O retargeting pode ser uma das principais iniciativas para aumentar as taxas de conversão de seu negócio. Aprenda mais sobre o conceito e como aplicá-lo.

Também chamado de “retargeting de publicidade”, trata-se de uma técnica para alavancar o marketing web e otimizar a aquisição de novos clientes, explorando seu comportamento. 

De forma simplificada, fazer retargeting significa “trazer de volta” um usuário que visitou sua loja sem realizar uma compra ou finalizar uma ação, por meio de publicidade personalizada nas mídias subsequentes visitadas, como sites, e-mails, etc.

Em uma era em que a criação de dados aumenta exponencialmente graças a você, a nós e aos outros bilhões de usuários da internet no mundo, a exploração desses dados oferece perspectivas colossais de publicidade para os sites. Entenda melhor sobre o retargeting e as vantagens disso neste artigo!

O que é preciso saber sobre retargeting?

O principal objetivo do retargeting é possibilitar que seu anúncio seja visto, embora os cliques sejam igualmente importantes. O remarketing causa um grande volume de impressões, ou seja, uma quantidade enorme de visualizações do seu anúncio. 

Portanto, essa é uma ótima maneira de ficar presente para seus clientes em potencial, a fim de incentivá-los a revisitar seu site e concluir uma ação. Afinal, se eles viram sua página de produtos ou serviços, é sinal que já estão interessados!

Como funciona?

Ao acessar um site, o internauta é identificado e rastreado por cookies que coletam e armazenam os dados de navegação. Vamos supor que um usuário da internet saia do seu site durante uma etapa específica (abandono do carrinho, fechamento da página inicial ou do formulário de contato) e navegue em sites parceiros, consulte e-mails etc.

Neste momento, enquanto navega despretensiosamente, um banner publicitário ou um e-mail direcionado é oferecido a ele, convidando-o a continuar em seu site para finalizar as compras ou uma ação específica. Caso o internauta decida clicar no anúncio, ele é redirecionado diretamente para a landing page selecionada pelo anunciante.

Quais são as vantagens do retargeting?

Sabia que essa alavanca de promoção tem tanto ou até mais impacto que uma campanha tradicional? Com efeito, a mensagem segue uma ação concreta do internauta e é personalizada para ele. Assim, é destinada apenas a usuários da internet que já visitaram o site.

A taxa de cliques é muito mais interessante. De fato, o banner publicitário ou o e-mail proposto leva em consideração os dados comportamentais do internauta e a última ação dele em seu site. 

Quanto mais próxima a ação escolhida estiver de uma conversão, maior será a probabilidade de a mensagem interessar o internauta e convertê-lo em cliente. Portanto, a taxa de conversão, ou seja, o número de internautas que se transformam em clientes também é maior, e o retorno do investimento cresce!

Existem desvantagens nessa técnica?

A principal desvantagem é que o retargeting de anúncios potencialmente gera poucas vendas incrementais, pois visa apenas visitantes que já conhecem seu site. Ele apenas permite que você converta seus clientes potenciais em consumidores, sem adquirir novos clientes potenciais.

A outra grande desvantagem é o uso excessivo de publicidade gráfica e a agressividade percebida desse sistema. Por exemplo, ninguém gostaria que um vendedor o seguisse na rua depois de sair de uma loja para oferecer constantemente uma promoção para finalizar o pedido, certo? Na estratégia de retargeting, é isso que acontece, porém, de forma on-line!

Falha de retargeting

Quando a estratégia é usada de forma excessiva, ocorre o que chamamos falha de retargeting. Por isso, tenha cuidado com a colocação de suas tags de retargeting e com o volume de publicidade que você oferecerá aos usuários da internet. É cada vez mais provável que os visitantes esvaziem os cookies caso se sintam muito incomodados com sua publicidade.

Como iniciar uma campanha de retargeting? 

Você deseja redirecionar publicidade para seu negócio? Para isso, duas soluções estão disponíveis. Há uma primeira possibilidade, que consiste em definir uma página de saída do seu site e colocar uma etiqueta que desencadeará a visualização da sua publicidade na rede de sites da sua empresa (Adwords, Facebook, MS Advertising, etc).

Por outro lado, uma segunda possibilidade é usar o e-mail para transformar seus clientes em potencial, que iniciaram um funil de conversão sem terminá-lo, mas, ainda assim, informaram o e-mail. Essa técnica é comumente usada em comércio eletrônico, em particular para recuperar cestas abandonadas.

Quais plataformas usar no retargeting?

Existem vários tipos de plataformas possíveis:

  • retargeting por banners: serão exibidos em diversos sites e blogs que decidiram monetizar anúncios;
  • retargeting em redes sociais: banners e publicações patrocinadas serão exibidos apenas na rede social de destino ou em sua rede de parceiros;
  • e-mail de redirecionamento: bastante perigoso desde o LGPD,
  • vídeo de retargeting: especialmente utilizado em plataformas como o YouTube.

