SEO On-page: o que é e 7 dicas de otimizações

SEO On-page: o que é + 7 dicas de otimizações para aplicar em seu site

segunda-feira, 23 de setembro de 2019 | Comentários

Escrito por

Escute o conteúdo do post com o player:


SEO On-page são otimizações nos conteúdos das páginas de um site, como title, meta description, imagens e o próprio texto.

Essas otimizações enviam fortes sinais aos mecanismos de pesquisa, pois estão ligadas ao conteúdo que o visitante encontra no site. Assim podem garantir páginas totalmente preparadas para um bom posicionamento orgânico.

Anteriormente falei aqui sobre SEO Técnico, que é o alicerce de uma estratégia de SEO Holístico. Dessa vez vou apresentar os conceitos de SEO On-page, portanto, vamos nos aprofundar um pouco mais.

O que você vai encontrar no conteúdo:

  1. O que é SEO On-page?
  2. Como melhorar o On-page do seu site
  3. 7 elementos-chave para melhorar o SEO On-page
  4. Dicas finais

O que é SEO On-page?

São otimizações aplicadas nas páginas de um site, como title, meta description, imagens e conteúdo. Essas melhorias enviam fortes sinais de um conteúdo relevante e de qualidade aos mecanismos de pesquisa, como o Google.

De forma simples, é encontrar as melhores oportunidades dentro do site que possuam potencial de alavancar os resultados orgânicos.

Em uma página existem certos elementos com potencial de enviar ao Google fortes sinais de ranqueamento. Quando pensamos em uma otimização de SEO, naturalmente vem a mente melhorar títulos, otimizar o conteúdo ou tentar enriquecê-las com elementos de mídia.

Boa parte dessas táticas são On-page!

O Google valoriza muito a experiência do usuário, que envolve desde o momento da busca até o consumo do conteúdo dentro do site. Ter um conteúdo relevante e que proporcione boas chances de rank é o mínimo quando pensamos de forma estratégica.

Como melhorar o On-page do seu site

Existem muitas oportunidades de otimizar uma página para um bom posicionamento no Google, vai depender muito da performance atual dela, qual seu rank e momento da sua estratégia.

Por exemplo, boas práticas no uso das palavras-chave são otimizações On-page. Posicionando-as estrategicamente no Título, fazendo uso de LSI para evitar excesso e a encaixando bem na experiência de leitura.

7 elementos-chave para melhorar o SEO On-page da sua página

Mas no geral, existem os elementos-chave que você deve dedicar sua atenção em cada página. Vamos falar de cada um deles:

1. Tag Title

A Tag Title, inserida no cabeçalho da página, auxilia os mecanismos de pesquisa a exibirem nos resultados um título que represente o conteúdo.

Um dos elementos mais importantes em On-page, o título da página tem grande peso nas estratégias e podem elevar a taxa de cliques e entradas no site.

Trata-se de uma marcação HTML visível apenas no código, que é exibida na página de resultados de buscas:

Title na SERP do Google
É exibido em média 65 caracteres, portanto o ideal é ser conciso e certeiro na mensagem. Minha dica é tentar ficar em 55 caracteres, garantindo a exibição total em mobile e desktop.

Procure também utilizar a palavra-chave principal e suas variações, mas de forma natural e não forçando com uso de vírgulas, por exemplo.

Dicas para otimizar a tag Title:

  • Utilize a palavra-chave principal, de preferência próxima ao lado esquerdo. Isso vai ajudar o leitor (usuário) a entender e relacionar seu resultado com o termo buscado;
  • Crie um título de acordo com o conteúdo da página;
  • Não repita o título entre suas páginas;
  • Teste sua persuasão e call-to-actions: “Comece hoje”, “Baixe agora”, “melhor”, atraindo mais a atenção do usuário;
  • Não se prenda a utilizar o mesmo título do conteúdo.

2. Heading tags

As heading tags são os títulos e subtítulos das nossas páginas, organizados dentro de uma hierarquia lógica para leitura. Eles vão do h1 até o h6, da maior até a menor importância respectivamente.

