Tudo sobre Hospedagem de sites

Calendário23/04/2020 - Atualizado em 06/07/2020

introdução a hospedagem de sites

O que é Hospedagem de Sites?

Entender o conceito e o funcionamento da hospedagem de site é fundamental para qualquer pessoa que deseja marcar presença no ambiente digital. É importante conhecer os tipos de hospedagem disponíveis, as vantagens para cada perfil de usuário e saber estruturar uma página ágil e eficiente na web.

Além da hospedagem, aqui você vai conhecer as diversas ferramentas que ajudam a gerenciar o conteúdo de um site na internet e, principalmente, as boas práticas que podem fazer seu site um ambiente estável e seguro para o usuário.

Em um mundo cada vez mais conectado, pessoas que desejam atingir bons resultados precisam garantir sua presença digital. Ter um site deixou de ser um “extra” e passou a ser pré-requisito para quem deseja ter sucesso dentro e fora da internet.

Afinal de contas, mesmo quem prefere comprar produtos e serviços em lojas físicas, pesquisa nos sites de busca sobre a empresa ou profissional que está pensando em contratar.

Imagine se um potencial cliente seu está fazendo uma pesquisa na web para consolidar a intenção de compra e não encontra nenhuma página oficial ou mesmo informações confiáveis sobre o seu trabalho?

Se há 10 anos isso era encarado com normalidade, atualmente, a ausência de um site pode prejudicar a credibilidade, um ativo difícil de construir e muito fácil de perder.

Imagine o seguinte cenário: você está procurando uma escola nova para a sua filha que vai entrar no Ensino Médio. No caminho de casa para o trabalho, vê um colégio com boa infraestrutura e um grande fluxo de pais, professores e alunos na porta de entrada.

Assim que chega ao escritório, você vai ao Google buscar mais informações sobre a instituição de ensino, mas não encontra nenhuma informação. Não lhe parece, no mínimo, estranho? Um site oficial, atualmente, é um requisito básico para quem deseja passar uma imagem profissional.

Por isso, o número de sites aumenta a cada ano: já são 2 bilhões de páginas em todo o mundo. E, para colocar uma página web no ar é preciso contar com uma hospedagem de sites - primeiro passo para garantir sua presença digital. A seguir vamos explicar melhor o que é uma hospedagem de sites e cada conceito de como funciona o mundo online.

O primeiro deles é que um site é um conjunto de arquivos de textos, imagens, vídeos e códigos que precisam ser armazenados em um local específico, o servidor.

Este, por sua vez, é uma espécie de “supercomputador”, com muito mais recursos e capacidade de armazenamento do que um computador pessoal, como o que você possui em casa.

Como os arquivos do site ficam dentro desse servidor, o conceito de armazenar e disponibilizar esses arquivos ficou conhecido como hospedagem de site.

Já o domínio do site é o seu endereço na internet, a informação que vem depois do “www”. Como acontece com o endereço da sua casa, o domínio precisa ser exclusivo. Em uma analogia simples, o domínio é como se fosse a informação sobre onde está a sua casa - Rua das Palmeiras, nº 50, por exemplo - e a hospedagem é efetivamente a casa.

Apesar disso, suas dúvidas provavelmente não terminam aí - e nem deveriam, porque há mais conceitos que você precisa conhecer! Neste conteúdo você vai aprender:

  • Para que serve e como funciona a hospedagem de sites;
  • Quais são os tipos de hospedagem;
  • Como hospedar um site;
  • Como garantir a estabilidade de um site.

Para que serve e como funciona a hospedagem de site?

Além de armazenar essas informações e arquivos dos sites, o servidor tem como objetivo disponibilizá-las para que elas possam ser acessadas e lidas pelos navegadores 24 horas por dia, 7 dias na semana. Para esse serviço damos o nome de hospedagem de site

Na teoria, você mesmo poderia configurar um computador com excelente capacidade de processamento para se tornar um servidor particular e publicar um site na internet. No entanto, essa medida pode gerar inúmeros inconvenientes, como: 

  • Altíssimo custo na aquisição de equipamentos;
  • Necessidade de conhecimentos técnicos avançados;
  • Pouca garantia de estabilidade em tempo integral;
  • Segurança dos dados.

Por isso, a melhor maneira de colocar sua página web no ar é utilizar os serviços de empresas de hospedagem de sites, que possuem espaços dedicados - os parques de servidores ou data centers - para manter centenas de servidores em pleno funcionamento e atender seus clientes com estabilidade e segurança no tráfego de informações. 

Essas empresas não se limitam a oferecer hospedagem. Elas também dispõem de uma enorme variedade de funcionalidades, ferramentas e serviços para o seu site, além de atendimento técnico quando surgem eventuais problemas.

