As redes sociais para médicos podem ser uma excelente forma de se destacar e construir autoridade.

A utilização de redes sociais para médicos pode ser uma boa estratégia para comercializar serviços, compartilhar assuntos de interesse geral e participar de discussões produtivas com outros profissionais.

No entanto, o receio de levar a relação médico-paciente para o ambiente virtual acaba influenciando muitos profissionais da saúde a permanecerem fora das mídias sociais, principalmente por questões de responsabilidade e privacidade.

Contudo, com práticas bem orientadas e seguindo as resoluções do Conselho Federal de Medicina, as redes sociais podem ser um excelente canal de comunicação. Neste artigo, vamos mostrar que é possível encontrar um equilíbrio entre o marketing digital para médicos e os limites inerentes à profissão. 

Por que investir em redes sociais para médicos?

No mundo, as pessoas gastam cerca 150 minutos por dia nas mídias sociais, de acordo com uma pesquisa da GlobalWebIndex. No Brasil, as coisas são um pouco diferentes. A nossa média em redes sociais é de 234 minutos. São, no mínimo, 3 horas diárias gastas na internet apenas olhando as redes. 

Além de servirem como uma ferramenta de marketing, as redes sociais para médicos podem ser usadas para networking, melhora da relação de confiança com pacientes, conscientização e até aumento da autoridade digital. 

Como utilizar as redes sociais para médicos?

Como vimos anteriormente, o uso das redes sociais para médicos ainda não é tão explorado, o que representa uma grande oportunidade para aqueles que desejam desenvolver uma estratégia de marketing médico, além de potencializar as opções de atuação. Veja algumas dicas que preparamos para te ajudar abaixo.

Crie o seu perfil profissional

Esta parece uma dica boba, mas muitos médicos não sabem quais são os melhores canais para iniciar, já que existem vários disponíveis, então, pode ser difícil escolher os que mais se encaixam com os seus objetivos.

Para construir sua presença on-line, comece com LinkedIn, Instagram e Facebook, pois concentrar seus esforços em menos canais é uma maneira de garantir que você tenha tempo para investir neles. Aqui, uma boa dica é utilizar o Linktree nas redes sociais

Utilize conteúdos visuais

Depois de criar o perfil, é hora de compartilhar conteúdo! Os conteúdos visuais, tais como imagens e vídeos, geram mais conexões e engajamento com as pessoas que apenas textos.

Assim, uma dica é privilegiar as imagens nas atualizações. Lembre-se de criar conteúdos relevantes, com imagens de bancos gratuitos ou fotografias sem direitos autorais.

Interaja com os pacientes

Não basta atualizar constantemente sua rede social, é preciso investir na interação com os pacientes. Por isso, quando fizer postagens, tente deixar questionamentos ou incentivar a interação por meio da legenda do post.

Além disso, ao receber comentários, reserve um tempo para responder às dúvidas, às sugestões e aos elogios recebidos. Isso é muito importante para criar um relacionamento com seu público, além de aumentar a conexão de suas redes.

Monitore os resultados

Sabemos que um dos maiores desafios é encontrar tempo para manter os negócios funcionando com uma rotina profissional tão longa e exaustiva. No entanto, é importante entender que o investimento nas redes sociais para médicos não pode ser algo que você faz no tempo livre!

Os resultados dependem de dedicação e publicação constante de novos conteúdos, além de interação com os seguidores e muito monitoramento. Por isso, o Google Analytics pode ser uma ótima opção para fazer a análise de métricas e dimensões em campanhas de marketing digital, como engajamento e visitas nas suas redes.

Saiba o que evitar nas redes sociais

Na internet, assim como na vida off-line, uma colocação equivocada pode levar a complicações sérias e até processos. Além do bom-senso, você precisa saber das determinações do CFM em relação aos conteúdos veiculados.

Portanto, vale consultar as resoluções nº 1.974/11 e nº 2.126/15, que explicam o que está permitido e proibido nessa área, afastando-se do sensacionalismo, da autopromoção e da concorrência desleal. Confira algumas dicas do que evitar.

  • Diagnósticos via redes sociais;
  • Imagens ou vídeos do dia a dia no trabalho;
  • Imagens ou vídeos sensíveis, ou que exponham pacientes;
  • Conteúdos com autopromoção e sensacionalismo;
  • Conteúdos sem constar dados do médico, como CRM.

No entanto, lembre-se que essas dicas não substituem a leitura das normas, disponíveis em formato digital pelo Portal do CFM (www.portal.cfm.org.br). Portanto, leia-as com atenção antes de iniciar a sua estratégia.

Invista em suas redes sociais!

Como deu para perceber, as redes sociais para médicos são um excelente canal de comunicação e construção de autoridade. Por isso, que tal continuar investindo na sua presença digital?

No blog da HostGator, você encontra um conteúdo que te ajuda a entender como o marketing em saúde pode beneficiar o seu negócio.