UX Design

Precisamos conversar sobre UX!

Escrito por

quarta-feira, 25 de julho de 2018 | Comentários

Você já percebeu que agora tem se falado muito em proporcionar “boas experiências”? Mais do que nunca os usuários são o foco de todo o planejamento e desenvolvimento de produtos e serviços das empresas. E por isso faço um convite para este post: vamos falar de UX?

Já falamos aqui no blog sobre algumas das abordagens do UX, mas você compreendeu a real importância dele? Antes de tudo vamos recapitular, o significado que a sigla UX quer dizer “user experience” no inglês (experiência do usuário em tradução livre). Ele é uma disciplina que envolve colocar o cliente no centro de toda a cadeia pensante e operacional de um projeto.

Se pensarmos como consumidores, nós queremos que tudo seja pensado e feito para que atenda a nossa necessidade, certo? Chega a ser frustrante quando gostamos de algo apenas do ponto de vista visceral, ou seja, pela beleza, e no final das contas não funcionar muito bem. Ou algo que funciona super bem, mas que não tem o apelo visual. Ou ainda, na pior das hipóteses, ter algo que funciona e é bonito, mas que não resolve um problema crucial. Consegue entender como o UX design se encaixa aqui?

Já no papel de um empreendedor, o desejo por um produto/serviço de grande sucesso e com uma alta rentabilidade chega a ser óbvio. Mas para que isso aconteça, toda a empresa, todo o negócio, toda ideia precisa ter como foco uma coisa: os usuários.

Para proporcionar uma boa experiência, qualquer coisa que se faça, precisa ser útil para essas pessoas, precisa ser fácil de usar e precisa ser sexy, ou seja, bonito, atraente, desejável.

É uma tarefa complicada? Nem tanto, você verá que é muito mais fácil do que se pensa. 🙂

Antes de colocar o UX Design em prática

É necessário se despir de pré-julgamentos, certos vícios e “achismos”, tais como: achar que conhece seus clientes, achar que sabe quais são os problemas que eles têm e colocar todo mundo na mesma caixa pensando que todos são iguais.

E é justamente aí que entra o UX. Onde a gente para de “achar” as coisas e vai até a fonte para encontrar as certezas que precisamos.

Em vez de achar que todo mundo tem um problema, por que não conversar com possíveis usuários ou clientes atuais? Quando for fazer uma melhoria, por que não testar se funciona antes de colocar definitivamente no ar? Se o seu produto ou serviço é feito para o público, por que você ainda não conversou com ele?

É nesse cenário que o UX Design trabalha, ele é um facilitador e traz as pessoas para o seu lado e não contra você. O UX existe para solucionar problemas.

O UX Design na prática

Dan Willis, consultor de desenvolvimento e design de produtos e responsável por trabalhar o UX no jornal The Washington Post nos anos 2000, define o UX design como um grande guarda-chuva, onde ele depende de outras disciplinas para que juntas possam proporcionar a boa experiência mais completa possível.

Guarda-chuva UX Design

Olhando cada ponto individualmente, chegamos em algumas definições:

– Pesquisa com os usuários:
Como já comentei ali em cima um pouco, conversar com as pessoas que vão usar o seu produto/serviço vai ser fundamental para entender as suas dores e motivações. É importante para validar o que você está pensando e até descobrir coisas novas que podem ser melhores que a sua ideia inicial.

– Estratégia de conteúdo:
O conteúdo que você disponibiliza precisa ser pensado de acordo com o seu público. O estilo da comunicação também influencia muito no sucesso e no fracasso de algo. Procure sempre compreender como o seu público se comunica para conversar com ele da mesma maneira (formal ou informal).

– Arquitetura de informação:
Tendo o conteúdo pronto, como você vai organizar? As informações estão agrupadas de maneira correta? Em produtos digitais, é uma disciplina fundamental para a compreensão do conteúdo, se estão organizados de forma lógica, se existe hierarquia nas informações… e por aí vai.

– Design visual:
Ter um visual moderno, adequado com o tipo de conteúdo e público, já é meio caminho andado. O visual é aquela primeira impressão que muitas vezes fica. Então, capriche no design do seu produto para que ele não seja o motivo do abandono dos usuários.

– Design de interação:
Aqui é o ponto de interação entre os usuários e o seu produto/serviço, é o momento de ver como é o comportamento deles com aquilo que você projetou. O design de interação trabalha no antes e depois de uma ação. Em produtos digitais, por exemplo, como é a interação com os elementos? Quando você clica em algo, acontece alguma coisa? É preciso pensar em todos os pontos/estados da jornada de uma ação.

– Usabilidade:
Deixei este item por último, pois ele é o conjunto de todos os itens anteriores. Isso porque cada um deles pode fazer com que um produto não seja de fácil compreensão e uso, mas com uma boa arquitetura de informação, uma boa navegação, conteúdo adequado, visual correto e atraente, a usabilidade se torna boa também.

Em resumo, a boa experiência vai acontecer quando você colocar o usuário como o principal stakeholder do seu negócio. Tendo o cliente como foco, com certeza você irá trabalhar em todos esses itens para garantir que ele seja aquele cliente fiel, que usa, adora e recomenda à todos. ❤

Antes de ir, aproveite e veja também o conteúdo com 5 dicas para melhorar a experiência do usuário no seu site.

Quer ver mais conteúdo sobre UX Design por aqui? Então comente quais são as suas dúvidas e quais tópicos desse assunto você quer aprender mais um pouco.

Tags:, , ,
Comentários
Pressione Enter para pesquisar ou ESC para fechar