Da mesma maneira que existem diferenças entre as modalidades de hospedagem no “mundo real’ - você pode ter uma casa própria, ficar em um hotel ou alugar um apartamento -, há diversas formas de hospedar seu site. O mercado oferece muitas opções, mas vamos entender algumas diferenças antes. Veja!

Hospedagem para um site

Nessa modalidade de hospedagem, você faz o contrato para armazenar e transferir dados para apenas um domínio. Em geral, o armazenamento de dados tem um limite fixo, mas a transferência de dados é realizada de maneira ilimitada.

Além da hospedagem, quem oferece esse tipo de serviço também inclui uma série de outros benefícios, como contas de e-mail personalizadas e ferramentas para desenvolver seu site.

Hospedagem para múltiplos sites

Como você já deve estar imaginando, essa modalidade possibilita o armazenamento de múltiplos domínios, contratando apenas um plano de hospedagem.

No entanto, ao contrário do que muita gente pensa, o investimento para hospedar múltiplos sites não é tão maior do que para hospedar somente um e você conta com os mesmos benefícios de assinantes do plano único e, em alguns casos, com vantagens extras. 

Hospedagem para lojas virtuais ou e-commerces

Ainda que o plano anterior permita o armazenamento de múltiplos domínios, ele é indicado para quem precisa lidar com um volume médio de informações.

No entanto, quem possui um e-commerce, ou tem diversos sites e precisa lidar com um volume alto de dados necessita de um armazenamento maior e, principalmente, mais seguro, pois essas páginas lidam com informações sensíveis, como endereços e números de cartões de crédito.

Conhecendo os recursos de hospedagem de site

Como já falamos, o trabalho de uma empresa de hospedagem de site não se limita ao armazenamento e disponibilização do conteúdo do seu site na web. A hospedagem agrega uma série de ferramentas que facilitam a construção e manutenção do seu site.

Algumas destas ferramentas são os Criadores de Site e WordPress, por exemplo, que ajudam a criar sites, blogs ou lojas virtuais. Além destes, as empresas de hospedagem de site oferecem outros serviços que garantem a segurança online, como o Certificado SSL e as ferramentas anti-spam e muitos outros.

Ainda que os recursos oferecidos pela hospedagem do seu site variem de um pacote para outro, alguns são comuns em praticamente todas as modalidades. Veja quais são eles!

1. Armazenamento

Também chamado de espaço em disco, esse recurso é, como o próprio nome diz, o espaço reservado para os arquivos do seu site, arquivos e seus e-mails dentro do servidor.

Em geral, as páginas web não ocupam muito espaço. No entanto, é importante saber exatamente quanto de espaço seu site vai ocupar para ter certeza de que o serviço adquirido atende essa necessidade. Existem soluções no mercado que fazem esse cálculo considerando um extra, caso o site cresça e necessite de mais espaço.

Além disso, é importante considerar que, em alguns casos, o armazenamento em disco considera os e-mails relacionados aquele site, o que pode demandar mais espaço.

Portanto, ao realizar a contratação, veja se o espaço disponibilizado também será usado para essa finalidade. Dessa maneira, você terá uma estimativa mais alinhada às necessidades do seu site.

Também é importante ficar atento quando se fala em “hospedagem ilimitada”, divulgada como estratégia de marketing que oferece o serviço de hospedagem de sites no mercado, especialmente nas modalidades compartilhadas.

Embora o termo não esteja de todo incorreto, não quer dizer que o uso de espaço no servidor é infinito, mas que não há, a princípio, um limite de espaço fixo para o conteúdo do seu site, que estará condicionado a uma série de regras. 

Não é possível, por exemplo, utilizar a hospedagem de sites como uma espécie de repositório de arquivo de imagens, fotos e vídeos que não estão, diretamente, ligados à sua página web.

É importante lembrar que qualquer disco rígido possui um limite pré-definido de armazenamento que não pode ser ultrapassado. Por isso, os servidores das empresas de hospedagem de site estão limitados à capacidade de sua estrutura. Logo, não é possível que uma empresa ofereça um “espaço infinito” aos seus clientes.

2. Transferência

Esse recurso refere-se à quantidade máxima de transferência de dados do servidor da empresa de hospedagem de site. Quando você atualiza sua página web, incluindo novas imagens, vídeos ou áudios, por exemplo, está consumindo uma parte desses recursos. 

Além disso, os acessos ao seu site também utilizam os recursos de transferência -  pois, quando isso acontece, o visitante faz de forma automática o download dos arquivos do seu site no navegador que ele utiliza (Chrome, Firefox, Edge, entre outros). 

Quando dimensionar esse recurso na contratação do plano, é importante estar atento à quantidade média de visitantes esperados na sua página web.