O h1 normalmente fica reservado ao título da página e utilizado apenas uma vez. Apesar disso não ser uma regra, é razoável ter apenas um título principal. Isso também auxilia semanticamente nossa página e código por trás dela.

Reserve o h1 para sua palavra-chave principal e tente criar algo de valor nesse espaço, deixando claro do que se trata o conteúdo. Objetivo é muito semelhante à Tag Title vista anteriormente. A diferença é que aqui não há um limite de caracteres.

Como exemplo, temos o h1 deste post:

“SEO On-page: o que é + 7 dicas de otimizações para aplicar em seu site”.

Algumas características interessantes:

  • Não utilizei o mesmo conteúdo da Tag Title;
  • Utilizei a palavra-chave principal mais à esquerda;
  • Complementei com um modificador de efeito: “aplicar em seu site”.

Consegui certa consistência entre o h1 e o title, porém nem sempre é possível, e isso não é ruim, pois nos fornece espaço para testar coisas diferentes.

3. Meta-description

A meta-description, assim como o title, é uma marcação HTML visível apenas no código e nos resultados de pesquisa. Ela é conhecida por não ser um fator de ranqueamento, porém tem grande potencial para as páginas.

Meta description nos resultados de pesquisa do Google
A meta-descrição é um complemento ao title que nos fornece mais espaço para produzir argumentos que façam o usuário clicar em nosso link. Consequentemente isso elevaria a taxa de cliques, levando mais usuários ao site.

O Google exibe no resultados em média até 160 caracteres, dessa forma temos um espaço um pouco maior que o title e que também deve ser bem aproveitado.

Algumas dicas para criar sua meta-description:

  • Use variações da palavra-chave principal;
  • Reforce a mensagem principal (do title);
  • Faça uso dos 4 P’s de Marketing (Produto, Preço, Praça e Promoção), principalmente se for e-commerce;
  • Use call-to-actions para atrair o clique.

Por último, é importante lembrar que o Google pode ou não exibir a conteúdo definido na meta-description. Caso ele entenda que algum conteúdo da página seja mais relevante que a description, ele exibe de acordo com a intenção de busca.

4. Palavras-chave

Conteúdo de qualidade não é novidade em SEO e o uso correto de palavras-chave no processo de produção é muito importante.

Depois de definir a palavra-chave foco, posicione ela de forma estratégica dentro do conteúdo. Utilize-a no h1, sempre no início, buscando gerar valor para quem entra na página.

Utilize palavras LSI (Latent Semantic Indexing), que são palavras que transmitem o mesmo significado e relacionadas ao assunto principal. Dessa forma você pode variar bem o conteúdo e não fica restrito a uma palavra, evitando uso excessivo e repetitivo.

Tente encaixar a palavra-chave foco logo no início do texto. Dê preferência ao primeiro ou segundo parágrafo para posicioná-la.

E uma última dica é simples: escreva para humanos. Toda técnica e tática é fundamental para um bom conteúdo, porém a experiência do usuário vale mais.

O texto da sua página deve entregar um valor real para quem lê. Garanta que as respostas sejam claras, sem forçar palavras e sem conteúdo raso.

5. Conteúdo rico: vídeo, imagens, gráficos

Conteúdo não se resume a texto, muito pelo contrário, o texto é apenas um tipo. Vídeos, imagens, gráficos, infográficos, ebooks, todos são tipos de conteúdo.

Complemente sua página com mídias que agreguem valor ao texto. Isso abre possibilidades para que seu conteúdo seja alcançado não só pela busca tradicional, mas também pelas verticais de imagens e vídeos.

Procure utilizar elementos dentro do contexto da página. Para um e-commerce de sapatos faz total sentido agregarem valor com vídeos, além das imagens. Já para uma site de serviços de instalação de portões que produz conteúdos educativos a seu público, faz sentido que use fotos reais dos trabalhos realizados.

