Para verificar se um site é seguro, é necessário adotar algumas medidas de precaução. Confira o passo a passo e navegue de forma segura na internet.

Ouça o conteúdo deste post clicando no player abaixo!

O número de ataques cibernéticos tem aumentado exponencialmente todos os anos. Só o Brasil é o segundo país com maior número de invasões do mundo. O grande volume de informações trocadas no ambiente digital, incluindo dados pessoais e bancários de pessoas e empresas é o maior atrativo para cybercriminosos tentarem fraudar sistemas.

Até mesmo o advento da pandemia aumentou a vulnerabilidade dos sites porque o fluxo de pessoas e as transações na internet aumentaram neste período.  Um estudo mostrou que as próprias notícias sobre o novo coronavírus estavam sendo usadas de isca para invasão de redes domésticas com o objetivo de roubar dados sensíveis dos usuários.

A verdade é que a internet pode ser um ambiente tão inseguro quanto uma rua escura de madrugada e precisamos estar sempre atentos aos links que clicamos e páginas que inserimos nossas informações.

Separamos aqui algumas dicas para te ajudar a identificar se um site é seguro ou não. Confira:

Tenha um antivírus instalado

Por mais óbvia que esta dica pareça, um antivírus é essencial manter a segurança dos seus dados. Atualmente existe uma infinidade de softwares contra malwares baratinhos e alguns até gratuitos para proteger o seu equipamento.

O antivírus age como uma espécie de guardião do seu disco rígido, logo, se você acabar fazendo download de algum arquivo suspeito ele será o responsável por verificar o conteúdo e avisá-lo de que algo suspeito foi detectado.

Apesar disso, você ainda terá a opção de baixar se desejar, deixando seu computador exposto de qualquer forma.

HTTPS

Com o aumento de crimes cibernéticos, as próprias servidoras de hospedagem e até mesmo o Google estão tomando medidas para tornar a internet um ambiente mais seguro.

Desenvolvedores de sistemas criaram um protocolo de segurança chamado HTTPS que você com certeza já deve ter visto em algum lugar do seu navegador. Esse protocolo tem como principal função criptografar os dados que os usuários inserem em formulários como preenchimento de dados de cartão de crédito, por exemplo.

O HTTPS embaralha as informações e somente quem possui a chave de segurança é capaz de decodificar a mensagem. Ou seja, com o protocolo HTTPS somente o servidor (site que você está comprando) e você mesmo podem ver essas informações.

Para saber se um site possui criptografia basta olhar na barra de pesquisa do lado esquerdo da URL: se houver um ícone de cadeado, o site é seguro.

Certificado SSL

Principalmente para sites de compras, o certificado SSL (Secure Sockets Layer) é fundamental para garantir a segurança das transações ali realizadas. Essa certificação é usada por milhares de empresas ao redor do mundo e é uma das mais confiáveis.

Por isso, o certificado SSL tem um papel decisivo quando falamos de um site seguro. Para saber mais sobre o certificado SSL e como colocar seu site seguro no ar, assista agora à Maratona HostGator Academy Tudo Sobre Hospedagem de Sites:

O SSL é mais um reforço de que o site que você está acessando, pois assim como o protocolo HTTPS, ele é responsável por criptografar especificamente dados sensíveis usados para compras online.

O SSL é um item de segurança obrigatório para todo site que deseja oferecer compra e venda de produtos pela internet.

Para identificar se um site é seguro e possui o SSL basta olhar na barra inferior da página, geralmente próximo aos métodos de pagamento onde estão os ícones das bandeiras de cartão aceitas, por exemplo.

Pesquisa

Principalmente se é um site do qual você nunca ouviu falar ou está fazendo a primeira compra. Pesquisa nunca é demais. Jogue o nome da empresa no Google e veja se ela possui um perfil na plataforma e se há comentários de outros clientes.

Outra ferramenta excelente para verificar se um site é seguro é Reclame Aqui. Existem centenas de denúncias no site sobre fraudes ou tentativas que você pode verificar antes de efetuar a compra.

As redes sociais também contam com diversos fóruns e grupos do Facebook que denunciam empresas fraudulentas que tentam aplicar golpes pela internet. Somente pesquisar o nome da empresa nas redes sociais também já pode trazer um bom panorama de sua reputação.

Alguns dados que você deve confirmar tanto no Google, quanto no site da própria empresa são:

  • Endereço;
  • Números de contato;
  • Perfil nas redes sociais;
  • Comentários no Google,
  • Comentários em marketplaces como Americanas, Mercado Livre etc. 

Principais fraudes em sites inseguros 

Cybercriminosos estão desenvolvendo técnicas cada vez mais sofisticadas para roubar informações sensíveis dos clientes. Apesar de nunca sabermos quando um novo método aparecerá, é possível identificar alguns sinais de alerta em sites inseguros.