3. Painel de controle

É através desse recurso que você administra o site e as outras ferramentas obtidas ao contratar a hospedagem. É fundamental que a utilização seja prática e altamente intuitiva para que usuários sem muitos conhecimentos em tecnologia possam realizar tarefas simples, como criar contas de e-mails, configurar domínios e instalar recursos sem dificuldades.

Algumas soluções de hospedagem de site permitem a utilização do cPanel, um dos sistemas de gerenciamento mais populares e intuitivos do mercado de hospedagem.

4. Contas de e-mail

Uma das grandes necessidades para a contratação de um serviço de hospedagem de site é a criação de contas de e-mail, que garantem mais organização aos procedimentos cotidianos do seu negócio e possibilitam um contato de mais credibilidade com clientes e fornecedores. Saiba mais como criar um e-mail profissional aqui.

Algumas soluções de hospedagem de site permitem que você crie, gratuitamente, um número ilimitado de contas de e-mail, garantindo que todos os seus colaboradores sejam atendidos mesmo que a sua empresa cresça de maneira considerável.

5. Ferramentas para criar site

Uma das vantagens mais importantes para quem contrata uma hospedagem de site sem ter muito conhecimento técnico é a disponibilidade de ferramentas que ajudam na tarefa de criar um site. 

A hospedagem de site permite que você use, entre diversas outras opções, o Criador de Site, ferramenta altamente intuitiva. Nela, você desenvolve sua página com facilidade através de recursos no estilo “arrasta e solta”.

Um outro recurso da hospedagem é o instalador automático de CMS, que facilita a criação de sites. Entre essas aplicações, podem ser usadas o WordPress, Magento, entre outros CMSs.

Diferenças entre hospedagem de site e domínio

Para que você possa dar vida à sua criação, é necessário hospedar o site em um servidor e registrar um domínio. Os dois procedimentos são fundamentais, contudo, têm funções bem diferentes.

Se pensarmos o site como um organismo vivo, hospedagem e domínio seriam como cérebro e coração, dois órgãos vitais, mas que trabalham com responsabilidades diferentes  para a manutenção da vida.

Playthumb

Quais são as principais diferenças?

Basicamente, podemos definir o domínio como o endereço do site. O nome do domínio é a forma como se traduz o IP do servidor em que o site está hospedado, o que facilita - e muito - a memorização por parte das pessoas.

É muito mais simples guardar “www.nomedosite.com.br” do que o endereço de IP do servidor de hospedagem. Por isso, os desenvolvedores da internet investiram nos domínios como acesso ao site. Trata-se do nome em toda a rede, o vocativo utilizado pelo usuário para chamar para seu dispositivo o website que deseja visitar. 

Existe uma lógica por trás de cada “etapa” do domínio. As letras HTTPS identificam o protocolo de segurança e comunicação, e as três letras “w” significam que a página está disponível na World Wide Web, a boa e velha internet. Em seguida, encontra-se o nome do site, os indicadores de categoria de página, e o nome do país em que a hospedagem é realizada.

Os domínios também servem como “marcas” para as empresas, ou seja, é preciso registrar para obter o direito de usar aquele domínio. Não adianta montar o seu site com a sua marca, escolher o melhor serviço de hospedagem e não registrar o nome do site.

A hospedagem, por sua vez, permite que o site fique e se mantenha online. Ela fornece a infraestrutura de comunicação e tecnologia necessárias para que o site funcione com perfeição, por exemplo:

  • Armazenamento de mídia;
  • Contas de e-mail;
  • Dashboard de administração;
  • Recursos de transferência de arquivos.

Outro detalhe importante: para registrar um domínio “.br”, que são os mais utilizados no Brasil. a fonte responsável é o Registro.br. Porém, existem diversos players que operam no mercado de hospedagem. Por isso, certifique-se de escolher uma empresa capacitada, que ofereça um bom custo-benefício e, principalmente, suporte e assistência para manter o website sempre funcionando.

Veja também: Como adicionar um domínio no plano de hospedagem.

O primeiro passo para definir seu domínio é descobrir se ele está efetivamente disponível. Para isso, faça uma busca pelo domínio que você está interessado. O procedimento é simples, no entanto, é importante observar algumas regras básicas sobre o tema. Saiba mais!

  • O nome do domínio precisa ter no mínimo 2 e no máximo 26 caracteres.
  • Ainda que seja possível usar acentos nos domínios nacionais - aqueles que têm o .br - essa não é uma boa ideia, pois nem todos os servidores de e-mail estão preparados para essa opção.
  • Não há qualquer diferença entre letras maiúsculas ou minúsculas. Portanto, o empresário do nosso exemplo não precisa se preocupar em registrar seu domínio como “www.SapatariaFeliz.com.br”.
  • É possível utilizar hífen entre as letras, mas ele jamais pode estar no início e nem no final do domínio, ou seja, um domínio “www.-sapatariafeliz-.com.br” não funcionaria.