Vamos nos concentrar em banners e redes sociais em nosso artigo, já que apresentam o retorno sobre o investimento mais interessante em uma estratégia de web marketing.

Google Ads (remarketing do Adwords)

O Google Ads permite o remarketing com a rede Adsense. Assim, nos beneficiamos de todo o poder da rede do Google, que é soberana sobre as outras há anos! A grande vantagem dessa alternativa é poder contar com o Google Analytics para criar públicos de retargeting e, assim, evitar a instalação de um script adicional.

Facebook Ads

Os anúncios do Facebook podem ser rapidamente desencorajadores para um profissional de marketing iniciante: a complexidade e as dificuldades em gerar leads de qualidade podem ser uma barreira. No entanto, a maioria da população possui Facebook, em vez de outras redes sociais.

Passos para começar a realizar retargeting para sua empresa

  1. Defina orçamento e objetivos

Não é necessário ter um grande orçamento para começar com o retargeting, o que também é uma vantagem. Em vez de dar lances em palavras-chave com um CPC (custo por clique) que, muitas vezes, é superfaturado, temos como alvo pessoas específicas.

O público de retargeting é “definido”, o que nos diferencia da concorrência em termos de segmentação: necessariamente, haverá um dia em que nossos anúncios serão exibidos para o nosso público específico. Portanto, é perfeitamente possível realizar um retargeting com um orçamento baixo ou muito limitado por mês.

O limite real não é o orçamento, mas o público mínimo de retargeting, que deve ser de 1.000 visitantes por mês para a maioria das plataformas como Google Ads (Adwords). O outro pré-requisito no retargeting é definir claramente seus objetivos: trazer visitantes de volta apenas por diversão não faz sentido. Você tem que decidir e medir o objetivo.

Para tanto, considere:

  • analisar a aquisição de tráfego com indicadores, bem como a variação das buscas nas consultas de sua marca. A conversão não é uma prioridade, mas a imagem da marca que estamos tentando impulsionar;
  • definir as conversões, por exemplo, com a adição de “páginas de agradecimento”, para as quais os visitantes serão encaminhados, deixando seus dados de contato em um formulário. Essa técnica pode ser facilmente automatizada usando um software de automação de marketing. O rastreamento por página de agradecimento, em vez de script, também economiza um tempo valioso ao configurar campanhas pagas nas várias plataformas mencionadas acima,
  • amadurecer os clientes em potencial que já deixaram os detalhes. Para isso, é essencial usar um software e, assim, maximizar os pontos de contato.
  1. Escolha a(s) plataforma(s)

Uma vez feito isso, você deve decidir quais plataformas usar. Se agruparmos, existem dois tipos principais:

  • plataformas com banners, 
  • plataformas de redes sociais. 

Cada plataforma exigirá a adição de um código de rastreamento em todas as páginas web.

O Google Ads também é uma ótima maneira de simplesmente começar o retargeting: depois de instalar o Google Analytics em seu site, você só precisa vinculá-lo ao Google Ads como público-alvo e pode lançar campanhas. No Google Ads também é possível gerar anúncios “responsivos” que se adaptam a todos os formatos.

Melhores práticas para retargeting

Depois de lançadas, as campanhas podem ser aprimoradas a cada novo conteúdo e duplicadas nos diferentes canais. Então, tudo o que resta é aumentar o orçamento de acordo com a realidade de sua empresa e ajustar a segmentação:

  • varie o conteúdo e os anúncios, criando um grupo de anúncios por conteúdo;
  • crie grupos de conteúdo e segmente os anúncios de acordo com as páginas visualizadas no site. Assim, adote as mesmas táticas dos softwares de automação de marketing;
  • exclua pessoas que já visualizaram ou baixaram o conteúdo para não aparecer como spam;
  • exclua pessoas que não estão na meta de seu negócio;
  • monitore o custo de aquisição de clientes potenciais;
  • varie anúncios e frases relevantes de efeito,
  • atualize postagens de mídia social a cada dois ou três meses.

Retargeting é um elemento-chave de uma boa estratégia digital, não só em B2C como também em B2B, em que os ciclos de vendas são longos e exigirão a implementação de uma estratégia de marketing multicanal.

Concluindo, um dos principais desafios dessa prática é aumentar a transformação de seus prospects que saíram de seu site sem realizar uma compra ou uma ação esperada. Assim, você atinge o público certo no momento adequado e com anúncios relevantes!

Com este breve guia, esperamos que você possa começar a realizar retargeting e aumentar seu desempenho.

Se gostou deste conteúdo, não deixe de compartilhar! Aproveite para ler outros artigos sobre marketing, negócios e tecnologia no Blog da HostGator.