O Extreme Programming (XP), é ideal para empresas que querem gerir seus projetos e levá-los adiante com qualidade e facilidade.

O Extreme Programming (XP), é ideal para empresas que querem gerir seus projetos e levá-los adiante com qualidade e facilidade.

Dentre tantas, ele também é uma metodologia ágil que ajuda na execução das atividades, além de facilitar e não sobrecarregar a equipe de desenvolvimento, trazendo um ótimo resultado e satisfação ao cliente.

O que é Extreme Programming

Códigos > Testes > Ouvir o usuário > Executar o Design

O Extreme Programming — conhecido como XP (metodologia ágil), foi criado em 1996 e ainda hoje é um dos métodos mais utilizados, pois traz rapidez!É a partir dele que conseguimos estimar a entrega de um projeto e não perdê-lo de vista. 

Isso acontece, pois o método utilizado pelo Extreme Programming, permite realizar entregas no momento em que o cliente precisa, oferecendo um sistema de qualidade, além de uma redução nos custos. A principal atividade do XP é a programação em pares. 

Quando pensamos em “XP o que é”, devemos destacar uma de suas principais características: a programação em pares, que funciona da seguinte forma, duas pessoas trabalham para desenvolver o código, uma desenvolvendo e outra observando, ambas na mesma máquina.

O objetivo é a pronta identificação de erros para corrigi-los rapidamente.

A maior destaque do XP é a modificação rápida e ele tem como pilares os seguintes valores: simplicidade, feedback, comunicação, e coragem!

Valores do Extreme Programming

  • Simplicidade: A simplicidade permeia todos os processos desenvolvidos ao longo do projeto que está dentro dos moldes do XP, dessa forma todos os testes passam a ser realizados com maior precisão.
  • Comunicação: A comunicação é um dos principais pilares para qualquer projeto, sendo assim dentro do XP, não há falta de informação entre equipe, em consequência os processo se tornam mais eficientes.
  • Feedback: Retornar informação, é isso que é o feedback. Dessa forma todos os envolvidos no projeto ficarão na mesma página e poderão seguir os processos com as correções necessárias, para que a entrega seja feita de acordo com o que o cliente deseja.
  • Coragem: O ponto mais importante para tudo saia como o planejado e de forma transparente, é que toda a equipe precisa ser verdadeira quanto ao projeto, seja sobre os resultados, prazos ou até mesmo para dizer “não” quando for pertinente.

Como o Extreme Programming XP funciona?

Com o crescimento das tecnologias, a necessidade de cada vez mais ter velocidade também aumentou e isso fez com que a Programação Extrema XP elevasse suas práticas ágeis em grandes níveis.

Isso gera um impacto positivo nas solicitações dos clientes, que acabam sendo realizadas de forma simples e rápida, levando em consideração que o XP trabalha dentro de regras, mas tem um desempenho muito eficaz. 

O Extreme Programming pode ser facilmente confundido com o SCRUM e isso se dá pelo fato dos dois serem semelhantes na questão de valores e modelo de desenvolvimento. Ambos são desenvolvidos para responder todas às duvidas de forma rápida e eficaz.

SCRUM vs Extreme Programming

SCRUM e Extreme Programming são metodologias complementares. Devido a sua natureza o SCRUM é um framework que ajuda no âmbito gerencial em qualquer projeto, seja de TI ou não. Diferentemente do SCRUM, o foco do XP está em práticas de engenharia.

Quais são as vantagens do Extreme Programming?

  • Adaptação

O extreme programming é altamente adaptável. Ao longo do processo a equipe consegue mudar o percurso e se adaptar a qualquer mudança. Por isso há uma maior abertura para a parte criativa, tanto da equipe quanto do cliente.

  • Satisfação do cliente interno e externo

O objetivo do Extreme Programming é totalmente pensado no cliente e nos resultados tornando ele uma das melhores opções. Todos os projetos desenvolvidos traz confiança tanto para o cliente como aos profissionais envolvidos, justamente por ser transparente e flexível.

Como aplicar o Extreme Programming na prática? 

Agora vamos explicar a programação extrema explicada. Existem duas formas que você consegue adotar o XP na sua organização:

Para projetos que já estão em andamento: Aqui a melhor forma é aplicar o Extreme Programming aos poucos e de forma gradual, junto ao cliente e também da equipe.

Dessa forma, pode começar com alguns valores e aos poucos utilizando também algumas práticas, assim todos os envolvidos conseguem ficar inteirados ao mesmo tempo e da mesma forma. 