Extensão de domínio

Além do nome - nesse caso, “sapataria feliz” -, o domínio ainda é composto de outras duas variáveis, que vamos explicar melhor agora. A primeira delas é a extensão do domínio, no nosso exemplo, “.com”.

Essa parte do domínio também é chamada de gTLD (Generic Top-Level Domain) ou Domínio de Primeiro Nível (DPN) em português, e serve para indicar a qual área o endereço eletrônico está voltado.

No total, são mais de 250 domínios de primeiro nível. Eles estão subdivididos entre 

  • Internacionais ou genéricos não patrocinados: .com, .net e o .org
  • Genéricos patrocinados: .edu e o .gov.

Código do país

Por fim, a sigla de duas letras que compõe a última parte do domínio é a ccTLD (Country Code Top-Level Domain) e faz referência ao código do país em que o site foi registado. É importante saber que sua utilização não é obrigatória: quando você coloca essa extensão, o domínio é chamado de nacional e, se ela é omitida, o domínio é internacional. No Brasil, a sigla é .br, a Colômbia usa o .co, a França utiliza .fr e assim por diante.

Quero registrar um domínio, e agora?

Agora que você sabe tudo sobre domínio, pode estar se perguntando: ok, mas como eu faço para registrar o meu? O ideal é que você faça esse processo com a mesma empresa que contratou para hospedar o seu site.

Dessa maneira, concentra os processos de cadastro e pagamento em uma instituição e não precisa se lembrar, constantemente, de fazer operações diferentes para tratar de cada um desses assuntos.

A documentação necessária para registrar um domínio também é bastante simples. Veja quais são os principais no nosso post!

Hospedagem e domínio são conceitos bastante diferentes, porém, completamente interligados. Eles são uma espécie de dupla dinâmica do ambiente web, atuando em funções diferentes e em conjunto para que o seu site possa estar no ar.

Sem a presença de um dos dois, isso não acontece: afinal, não há como dissociar sua casa do seu endereço, não é mesmo? Por serem assim tão importantes - na verdade vitais - para o correto funcionamento da sua página web, é fundamental que, tanto a hospedagem, quanto o registro do domínio seja realizada por uma empresa sólida, com experiência no mercado, infraestrutura robusta e suporte técnico altamente especializado.

Em plena era digital, não se pode deixar uma parte tão importante do seu negócio à mercê de serviços instáveis ou pouco confiáveis.

Quais são os tipos de hospedagem?

Definidas as diferenças principais entre hospedagem de site e domínio, agora chegou o momento de conhecer mais sobre os formatos de hospedagem disponíveis no mercado.

Hospedagem Compartilhada
Hospedagem Compartilhada

Hospedagem compartilhada

Essa é a hospedagem mais utilizada no mercado. Nesse modelo, vários sites de clientes diferentes compartilham um único servidor e seus recursos. A grande vantagem de optar pela hospedagem compartilhada é que os custos também são compartilhados, então, o preço fica mais viável para todos. Trata-se de um serviço seguro e de qualidade.

No entanto, também é importante considerar que há uma quantidade limitada de recursos para cada um dos contratantes, como espaço em disco e transferência. Por isso, o modelo é bastante utilizado por sites e blogs de pequeno e médio porte, que lidam com um fluxo razoável de visitas.

É importante ter em mente que, apesar da limitação de recursos, a hospedagem compartilhada é uma escolha que se ajusta muito bem ao perfil de clientes de pequeno a médio porte.

Sites que têm um grande fluxo de dados ou são muito pesados, certamente ficarão mais satisfeitos com outra modalidade de hospedagem que você vai conhecer em seguida.

Servidor Virtual Privado (VPS)

Servidor VPS
Servidor VPS

Conhecido pela sigla VPS (que se origina do termo Virtual Private Server), os Servidores Virtuais Privados são capazes de hospedar sites e aplicações por meio da virtualização. Para quem não sabe, a virtualização é uma técnica utilizada para desenvolver ambientes virtuais privados a partir de um servidor físico. 

Nessa modalidade de serviço de hospedagem, o cliente tem um espaço digital, individual e independente. É importante considerar que cada VPS possui sua própria limitação de recursos, o que impede interferências do servidor virtual em outros sites que compartilham espaço no servidor físico.

Junto com o espaço de armazenamento em disco, estão presentes outros recursos dedicados, como processamento, tráfego de dados, IP dedicado e memória RAM. 

A principal diferença entre uma hospedagem compartilhada e o VPS é o acesso root. Esse formato garante autonomia e flexibilidade para configurar e personalizar o sistema. Além disso, o gerenciamento da hospedagem é bastante intuitivo. Alguns VPS contam com o painel de controle mais utilizado em todo mundo: o cPanel/WHM.

