Em nosso dia a dia, usamos diversas metodologias ágeis e ferramentas que ajudam a trazer clareza, rapidez e qualidade a entrega dos projetos. A metodologia PERT é uma delas: uma ferramenta importante para auxiliar o gestor a estimar o prazo de duração dos projetos.

Fazer com que os projetos sigam o prazo é um grande desafio para os gestores. Então não há nada melhor do que usar essa ferramenta para calcular e ter prazos de entrega mais assertivos.

Neste artigo, você vai entender o que é PERT, como ele funciona, quais são as vantagens de usá-lo e como aplicá-lo, na prática.

O que é PERT?

PERT é a sigla para Program Evaluation and Review Technique que, em tradução livre, significa Técnica de Avaliação e Revisão de Programas.

Essa técnica, muito utilizada para a gestão de projetos, foi criada pela NASA em 1958, para apontar a duração de um projeto com base em estimativas de 3 pontos.

Uma atividade ou projeto pode ter as seguintes estimativas:

  1. Otimista (O).
  2. Pessimista (P).
  3. Mais provável (MP.)

Com o apontamento dessas estimativas, é possível avaliar os riscos inerentes a cada etapa do processo a fim de minimizá-los.

A estimativa PERT é capaz de ponderar as incertezas e trazer mais segurança a qualquer projeto ou atividade quando se trata do tempo de duração.

Como funciona o método PERT?

Basicamente, a metodologia PERT serve para descobrir a duração de alguma atividade e tem como base três estimativas: otimista, pessimista e a mais provável.

A técnica PERT (Program Evaluation and Review Technique) deve fazer parte de um projeto que esteja segmentado em uma estrutura de tarefas.

É por isso que algumas variáveis precisarão ser definidas:

  1. Que lideranças participarão do projeto?
  2. Quais serão as fases de implementação do projeto?
  3. Qual será a duração estimada de cada etapa do projeto?
  4. Quem será o responsável por acompanhar o projeto?

A partir disso, é possível aplicar a metodologia considerando os parâmetros abaixo:

  • Otimista (O): é o cenário em que tudo dá certo, não há intercorrências;
  • Pessimista (P): é o cenário onde tudo dá errado e o prazo é longo;
  • Mais provável (MP): nesse cenário, não temos grandes surpresas e o projeto avança com poucos erros e mantém o controle.

Método CPM

Não podemos falar de metodologia PERT sem trazer também o método CPM (Critical Path Method), que é o Método do Caminho Crítico. Eles são utilizados juntos no gerenciamento, em projetos mais complexos e extensos.

Embora tenham sido idealizados na mesma época, são métodos diferentes que trabalham muito bem em conjunto!

O objetivo é otimizar a cadeia produtiva de um projeto e minimizar as pausas para manutenção de qualquer natureza.

Enquanto o PERT estima o tempo de duração, o CPM trabalha com a otimização desse tempo. 

O modelo CPM é um diagrama que organiza as tarefas e atividades do projeto de forma gráfica, mostrando as ligações entre cada etapa e apontando pontos em que elas são dependentes.

Dessa forma, as tarefas críticas que se sobrepõem às outras têm a atenção necessária.

Quais são as vantagens do PERT?

Entenda como essa ferramenta pode mudar a realidade dos projetos que você gerencia, trazendo melhores resultados e mais rapidez na tomada de decisão:

Estabelece um cronograma para sua equipe

Se somente a data final de um projeto fosse suficiente, não lançaríamos mão de tantas metodologias ágeis que nos ajudam a avançar em projetos complexos e extensos.

Juntos, PERT e CPM auxiliam na construção de um passo a passo com datas definidas, ordenando as informações mais importantes do projeto e estimando o tempo de forma razoável.

Isso vai manter o foco da equipe para cada etapa ser cumprida!

Previne intercorrências

Com o PERT trabalhando junto ao CPM, temos uma visão do panorama do projeto e podemos evitar os possíveis erros a cada etapa, já que o objetivo desse modelo é fornecer uma visualização total das etapas e otimizar a execução de cada uma delas.