Para projetos novos: No caso de um novo projeto a implantação acaba se tornando mais simples e pode ser feita desde o início do projeto, seguindo todas as  práticas do XP que iremos descrever abaixo.

Quais são as práticas do XP (Extreme Programming)?

Cliente presente: 

Como o nome do tópico mesmo já diz, o cliente precisa estar totalmente ativo e presente no processo do projeto, principalmente nos primeiros métodos para o desenvolvimento. 

Afinal, a proposta é idealizada por ele e ajustada pelos desenvolvedores. Porém, se o cliente não estiver por dentro de tudo, não há motivos para a continuidade do projeto.

Planejamento: 

O Planejamento é a parte mais importante do processo. E por causa desse fator que todos os envolvidos no projeto, gestor, cliente e a equipe, ficam alinhados sobre todos os passos que precisam ser tomados para o andamento do projeto.

No XP é de extrema importância que o planejamento seja revisto a cada semana ou no máximo duas semanas, para serem incluídas às interações e modificações que o cliente deseja. 

Stand Up Meeting: 

São pequenas reuniões, realizadas rapidamente para que todos fiquem sabendo do andamento do projeto. Aqui, a equipe ficará sabendo o que cada um está fazendo, se houve problemas no processo e dessa forma ter uma margem de finalização do projeto mais assertiva.

Programação em par ou programação extrema: 

Essa é a forma mais fácil e precisa de realizar toda a programação, pois é feita por duas pessoas em um único computador. Ou seja, o método consegue diminuir de forma significativa as falhas, já que nesse caso, enquanto um está programando o outro já está revisando o software, trazendo mais agilidade ao processo. 

Testes constantes: 

A realização de testes constantes antes da entrega do projeto, é uma parte muito importante e que precisa ser mantida com uma certa continuidade, pois é através deles que a equipe e o cliente consegue saber se todos os passos estão dando certo. 

Para isso é utilizado o TDD (Desenvolvimento Orientado a Testes). Para utilizá-lo é interessante criar unitários no início e depois o código para que o teste funcione. É importante deixar claro que todo esse processo pode parecer complicado no começo, porém ele é primordial para que tudo continue caminhando da forma correta.

Refatoração: 

O processo de refatoração é a mudança de código para análise do algoritmo e traz melhorias e facilidade na leitura, porém sem alterar as funcionalidades externas.

Padronização do código: 

Manter os código padronizados é bastante importante para o XP, pois é dessa forma que toda a equipe de desenvolvimento consegue avançar no trabalho sabendo que não terá interferências futuras e também no processo de criação.

Design simples:

O design precisa ser realmente pensado no cliente. Não adianta colocar algo bonito e chamativo e difícil de ser utilizado pelo usuário. O software precisa ser chamativo, porém simples, com funcionalidades fáceis, pois será que isso fará o cliente ter uma boa experiência e como consequência, uma boa qualidade. 

Metáfora:

Aqui está a importância da comunicação e interpretação. A equipe que irá desenvolver a aplicação do Extreme Programming precisa entender de forma sucinta o projeto que o cliente está apresentando, já que sabemos que nem sempre o cliente conseguirá traduzir tudo o que ele deseja no projeto. 

Ritmo sustentável e semana de 40 horas:

O Extreme Programming preza por um trabalho sustentável e saudável, temos o valor. Por esse motivo a equipe tem um horário de trabalho bastante flexível com 8 horas diárias e sem horas extras, para que os envolvidos não se sintam sobrecarregados e venham a perder a atenção e disposição no processo de criação.

Integração contínua: 

Todas as versões do sistema precisam ser integradas de forma contínua para que não tenha riscos de erros futuros, já que isso acontece quando o tempo para a integração acaba demorando muito. 

Releases curtos: 

O XP consegue garantir de forma rápida ao cliente o acesso ao software antes mesmo dele ficar pronto. Isso acontece pois é fornecido pequenos releases mostrando as funcionalidades oferecidas. Dessa forma o cliente não precisa esperar o término do produto, ao longo do tempo ele já consegue acompanhar as especificações do sistema. 

Conclusão

O Extreme Programming é dinâmico, flexível e dá liberdade para ser modelado da forma que o cliente quiser, trazendo rapidez, qualidade e facilidade. 

Se o que você está procurando é excelência no seu projeto, com baixa possibilidade de erros, entregas dinâmicas e rápidas, é importante seguir todas práticas do Extreme Programming para que a solução seja ainda mais eficaz. 

Gostou do conteúdo? Continue acompanhando o nosso blog para mais temas sobre tecnologia, negócios e marketing!