Por se tratar de uma solução bastante eficaz e de custo médio, o Servidor Virtual Privado é indicado para:

  • Sites em crescimento e que necessitam de alta performance;
  • Revendas de Hospedagem ou agências que precisam hospedar projetos de clientes;
  • Ambientes de teste e criação para desenvolvedores;
  • Instalação de aplicações, automações e manutenção de sistemas.

No momento de contratar um VPS, fique atento aos três pilares fundamentais: 

  1. Personalização, que permitirá o direito de alterar as configurações como desejar;
  2. Desempenho, fundamental para hospedar o site e garantir os acessos desejados;
  3. Exclusividade de IP, um endereço exclusivo e não partilhado, o que garante mais segurança para o site.

Servidor dedicado

Servidor Dedicado
Servidor Dedicado

Como o próprio nome diz, nessa modalidade de hospedagem não há nenhum tipo de compartilhamento ou emulação virtual. O servidor físico é dedicado e utilizado integralmente para armazenar o site e as ferramentas de administração. 

Essa modalidade de hospedagem entrega recursos bem semelhantes aos disponíveis no VPS. Contudo, há algumas vantagens para quem demanda mais atenção do servidor.

O servidor dedicado é uma opção que se faz necessária para quem possui grande volume de acessos e conteúdos. Além disso, é fundamental para todos que pretendem manter controle total do que acontece na administração do site, mesmo que isso tenha um custo superior. 

A exclusividade no uso do servidor faz o site hospedado alcançar desempenho superior e garante mais recursos. Isso resulta em alta performance para sua página web

Principais recursos do servidor dedicado 

  • Controle e flexibilidade para gerenciamento de projetos

O acesso root permite instalar e utilizar o seu servidor da maneira como você escolher. Isso garante mais liberdade para personalização e controle para os gestores do projeto. O servidor dedicado também conta com o painel de controle cPanel/WHM para deixar o gerenciamento ainda mais simplificado e intuitivo. 

  • Hardware para máxima performance

O servidor dedicado é construído para conceder a máxima velocidade de processamento. Por isso, possui processadores de última geração e quantidade de memória RAM acima da média do mercado.

Ter um servidor dedicado para seu site é como morar sozinho em uma casa muito bem mobiliada, segura e equipada. Contudo, é importante calcular o valor desse investimento. A exclusividade possui suas vantagens e, claro, seu preço. 

Por isso, a solução é indicada para sites, blogs, portais de conteúdo e e-commerces de grande porte. Ou seja, endereços eletrônicos mais complexos e com um volume muito alto de tráfego. 

A solução do servidor dedicado também é recomendada para empresas que se preocupam com segurança de informações ou precisam hospedar sistemas internos (como uma intranet), já que são utilizados os recursos mais avançados para a proteção dos dados e da infraestrutura.

É importante lembrar que, sites que se adaptam bem ao modelo de compartilhamento, geralmente, não precisam de um servidor tão robusto e custoso. 

Fique de olho no crescimento do seu site. Conforme os acessos vão aumentando, é bem provável que seja necessária uma migração. Contudo, antes de sair de um modelo compartilhado ou VPS, faça projeções, analise o custo-benefício e realize o processo migratório para um servidor dedicado capaz de atender às necessidades da sua empresa.

Revenda de hospedagem

Revenda de Hospedagem
Revenda de Hospedagem

A revenda de hospedagem funciona da seguinte maneira: Uma empresa interessada pode adquirir os serviços de hosting de uma grande provedora no mercado e vender o uso a seus clientes.

Este é um produto que promove o negócio próprio. A empresa pode oferecer serviços para terceiros, gerenciar os valores, pacotes e recursos como bem entender, explorando a infraestrutura de um grande player no mercado. 

E a grande vantagem para quem adere a essa modalidade é essa contar com a infraestrutura e tecnologia dos datacenters de uma empresa de hosting consolidada no mercado. 

Assim o contratante pode reforçar sua marca própria e focar os esforços em oferecer serviços adicionais aos seus clientes, como a criação e manutenção de sites, estratégias de marketing e outros serviços digitais mais completos.

Em resumo, esse tipo de hospedagem costuma garantir a possibilidade de oferta das mesmas facilidades e benefícios que a empresa fornecedora, como:

  • Múltiplas contas de e-mail personalizadas;
  • Painéis de controle;
  • Scripts adicionais;
  • Ferramentas de monitoramento do site.

E a hospedagem grátis, é uma boa ideia?

Pode ser que, mesmo lendo todas essas informações sobre as funcionalidades das modalidades de hospedagem pagas, você prefira começar seu site ou blog com um sistema de hospedagem gratuita.