Se forem detectados, os fatores críticos podem ser tratados previamente para que não prejudiquem o andamento do projeto em questão.

Assim, o retrabalho e gastos desnecessários serão evitados.

Elimina ociosidade e atrasos

Em geral, em um projeto, diversas etapas estão interligadas e dependem diretamente umas das outras. Quando há algum problema em alguma das etapas, é natural que etapas dependentes fiquem atrasadas.

Nesses momentos, além de atraso, há a ociosidade da equipe que assumiria o próximo passo e o acúmulo de trabalho para outra equipe. Com a técnica PERT e o modelo CPM, conseguimos facilmente evitar esses problemas e manter o projeto no cronograma estipulado.

Satisfaz clientes internos e externos

Um grande benefício da meotodologia é trazer clareza para todos os envolvidos no projeto, tanto a equipe atuante como o cliente. A equipe se sente sempre inteirada das etapas e isso aumenta o senso de responsabilidade e autonomia dela. 

Em muitos casos, os integrantes das equipes têm a oportunidade de se antecipar a eventos ocorridos durante o projeto.

Essa visualização clara também ajuda na tomada de decisão junto ao cliente, que consegue visualizar os passos de forma ampla.

Como aplicar o PERT na prática?

Agora que você entendeu o que é o PERT, como ele funciona e quais são os benefícios dele, vamos a última etapa: como aplicá-lo nos seus projetos? Para criar um diagrama PERT e CPM, você precisa seguir os seguintes passos:

Etapa 1 – Identificando as tarefas

Nessa etapa, você deve listar todas as tarefas que devem ser concluídas ao longo do projeto. Deixe as atividades mais críticas do projeto em destaque.

Etapa 2 – Calculando o tempo

Agora é hora de determinar os intervalos de tempo de cada tarefa de acordo com a metodologia.

Para cada tarefa, defina o tempo Otimista, Pessimista e Mais Provável e, em seguida, faça a análise PERT.

Após estabelecer a sequência de tarefas e encontrar a estimativa PERT de cada uma, você chega à duração do seu projeto.

Etapa 3 – Realizando a análise PERT

A análise PERT é usada para determinar se o projeto pode ou não ser concluído na duração estipulada. Veja o exemplo e entenda como calcular o diagrama de PERT CPM:

PERT = (Pessimista + 4 x Mais provável + Otimista) / 6

Como calcular?

Para calcular a estimativa PERT, vamos trabalhar com alguns PERT CPM de exemplos.

Vamos supor que a sua equipe tem um projeto a ser concluído em 20 dias. Porém, especialistas estimaram que é mais provável que leve 30 dias ou, com muitos problemas, até 35 dias. Nesse caso, temos:

Duração Otimista: 20

Duração Pessimista: 35

Duração Mais Provável: 30

PERT = (35 + 30 x 4 + 20) / 6 = 29,16

De acordo com a estimativa, o tempo de projeto será de 29 dias, porém, isso pode ter alguma variação.

Nesse caso, é importante calcular o desvio-padrão da análise PERT.

Desvio-padrão

Desvio-padrão = (Pessimista – Otimista) / 6

(35 – 20) / 6 = 2,5

Isso quer dizer que a atividade pode ser executada em 29 dias, podendo ter variação de 2 dias e meio para mais ou para menos. A técnica PERT pode ser usada para calcular projetos de qualquer porte ou até mesmo atividades menores.

Exemplos de gráficos PERT

Existem inúmeras formas de fazer um diagrama ou gráfico PERT, inclusive existe um site onde você pode fazer o seu próprio gráfico da maneira que quiser, o Visme. Com ele você cria inúmeros tipos de gráficos.

Nós criamos o nosso de Criação de Código para exemplificar!

Gostou de entender mais sobre como gerenciar o seu projeto tendo a metodologia PERT como aliada? Deixe seu comentário!