Investir no mercado imobiliário pode ser muito vantajoso, já que é possível fazer isso sem gastar muito dinheiro.

Ser dono de um imóvel é o sonho de muitas pessoas, não é mesmo? No entanto, para fechar o negócio de uma forma segura, é preciso saber como investir no mercado imobiliário, o que pode gerar muitas dúvidas e receios.

Você sabia que é possível ser dono de um imóvel sem necessariamente comprá-lo? Ao investir no mercado imobiliário, você se torna parcialmente proprietário de um e ainda recebe aluguel.

Isso ocorre porque esses fundos imobiliários ou imóveis são ações de shoppings centers, ou grandes prédios comerciais, que compartilham parte do lucro obtido com os acionistas. Neste post, vamos te explicar como investir no mercado imobiliário de um jeito seguro.

Investir no mercado imobiliário é um bom negócio?

Mesmo durante a crise sanitária da COVID-19, o setor imobiliário continuou registrando bons números. Segundo dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança, o volume de imóveis financiados em 2021 deve ter uma alta de 27% em relação a 2020.

Portanto, comprar imóveis é um bom investimento e traz muitas vantagens, já que o retorno é garantido, e o risco é muito baixo. Além disso, esse é o tipo de ação que traz segurança e vira uma fonte de renda para quem investe.

Para se tornar sócio de investimentos imobiliários altamente rentáveis, é necessário comprar ações na bolsa de valores. Não pense que é preciso ser muito rico para isso, pois é possível comprar um fundo imobiliário com valores a partir de R$100,00. 

Antes de saber como investir no mercado imobiliário, você precisa entender o que é renda fixa e renda variável. Ambas são tipos de investimentos, então é muito provável que você já tenha ouvido falar disso. Veja abaixo.

Renda fixa

Renda fixa são todos aqueles investimentos que você não corre nenhum risco de perder o dinheiro investido. É como se você estivesse fazendo um empréstimo para o governo ou empresas privadas e recebesse seu dinheiro de volta, com juros, depois de um prazo determinado. 

Esses juros são equivalentes aos rendimentos. Por exemplo, você investiu R$1.000,00 em um CDB e, ao final de 2 anos, obteve R$1.200,00, ou seja, a empresa pagou R$200,00 de juros, devolvendo seus R$1.000,00 integralmente. 

Renda variável

A renda variável é bem diferente da fixa, pois, neste tipo de investimento, você corre risco de não ter lucros e ainda perder o seu dinheiro investido inicialmente. Isso porque se tratam de compras de ações na bolsa de valores, incluindo os fundos imobiliários. 

Portanto, são cotas que você compra de determinada empresa e passa a ser sócio dela. Dessa forma, se você entrar em uma corretora de valores, verá que é possível comprar ações na sua empresa preferida e se tornar parcialmente dono dela também.

Fundos imobiliários

Os fundos imobiliários, também chamados de FIIs, são conjuntos de ações de empresas do setor imobiliário. Os tipos mais comuns são ações em shoppings, hotéis ou algum empreendimento residencial de grande porte, como incorporadoras. 

Essa é uma maneira de conseguir investir em imóveis que seriam muito caros para comprar por conta própria. Fracionando em cotas de fundos de investimento, você se junta a outros acionistas e compra apenas uma parte daquele empreendimento, passando a ter direito a receber dividendos. 

Se ainda tiver dúvidas sobre como investir no mercado imobiliário, você pode procurar por um site de imobiliária especializado ou por investidores, pois eles são especialistas e podem indicar o melhor caminho a seguir.

Tipos de investimentos imobiliários

Como você viu, optar por um imóvel para investimento pode ser uma ótima maneira de conseguir lucros a longo prazo. Para te ajudar, vamos te mostrar os tipos de investimentos mais comuns. Confira.

  • LCI (Letras de Crédito Imobiliário): são títulos emitidos para financiar empresas do setor imobiliário. Podem ser considerados investimento com menor risco, já que estão cobertos pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito) em até R$ 250 mil;
  • CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários): é um investimento um pouco mais arriscado porque depende do pagamento de empréstimos feitos por empresas do setor imobiliário, como incorporadoras, portanto, se a companhia levar calote, você pode não receber o seu dinheiro;
  • LH (Letras Hipotecárias): são fundos de investimento formados por créditos de hipotecas. O valor precisa ser investido por, no mínimo, seis meses.

Continue aprendendo sobre o mundo imobiliário

Entender como investir no mercado imobiliário é uma ótima oportunidade de obter lucros, empreender no setor e fazer o seu plano de negócios

Portanto, se quer aprender mais ou até trabalhar na área, no blog da HostGator, apresentamos dicas de como usar o marketing digital para corretores de imóveis.