No caso dos blogs, quando é utilizada uma plataforma gratuita, como o Blogger, o usuário precisa estar ciente de que o controle sobre a página não está, totalmente, nas suas mãos. 

E tudo começa com a impossibilidade de migração. Sites e blogs desenvolvidos em hospedagens gratuitas nem sempre poderão ser migrados para hospedagens mais complexas e desenvolvidas. 

Sim, existem políticas de privacidade e informacionais que fazem seu site ou blog serem, na verdade, um leasing (termo comum na área financeira, é uma espécie de empréstimo da infraestrutura) para utilizar os recursos da plataforma. 

Isso pode resultar em problemas, afinal, determinados desvios da conduta - mesmo que acidentais - podem resultar no bloqueio ou exclusão do blog sem grandes explicações.

Infelizmente, esse tipo de problema pode acontecer com os usuários de servidores grátis, pois eles ficam sujeitos às regras de controle da plataforma. E isso pode acarretar em dias sem atividade.

Os servidores pagos também possuem suas regras de hospedagem. Contudo, elas são mais flexíveis e os clientes têm mais espaço para dialogar em caso de problemas técnicos. O que agrava a situação dos servidores gratuitos é a dificuldade de reverter algum tipo de problema e uma lista maior de limitações para os usuários. 

Mesmo que isso jamais ocorra, outro fator negativo é a impossibilidade de usar um domínio próprio para o seu negócio, sem as extensões típicas desse tipo de serviço - o que transmite mais credibilidade. Profissionalismo na internet é tudo. 

E mesmo que você queira economizar com os custos do seu site, é recomendado investir uma pequena quantia para obter seu próprio domínio e uma hospedagem de qualidade superior. 

Outro ponto importante: os planos gratuitos, em muitos casos, servem para conduzir o usuário até a contratação de planos pagos. Algo parecido com os serviços de streaming musical, que inserem propagandas e limites de uso para demonstrar a qualidade do serviços, porém, com uma limitação que “atrapalha” o uso no sistema free.

Os recursos podem ser limitados e você pode ficar sem funcionalidades que ajudam seu site - e, consequentemente, seu negócio - a crescer. Destacam-se:

  • Limitações de conteúdos para o site;
  • Limite de upload baixo;
  • Níveis de segurança menos eficientes;
  • Falta de suporte dedicado.

Além disso, embora esse tipo de hospedagem seja realmente grátis, ela está condicionada a uma série de regras de uso. Isso pode incluir, por exemplo, a exibição de anúncios de terceiros e destaque dos créditos do fornecedor da hospedagem.

É importante ter em mente que, caso seu site esteja sujeito a quedas e instabilidades com muita frequência, isso pode prejudicar financeiramente seu projeto. Menos clientes terão acesso aos seus serviços e, com isso, menos negócios serão fechados e menos visitas serão registradas.

Por fim, e não menos importante, vamos falar brevemente sobre suporte. Nem sempre será possível contar com uma central de atendimento e uma equipe de suporte técnico dedicado a resolver seu problema com a rapidez e eficiência necessária. 

Cuidados ao migrar

Certo, você se convenceu de que a hospedagem gratuita, definitivamente, não é uma boa ideia. No entanto, quando chegou até aqui, seu site utilizava esse tipo de solução. 

Fazer a migração para um serviço de hospedagem paga, em certos casos, além de urgente, pode ser muito simples. No entanto, tenha o cuidado de preservar o conteúdo que você produziu ao longo desse período:

  • antes de iniciar a migração para a hospedagem paga, faça um backup de todo o site;
  • estude a compatibilidade de plataforma para fazer a migração;
  • não se esqueça também de criar um sitemap completo, com todas as URLs do seu site, para não deixar nenhuma de fora na migração;
  • antes de cancelar o serviço gratuito, certifique-se de que a migração foi, integralmente, concluída.

Como escolher a hospedagem?

Uma vez que você entendeu melhor a necessidade de escolher um serviço de hospedagem pago para o seu site, chegou a hora de pensar em como escolher a solução ideal para as suas necessidades. Confira!

Playthumb

Entenda as necessidades do seu site

O primeiro passo para escolher a solução de hospedagem ideal para o seu site é compreender as suas necessidades e, principalmente, seus objetivos em médio e longo prazo.

A pergunta que você precisa fazer é que tipo de site você quer criar. Os formatos mais comuns são:

  • Blogs;
  • Sites One Page;
  • Institucionais;
  • Portais;
  • E-commerces.

Essa informação é essencial, porque, a partir dela, uma série de características do plano de hospedagem mais adequado serão definidas. No caso dos e-commerces, por exemplo, é fundamental dar atenção especial à confidencialidade das informações mais sensíveis dos usuários, utilizando certificados de segurança.