Aqui vão algumas dicas para uso de imagens, vídeos e elementos em uma otimização On-page:

  1. Crie valor através da intenção de busca
    Antes de criar o conteúdo analise a página de resultados de busca para a palavra-chave foco. Repare se ela retorna imagens, vídeos, PDFs. Use isso como guia para tornar seu conteúdo melhor que os rankeados.
  2. Vídeos de reviews ou produtos
    Se existe a possibilidade de investir em vídeos, vale a pena aplicar alguns testes. Dependendendo do seu nicho, vídeos podem ajudar muito na conversão e retenção de usuários na página.
  3. Gráficos para provar dados
    Quando utilizar dados de alguma pesquisa, além de citar a fonte, procure ilustrar com gráficos suas informações. Você mesmo pode criar gráficos ou utilizar a fonte original.
  4. Imagens sempre são bem-vindas
    • Nomeie a imagem de acordo com a mensagem que ela transmite. Utilize hífens para separar as palavras;
    • Sempre defina texto alternativo (alt text), é de grande importância para os bots entenderem do que se trata a imagem;
    • Atenção ao peso dos arquivos. Use compressão ou CDNs para distribuir suas imagens, dessa forma reduz o impacto na performance do site;
    • Use imagens dentro de um contexto. Se o primeiro parágrafo é sobre a imagem anexada, por que colocá-la no fim da página? Use-a próxima ao texto que faz referência a ela, isso também auxilia o Google a entender a mensagem da imagem.

Os links internos facilitam a descoberta de novas páginas, tanto para o usuário quanto para os bots de motores de buscas.

São extremamente úteis para incentivarem o consumo de outras páginas e aprofundarem a navegação de uma propriedade. Também auxiliam na distribuição da força das páginas de forma mais estratégica entre todo o site.

Aplique links bem situados pelo seu conteúdo e que façam sentido, evite usar links descontextualizados.

A internet é um grande mundo conectado através de links, leve esse pensamento para dentro do seu site. É um dos princípios da rede e a navegação através dela.

7. URLs amigáveis

Por fim e não menos importante, forneça URLs fáceis de ler e memorizar pelos usuários e ótimas para os mecanismos de busca.

O que é mais fácil de ler e entender?

  1. seusite.com.br/?ca=134&p=17
  2. seusite.com.br/nome-produto

Sem dúvidas a opção 2 é muito mais fácil de ler, compreender e ainda abrir possibilidade de memorização por parte do usuário. E para os bots podemos considerar as mesmas características.

Se faz uso de CMS, como WordPress, é muito simples configurar URLs amigáveis. Se possui uma loja virtual, a maioria das plataformas também oferece esse recurso. Caso possua um sistema sob demanda, procure seu desenvolvedor o quanto antes para ajustar suas URLs.

  • Indique sempre o assunto da página na URL, facilitando a compreensão;
  • Use a palavra-chave na URL;
  • Evite caracteres especiais, como demonstrado na opção 1 do exemplo acima;
  • Seja conciso e tente usar URLs curtas;
  • Prefira hífen ao invés de outros recursos, como underline;
  • Caso use WordPress, é muito comum adicionar datas nas URLs de posts. Também evite essa prática, pode te ajudar ao escalar seu site com o tempo.

Pensando em modificar suas URLs ou ajustá-las com as dicas acima? Não esqueça de garantir os devidos redirecionamentos para evitar problemas com perda de indexação 🙂

Dicas finais

Faça uma lista (planilha) das páginas do seu site e crie um checklist com tarefas On-page necessárias em cada uma delas. Isso vai te ajudar a controlar o que foi aplicado e o que falta.

Existem diversas ferramentas de SEO que auxiliam na identificação de oportunidades em SEO On-page. Vale a pena fazer uma busca para encontrar a que se encaixa melhor para seu projeto.

E como costumo reforçar em meus posts, teste tudo. Alguns elementos podem performar melhor em determinados grupos de páginas do que no restante do site. Importante é encontrar o melhor caminho para cada página.

Gostou da leitura? Compartilhe o conteúdo e, se tiver dúvidas, mande aqui que respondemos!

Tags:
Comentários
Pressione Enter para pesquisar ou ESC para fechar