Existem algumas características bem típicas de falhas de segurança, principalmente quando se trata de tentativas de fraudes.

Veja agora alguns dos exemplos mais comuns e aprenda a identificar rapidamente quando um site não seguro para não cair em roubada.

Clones

Uma das principais fraudes aplicadas hoje em dia se dão através de falsos sites de compra. Essas páginas geralmente levam o nome de uma empresa já conhecida no mercado e copia todas as informações do site original.

É uma fraude perigosa que engana muito bem à primeira vista já que a aparência é idêntica a de sites renomados que por vezes você já até tenha utilizado alguma vez.

Sim, cybercriminosos desenvolveram métodos sofisticados para fraudar usuários desprevenidos e recebem o valor do boleto direto em uma conta do banco, porém os produtos comprados nunca chegam.

Existem duas formas de descobrir se o e-mail ou site que você acessou são confiáveis: a primeira questão a se observar é a URL do site. Páginas feitas com o objetivo de aplicar golpes, geralmente apresentam alguma letra ou símbolo estranho na URL.

Muitas vezes é quase imperceptível, trocam um ou outro caractere do nome original da loja, por isso é necessário prestar bastante atenção. Outra coisa a se observar é o rodapé do site, além do certificado SSL que já falamos, informações sobre CNPJ, endereço e e-mail de contato devem ser encontradas ali.

Mesmo se tratando de um clone, muitas vezes, são nesses detalhes que conseguimos detectar que há alguma coisa errada.

E-mail

A forma mais fácil de acabar em um site não seguro ou ter seus dados bloqueados por algum vírus é através do e-mail. A ferramenta continua sendo uma porta de entrada para criminosos roubarem dados principalmente de empresas através dos e-mails corporativos e funcionários desavisados.

Com uma comunicação visual aparentemente confiável, o usuário recebe uma mensagem eletrônica com alguma oferta atraente ou um “aviso importante” do banco solicitando que ele atualize suas informações da conta.

Esses avisos geralmente vêm com um tom de ameaça como “sua conta está em risco” ou “sua conta será desativada”, nada mais do que gatilhos para desesperar o usuário e fazer com que ele tome medidas rápidas sem analisar muito bem o conteúdo.

O visual do e-mail é feito para fazer com que você acredite que aquele site é seguro. Possui a logomarca e todas as características para fazer o usuário acreditar que aquele conteúdo é legítimo.

Uma vez clicando no link da oferta ou do aviso, você é redirecionado a um site falso para efetuar a compra, inserindo os dados do seu cartão de crédito ou gerando um boleto.

Em caso de sites clones de bancos, você acaba inserindo as mesmas informações com senhas, desta forma, os criminosos têm total acesso às contas bancárias das vítimas.

Para identificar rapidamente essas mensagens fraudulentas, a primeira coisa a se fazer é olhar o endereço do destinatário. Geralmente, a extensão que vem após o @ é uma combinação estranha de caracteres.

Caso tenha recebido o link por e-mail, A qualquer sinal que o conteúdo é uma tentativa de fraude, não abra nenhum link e marque a mensagem como Phinishing.

Banners

Um outro recurso muito utilizado para aplicar golpes na internet são os banners, as famosas propagandas que ficam saltando na sua tela o tempo todo pode ser na verdade uma tentativa de fraude.

Desconfie de banners muito chamativos com ofertas milagrosas demais. As também chamadas Redes de Display, geralmente, mostram produtos que você andou pesquisando ultimamente no seu navegador.

Caso você não tenha autorizado os Cookies do site ou tenha feito as pesquisas por janela anônima, essas publicidades são reduzidas consideravelmente.

Por este motivo, se receber banners dentro dessas condições, ou de produtos que você nunca pesquisou anteriormente: desconfie!

Google Shopping

Uma extensão dos sites clones, aqui os criminosos estão usando esta ferramenta do Google para anunciar produtos com valor atraente e fazer com que o usuário clique no anúncio.

Infelizmente não tem muito como prevermos se aquele site é seguro ou não até entrarmos na página de fato. A dica aqui é seguir as mesmas recomendações caso não conheça aquela empresa.

Fazer as pesquisas nas redes sociais e na plataforma Reclame Aqui é um bom começo, bem como verificar as informações de contato, CNPJ e endereço físico.

Como vimos, as principais formas de cometer crimes na internet estão relacionadas a sites de compras e usando gatilhos como promoções e valores muito atrativos para os usuários.

Sabemos que na internet nunca estamos em ambientes 100% seguros, mas seguindo essas dicas com certeza você reduzirá os riscos que sofrer algum tipo de fraude online. Fique atento!

Assine a nossa newsletter. Receba conteúdos como este no seu e-mail 🙂