Você também precisa se perguntar quantas páginas, aproximadamente, o site terá. É importante verificar, ainda, se ele será composto por textos e fotos, ou se terá muitos vídeos e áudios. E também a quantidade estimada de acessos e quanto acreditam que ele poderá crescer.

Obviamente que, nesse momento, você não terá uma resposta exata para nenhuma dessas perguntas, mas a estimativa é importante para apostar na melhor solução.

Um site com poucas páginas, arquivos e sem muitos acessos vai se adaptar bem à hospedagem compartilhada. Já aqueles com alto tráfego e com arquivos pesados, como vídeos e fotos em alta qualidade, necessitam de um servidor dedicado ou um VPS.

Conheça os planos disponíveis

Busque empresas com boa reputação no mercado e conheça os planos e benefícios que elas oferecem. É muito comum que cada negócio ofereça pacotes com características diferentes, desenvolvidos para atender clientes com necessidades específicas.

Alguns deles possibilitam a hospedagem de mais de um domínio, outros têm como principal atrativo o foco nas necessidades das lojas virtuais. Quanto mais planos você tiver em mãos para analisar, maior a chance de encontrar o que se encaixa melhor às suas necessidades.

Também é interessante avaliar planos voltados para aplicações específicas, o que garante maior personalização e desempenho. Se o seu site foi desenvolvido em WordPress, por exemplo, você pode buscar por um plano de hospedagem específico para essa aplicação. Isso trará vantagens importantes para sua página na web, como maior velocidade de carregamento.

Analise os produtos oferecidos

Agora que você conhece os planos oferecidos, chegou a hora de analisar seus produtos. Nesse momento, é importante ficar atento a alguns critérios que podem fazer toda a diferença na sua satisfação com o serviço prestado. Confira nosso checklist!

Capacidade de armazenamento

Primeiramente, você precisa se perguntar se o espaço de armazenamento em disco do plano que você está pretendendo contratar é compatível com o número de arquivos do site da empresa. 

O espaço em disco é a quantidade de memória disponível para armazenamento de arquivos. Se o site traz muito conteúdo multimídia, é importante ficar de olho para não lotar a capacidade do servidor em pouco tempo. 

Também é importante considerar que seu site pode (e deve) crescer. Se esse limite está muito próximo da capacidade máxima do seu pacote, é possível migrar para um plano mais robusto.

Limite de tráfego para transferência de dados

O segundo ponto de atenção é o limite de tráfego para transferência de dados. Afinal, você não quer perder vendas porque o site está fora do ar, certo? 

É fundamental verificar se o plano que a empresa pretende contratar é suficiente para o número de visitas esperadas na página.

Compatibilidade de tecnologias

Antes de fechar negócio, veja se a hospedagem que a empresa está oferecendo é em plataforma Linux ou Windows, porque é preciso optar por uma compatível com as aplicações que rodam no seu site. Verifique também a compatibilidade de programas, softwares e linguagens que serão usadas na criação do site.

Quantidade de contas de e-mail oferecidas

Outro cuidado importante é saber quantas contas de e-mail personalizadas ela oferece no plano que você está querendo contratar. 

Seja para um site pessoal ou comercial, é fundamental ter à disposição um número satisfatório de contas de e-mail. Isso permite a criação de endereços para contato de forma mais organizada, separada por assuntos, como institucional, comercial, contato com os autores de conteúdo, entre outros.

É claro que este tema é mais sensível para negócios. Porém, se sua meta é ter um site pessoal, isso não significa que a preocupação com as contas de e-mail deve ser deixada de lado. Ela é um importante diferencial no momento de escolher o serviço de hospedagem mais adequado.

Número de domínios

O número de domínios que o plano permite manter hospedado é outro ponto de atenção importante na hora de escolher o plano mais adequado para o seu negócio. Especialmente se você deseja ter outros sites, com domínios diferentes no futuro.

Preocupação com a segurança dos dados

Verifique também quais são as medidas de segurança dos dados oferecidas pelo plano que cogita contratar. O vazamento de informações sensíveis dos usuários, como número de telefone, endereço e dados do cartão de crédito podem prejudicar a reputação do seu site e da marca de um jeito, quase sempre, irreversível.

Se a provedora possui um sistema de backup eficiente e se oferece acesso fácil a ele caso surja alguma emergência, ponto positivo!

Possibilidade de upgrade de plano

Também é importante verificar as políticas referentes à possibilidade de migração para as opções que oferecem mais espaço em disco ou volume de tráfego de dados. 

Assim, você não vai ficar preso a um serviço que não lhe atende mais, caso o site venha a crescer além das expectativas iniciais.

Serviços extras

A empresa pode oferecer, por exemplo, um criador de sites, landing pages ou um sistema amigável para aplicações conhecidas e integrações com outras plataformas. Isso é fundamental especialmente para quem não sabe programar.

