Tendências no mercado de e-commerce

As tendências no mercado de e-commerce

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019 | Comentários

Escrito por

Escute o conteúdo do post com o player abaixo

O comércio eletrônico vem experimentando um crescimento constante nos últimos anos. A Statista prevê que a receita global do mercado de e-commerce de varejo chegará a US$ 4,88 trilhões até 2021.

Portanto, nos próximos anos, devemos esperar um crescimento contínuo, com mais empresas entrando no mercado – o que se traduz em mais concorrência. E para as empresas que possuem um negócio de comércio eletrônico, isso significa ficar na ponta dos pés para seguir em frente.

Para isso, você precisa estar bem informado sobre as últimas tendências do mercado de e-commerce, que geralmente são resultado de avanços na tecnologia e mudanças nas preferências e no comportamento do consumidor.

A constante evolução da tecnologia e a mudança de hábitos

Sabemos que a etapa de investir na criação de uma loja virtual é importante, mas isso por si só não garante que as vendas comecem a acontecer. Apesar do mercado de compras online já está maduro e cada vez mais ganhando a confiança dos consumidores, é sempre preciso pensar em estratégias para inovar e conseguir se destacar.

Um dos motivos para ter ocorrido um aumento grande das vendas online é a rapidez com que as mudanças tecnológicas acontecem, o que impacta diretamente no hábito de consumo das pessoas.

Por exemplo, à medida que as compras feitas a partir de dispositivos móveis aumentaram de popularidade, o mercado de e-commerce começou a se adequar e criar estratégias especificamente para esse tipo de dispositivo.

As compras feitas por smartphones constituíram a maioria das vendas de comércio eletrônico em 2016, e a eMarketer estima que 72,9% das compras on-line serão feitas em um dispositivo móvel até 2021.

Outro exemplo são as parcerias das empresas de e-commerce com as plataformas de pagamento digital para tornar as compras online um processo ainda mais simples e descomplicado.

Ao oferecer opções de pagamento como PayPal, Google Pay, MasterPass no check-out, os clientes podem deixar seus cartões de crédito em suas carteiras, de modo que a compra se torna ainda mais fácil.

Reunimos 4 tendências no mercado de e-commerce para você ficar de olho em 2019 e superar sua concorrência.

1.Busca por Voz

As preferências de dispositivos não são a única coisa em transição – os métodos de busca também estão evoluindo rapidamente à medida que a tecnologia se torna mais sofisticada.

De acordo com as estatísticas da ComScore, 50% de todas as buscas nos mecanismos de pesquisas serão feitas por voz até 2020. A maioria das pessoas já utilizam os assistentes virtuais que são acionados por voz e é provável que cada vez mais pessoas comecem a comprar dispositivos que facilitam essa busca por áudio. Como é o exemplo do Google Home Hub e o Amazon Echo Show que integram voz e imagem na hora da compra.

2. Lojas responsivas

Como expliquei no início do artigo, os acessos através de smartphones estão crescendo e já garante uma fatia expressiva do mercado de e-commerce. Mas, isso não significa ter apenas um site que se adapta à tela do celular. O ideal é possuir uma estrutura pensada nesse tipo de dispositivo e em seus comportamentos.

Imagine que você reduziu o tamanho dos botões, para poder adaptá-los na tela de todos os tipos de smartphone. Porém, você não levou em consideração que alguns usuários podem ter um dedo mais largo do que outros. Resultado: alguns usuários frustrados porque não conseguem clicar no botão da sua loja.

Durante a criação de seu e-commerce, cuide para utilizar as técnicas de UX para aumentar as vendas do seu e-commerce. O universo de UX é vasto, mas separamos 3 dicas muito importantes que irão te guiar para entender o comportamento do usuário, e oferecer o que ele realmente quer.

A. Aceite os gestos de zoom de imagem

Permita que os usuários consigam dar zoom com um toque duplo na tela. Isso irá garantir que seus visitantes consigam visualizar melhor seu produto e tenham mais segurança na hora da compra.

B. Use layouts de teclado otimizados

Na hora do usuário preencher o número do cartão de crédito, o ideal é que seja exibido apenas um teclado numérico (ao invés do teclado com letras também). Dessa forma, será mais rápido e cômodo para finalizar a compra e diminuirá a possibilidade de desistência.

C. Não use carrosséis da página inicial com rotação automática

Além de pesar no desempenho do site, esse tipo de elemento não é amigável com dispositivos de toque, como os smartphones. Uma alternativa é simplesmente exibir os “slides” mais importantes como conteúdo estático na página inicial, o que irá aumentar a chance de seu visitante realmente ver todas as imagens.

3. Mais conteúdo em vídeo

O conteúdo em vídeo está em alta, não apenas pelo tipo de comunicação, mas também pelo forte poder de engajamento que ele possui.

Vender online pode causar diversas dúvidas para o cliente, como: Qual o tamanho real deste produto? Será que irá servir em mim? Como ele realmente funciona? Todas essas dúvidas podem ser respondidas com um vídeo explicativo.

Isso pode ser estendido para outras plataformas, como o Instagram, e utilizar alguns influenciadores para ajudar a divulgar sua marca.

4. Machine Learning

Talvez você esteja com a impressão de que toda empresa de tecnologia só está falando de coisas com “big data”, “inteligência artificial” e “machine learning”. Bem, você não está errado. O negócio é que os e-commerces têm muitos dados ao seu alcance, mas ainda estão aprendendo a melhor forma de utilizá-los.

O machine learning é um método de inteligência artificial em que sistemas podem aprender com dados, identificar padrões e tomar decisões com o mínimo de intervenção humana.

Escolher a aplicação do machine learning tende a ser uma decisão de prioridades. Claro, você poderia usar o machine learning para fazer muitas coisas, mas o que causaria o maior impacto no seu e-commerce?

Veja algumas aplicações poderosas da tecnologia de machine learning para o mercado de e-commerce:

A. Personalização e segmentação

Na compra física quando os consumidores têm dúvidas há um vendedor que fornece as informações certas para aproximá-los da compra. No digital, temos dificuldade em fornecer a mesma experiência personalizada. É aqui que o machine learning entra em ação. A tecnologia possibilita experiências otimizadas que impulsionam as vendas e aumentam a receita.

Um exemplo disso é a Fit Finder, um sistema que utiliza de machine learning para encontrar quais as melhores opções de roupas para um determinado cliente. O sistema cruza informações de milhões de usuários cadastrados no banco de dados e identifica quais peças irão ter uma aceitação maior para um determinado cliente.

B. Otimização de preços

O preço sempre será um fator importante na hora da compra, mas o preço online é ainda mais importante. Atualmente é mais fácil do que nunca comparar preços de um concorrente com outro e assim escolher onde deve investir. Então ter preços dinâmicos no seu e-commerce é uma estratégia que poderá aumentar significativamente as vendas.

A tecnologia de machine learning pode ajustar automaticamente os preços de acordo com algumas variáveis, desde preços, demanda, hora do dia, até o tipo de cliente.

Quer saber mais sobre e-commerce? Então continue seguindo o nosso blog e compartilhe suas dúvidas conosco.

Tags:,
Comentários
Pressione Enter para pesquisar ou ESC para fechar