vem a parte da frente do site, certo? É com essa parte do site que o usuário interage. Isso porque o desenvolvedor front-end trabalha com a parte de códigos que geram a parte gráfica, como HTML, CSS e JavaScript.

O trabalho de um front-end acaba sendo confundido com um de Designer em muitos momentos, porém, o designer utiliza programas para desenhar a interface, já o front-end utiliza os códigos.

A programação front-end está diretamente conectada ao client-side. E o que é isso? O client-side na verdade são linguagens que um navegador de internet entende, ou seja, se um usuário acessa um site, ali contém informações que foram programadas para que o navegador entendesse daquela forma.

As linguagens server-side são linguagens que o Servidor entende. Ou seja, se um desenvolvedor escreve um código em um servidor, este vai processar o código e mandar para o navegador. 

No fim, o navegador gera aquela primeira linguagem: client-side.

O que um desenvolvedor front-end precisa saber?

Para ser um desenvolvedor front-end, é necessário ter as mesmas habilidades de um back-end, mas também pensar muito nas pessoas, já que você precisará trabalhar com UI e ter noções de UX e design.

A experiência do usuário é muito importante na bagagem desse profissional, afinal, todos os códigos serão produzidos pensando em como as pessoas que estão acessando o site estão interagindo com as informações ali contidas.

Um Front-End não lida diretamente com banco de dados, nem com servidores complexos de aplicação. Embora também não tenham experiência com design, algumas empresas os contratam para atuar como desenvolvedor web, ou seja, para criar sites ou blog.

  • HTML;
  • CSS;
  • JavaScript.

Além disso, o mercado para um desenvolvedor Front-End normalmente pede conhecimento em frameworks e bibliotecas, como:

  • AngularJS;
  • Bootstrap;
  • Backbone.
  • EmberJS;
  • Foundation;
  • JQuery;

O que é Full-Stack?

Como já dissemos, o desenvolvedor Full-Stack é considerado um  profissional mais completo, pois, como atua tanto com Front-End quanto com Back-End, é capaz de entregar o projeto do início ao fim.

Por ser raro encontrar programadores que realmente tenham esse conhecimento amplo, é um dos mais valorizados no mercado.

O que um desenvolvedor full-stack precisa saber?

Conhecimento técnico amplo, muita dedicação e resiliência em sua personalidade. Esse é o perfil de um desenvolvedor Full-Stack. Esse profissional é capaz de lidar com várias tarefas ao mesmo tempo relacionadas a Back-End e Front-End, participando de todas as fases de um projeto.

Além de todas os conhecimentos de Back e Front, um desenvolvedor Full-Stack também normalmente precisa conhecer linguagens como:

  • C;
  • C#;
  • C++;
  • Java;
  • PHP;
  • Ruby;
  • Python.

Quais as vantagens e desvantagens de cada tipo de desenvolvedor?

Um desenvolvedor Front-End atua principalmente com a linguagem JavaScript, o que pode ser vantajoso pelo fato de ser uma das que mais cresce no mercado.

Além de atuar com web, ele pode aprender a criar aplicações desktop e mobile, desenvolver jogos e até mesmo encarar o trabalho de Back-End.

Por estes motivos, todas as empresas precisam desse tipo de profissional – o que significa que há mercado disponível.

A desvantagem desse tipo de desenvolvedor é a necessidade criar códigos que permitam a utilização da maioria dos usuários – independente do sistema operacional e navegador, por exemplo.

Além disso, deve se preocupar em entregar a melhor experiência possível, o que requer preocupação com a otimização de arquivos como:

  1. HTML;
  2. CSS;
  3. JS;
  4. Imagens.

O desenvolvedor Back-End não precisa se preocupar com o dispositivo ou versão do navegador utilizado pelo usuário na hora de criar seu código.

Afinal, ele estará rodando em apenas uma máquina que ele mesmo pode configurar.

Uma das desvantagens de optar por essa área é que, geralmente, o profissional se especializa em apenas uma linguagem de programação, limitando os lugares onde pode trabalhar.

Se ele tem familiaridade com Java, por exemplo, dificilmente irá atuar em uma empresa que trabalha apenas com Python.

Por isso, o ideal é que o profissional se dedique a aprender outras linguagens de programação e tenha uma alta capacidade de adaptação.

Já o profissional Full-Stack se beneficia pelo fato de poder trabalhar em diversos lugares e, ainda, selecionar a vaga que oferece os maiores salários.

Em contrapartida, como precisa saber de Front e Back, deve se manter constantemente atualizado. Em meio a frequente evolução tecnológica, pode ser um desafio acompanhar.

Qual é a melhor escolha, afinal de contas?

Depende das suas habilidades e expectativas em relação à carreira de programador. É preciso avaliar as vantagens e desvantagens de cada um e encontrar aquela que oferece mais benefícios de acordo com o seu perfil.

Se você prefere criar sites visando garantir a sua usabilidade nos diferentes navegadores e tem conhecimento, mesmo que básico, sobre design, o Front-end pode ser a melhor opção.

Caso sua especialidade sejam as linguagens de programação e prefere se preocupar basicamente com a execução, se tornar um desenvolvedor Back-end parece ser o ideal.

Agora, se você é um profissional que gosta de fazer de tudo um pouco quando o assunto é programação, você tem grandes chances de se tornar um Full-Stack de sucesso.

Gostou de saber as diferenças entre os tipos de desenvolvedores?

Então acesse o nosso post sobre como é trabalhar na HostGator como desenvolvedor e veja como é a rotina dos profissionais que trabalham com a gente!

Você também pode assistir o vídeo de como é ser um Programador aqui na HostGator!

Acesse também a nossa página de oportunidades e cresça conosco como um desenvolvedor!