O Figma é uma ferramenta grátis muito utilizada pelos designers para a criação de interfaces. Entenda de maneira simples e exemplificada, como criar seus projetos!

Quem quer empreender digitalmente tem mais um estímulo a seu favor: as ferramentas gratuitas. Exemplo disso é o Figma que auxilia na criação de projetos online com foco no UI – User Interface

Portanto, não existe mais impedimento ou barreira neste sentido. Excelente, não é verdade?

Conheça os detalhes da ferramenta, veja o que é necessário para criar a sua conta e trabalhar em interfaces gráficas. É hora de dar asas à sua criatividade e imaginação.

O que é Figma?

O Figma é uma das melhores ferramentas online de UI Design, ou seja, de Interface do Usuário. Tudo pode ser feito online, pelo navegador e, de forma colaborativa – que é uma forte tendência que veio para ficar!

Mas o que é Interface do usuário? Cores, tipografia, iconografia, responsividade ou compatibilidade com diferentes versões de dispositivos. O conjunto visual daquilo que uma pessoa vê é de responsabilidade do UI Design.

Junto ao UX Design – que repensa a experiência do usuário ou a sua jornada -, combina aparência atrativas e funcionalidades úteis traduzindo e ajudando a tangibilizar novos projetos e soluções.

Para que serve Figma?

Muitos projetos nascem de novas ideias ou como uma melhoria ou inovação para o que já existe. No entanto, você há de concordar que criar algo do zero demanda tempo, dedicação e dinheiro.

E, antes de fazer grandes investimentos e apostar em algo, é altamente recomendável testar antes. E é isso que o Figma possibilita: testar e colocar à prova um novo conceito, produto ou solução com baixo investimento.

Imagine só você criar algo que ninguém quer, precisa ou deseja? Catastrófico não é mesmo? Então, reduza seus riscos e aumente suas chances de acerto.

Com o Figma você pode:

  • Lançar protótipos digitais;
  • Criar fluxos navegacionais;
  • Criar e implementar Design Systems.

Utilizando os recursos adicionais disponíveis, a padronização do design também pode ser simplificada. 

Se antes os designers dependiam somente de softwares que precisavam ser instalados no computador ou de ferramentas pagas, caras e complexas, essa realidade mudou.

Quem deve utilizar?

Desde os profissionais da área como profissionais de UI, UX e designers, até quem quer se aventurar em criar interfaces. Todos podem criar sua conta e usar o Figma, sem restrições.

Pode ser ideal para quem quer criar portfólios online e atrair novos clientes ou para quem precisa compartilhar materiais para aprovação de clientes, mas busca uma maneira mais eficiente.

É igualmente indicada para as equipes internas das empresas ou agências que necessitam criar e documentar o Design System. Dessa forma, é possível replicar o projeto facilmente por qualquer pessoa, em qualquer lugar.

6 vantagens do Figma

Quais são as vantagens do Figma?

Separamos alguns benefícios que você pode ter ao adotar essa ferramenta no seu dia a dia. Confira:

1 – É gratuito e online

Por ser sem custo, ajuda a democratizar a criação, colaboração e prototipagem de inúmeros projetos diariamente – sem a necessidade de instalar nada. 

A versão paga apresenta outras funcionalidades, entretanto, mesmo com a versão free é possível fazer muita coisa.

Os designs são salvos na nuvem e podem ser compartilhados via link, para edição em tempo real ou visualização.

2 – Oferece uma biblioteca de plugins

Embora não seja uma exclusividade do Figma, os plugins disponíveis tornam qualquer projeto muito mais elaborado. 

Esses conectores que estão prontos para serem utilizados, atribuem ao seu design outros layouts, organiza as informações ou elementos ou importa dados em outros formatos.

Entre as melhores ferramentas do Figma, estão:

3 – Tem a opção de auto-layout

Um dos desafios de quem cria um novo design, é manter a coerência entre tamanhos, proporções, escalas ou espaçamentos de cada ou entre elementos.

`Portanto, a função auto-layout faz esse ajuste para evitar as diferenças e desalinhamentos que são, muitas vezes, bem perceptíveis – prejudicando assim o padrão estético.

4 – Permite criar componentes

Componentes podem ser entendidos como um conjunto de elementos. Quando um projeto tem muitos elementos, alterar um a um se torna ineficiente. No entanto, com os componentes, qualquer mudança aplicada no componente master é replicada a todo o conjunto.

Isso se aplica, por exemplo, ao redimensionamento, alteração de fontes e espaçamentos.

5 – Disponibiliza diversas integrações

Os projetos criados podem ser integrados a outras ferramentas como: Confluence, Slack, Axure sem muita burocracia. Os desenvolvedores podem consultar a documentação específica sobre a API do Figma, para avaliar outras opções. Aliás, isso confere ainda mais autonomia para as equipes envolvidas nos projetos.

6 – Dá acesso a comunidade global

Que tal fazer parte de uma comunidade de designers? É isso mesmo! Os usuários passam a integrar uma rede mundial de profissionais e entusiastas.

A comunidade, que cresce organicamente ano a ano, é a chance de trocar experiências com outras pessoas, obter novas ideias e fazer collabs.

Como usar o Figma?

Os iniciantes devem primeiro criar a sua conta na plataforma. Todo processo é concluído em 4 passos. 

O acesso é confirmado e liberado instantaneamente. Para criar a nova conta basta entrar no site e clicar em “Sign Up”, escolher o método preferido de cadastro e preencher as demais informações básicas.

Você deve nomear um time na sequência. A intenção é distinguir times, membros e projetos para simplificar a gestão.

Os membros do seu time podem ser convidados via link ou e-mail.

Depois, indique o plano de sua preferência entre o plano “Starter” ou “Professional”. Você também pode escolher o melhor plano posteriormente – inclusive após experimentar a ferramenta.

Indique o tipo de projeto que quer iniciar: novo design do Figma ou novo quadro branco do FigJam.

Um novo projeto pode ser criado do zero ou a partir de um dos modelos disponíveis. Alguns templates são de autoria dos próprios membros da comunidade que é multidisciplinar.

Os novos usuários podem explorar também o “Figma tutorial”, que é um tour virtual pelas principais configurações, que serve como uma jornada autoguiada de aprendizado.

Principais funcionalidades

Entre as principais funcionalidades destacam-se:

  • Versionamento automático;
  • Painel de camadas e objetos;
  • Biblioteca de componentes compartilhável;
  • Botões Share e Play;
  • Flows.

Veja um resumo de cada uma delas, a seguir para já se familiarizar.

Versionamento automático

Nada de ter que ficar salvando o projeto original e as alterações. Com o versionamento automático, você tem a segurança de que está trabalhando com o projeto correto. O plano gratuito mantém o histórico de até 30 dias, em nuvem.

Painel de camadas e objetos

Os elementos do Figma são organizados em camadas, criando assim uma hierarquia. As camadas e objetos podem ser combinados, sobrepostos ou reordenados conforme necessidade.

Biblioteca de componentes compartilhável

Você pode fazer a importação de ícones e/ou criar novos objetos (formas geométricas, vetoriais, etc.) e salvá-los como novos componentes. Inclusive, sua biblioteca pessoal, que pode ser compartilhada, passará a ter componentes que podem ser aplicados em todos os designs.

Botões Share e Play

Ao clicar no botão “Share”, você pode compartilhar seu projeto para que outros membros do time colaborem. Dessa forma, as mudanças são feitas em tempo real (multiplayer) e trazem mais produtividade para a equipe.

Caso queira utilizar o Figma no modo apresentação, é só clicar no botão Play.

Flows

Os flows permitem criar mais de um fluxo de navegação. Portanto, se o seu protótipo tem vários pontos de entrada ou de interação, pode ser uma boa ordená-los para deixar esse processo mais compreensível.

Agora você conhece o Figma, o que é UI e todas as possibilidades desse incrível ambiente gráfico, aproveite para tirar suas ideias do papel, começando por dar mais vida a cada um dos seus projetos.