Esses pequenos benefícios fazem toda a diferença na sua experiência com a empresa de hospedagem e podem ajudá-lo a poupar horas e horas em atividades com as quais você não está familiarizado.

Facilidade de contratação

Também é uma alternativa inteligente dar prioridade às empresas que se preocupam em poupar o seu tempo e oferecem uma contratação rápida e sem burocracia. 

O  ideal é escolher aquele em que você pode, simplesmente, adicionar ao carrinho o plano que lhe interessa, incluir os serviços extras que deseja e finalizar a compra com toda facilidade.

Verifique, ainda, se os termos de serviço são claros, para que você conheça bem os seus direitos e deveres como contratante. Também é importante checar as opções de pagamento, como boleto, cartão e PayPal.

Acessibilidade dos recursos

Pouco adianta comprar um pacote de hospedagem de site com vários recursos se você não irá utilizá-los ou eles estão acima do seu nível de conhecimento.

Por isso, é importante dar prioridade às empresas com recursos que facilitam o seu dia a dia. Observe, por exemplo, se o painel de gerenciamento é intuitivo, fácil de usar e está em português.

É importante que a solução, de maneira geral, além de eficiente, também seja prática, para que você não precise de um tempo para compreender o funcionamento da ferramenta. 

Qualidade do suporte técnico

Outro fator fundamental na contratação de um plano de hospedagem de site é a qualidade do suporte técnico prestado ao cliente. Verifique se o pacote contratado oferece atendimento 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Dê preferência aqueles que oferecem mais de um canal de atendimento, como:

  • Chat;
  • E-mail;
  • Base de conhecimento;
  • Ouvidoria.

Por fim, veja se o atendimento é disponibilizado em português. As principais empresas da área contam com suporte na nossa língua.

Verifique a reputação da empresa

Visite as redes sociais em busca de opiniões de seguidores. Também consulte a página oficial da instituição para saber em que ano ela foi fundada, se possui premiações, reconhecimentos. Por fim, converse com outras pessoas que utilizam o serviço para formar um panorama mais claro.

Outra ideia interessante é buscar sites, como o Reclame Aqui, para verificar como a empresa se comporta quando confrontada com um problema. 

Desconfie daquelas com um número alto de reclamações não respondidas ou que não oferecem garantia de disponibilidade do servidor. Leia bem o contrato antes de fechar negócio e se atente às políticas de atendimento, devolução de valores, garantias, etc.

Faça uma avaliação do custo-benefício

É imprescindível uma avaliação do custo-benefício dos planos de hospedagem de site que você analisou. É normal que, na dúvida entre dois pacotes, a tendência do cliente é escolher o mais barato.

No entanto, é importante avaliar se não há vantagens extras na opção que tem um preço ligeiramente mais alto e que podem fazer toda a diferença no seu cotidiano.

Como colocar um projeto na internet?

Pronto! Você escolheu a melhor empresa de hospedagem de sites para o seu empreendimento. Agora, é chegada a hora de pôr a mão na massa e colocar o site para funcionar. Conheça algumas opções interessantes!

O que é melhor, criar sozinho ou contratar uma agência?

A resposta depende de uma série de variáveis, como:

  • Tamanho do seu projeto;
  • Objetivos que pretende atingir;
  • Funcionalidades necessárias para alcançar essa meta;
  • Disponibilidade financeira.

Com essas informações em mente, veja alguns casos e decida com mais assertividade!

Criar ou fortalecer sua presença digital 

Se o objetivo a ser atingido com o seu site é criar ou fortalecer a presença da sua marca no ambiente web,  é bastante provável que você consiga fazer o seu site sozinho. 

Não será um desafio muito grande criar um novo meio de comunicação entre a sua empresa, os clientes e os prospects. Isso porque sites com esse propósito não exigem funcionalidades muito complexas ou integração com outras plataformas para atingir bons resultados, o que torna a criação e publicação deles bastante simples.

Lançar um e-commerce

Mesmo que a complexidade seja um pouco maior, é bastante provável que você possa fazer tudo sozinho, com a ajuda de gerenciadores de conteúdo, como o Magento e WordPress. No entanto, é preciso entender suas necessidades para ter uma resposta mais assertiva.

Isso porque, caso o seu projeto envolva procedimentos mais elaborados, como transações bancárias, é mais indicado que você peça ajuda de uma agência especializada ou de um desenvolvedor freelancer para garantir que tudo funcionará perfeitamente.

Nesse caso, é importante ter cuidado redobrado também com a segurança do e-commerce. Esse é um dos principais motivos que faz os potenciais compradores abandonarem seus carrinhos de compras antes de fechar a venda.

Criar um projeto de grande porte

Se o seu objetivo é criar um projeto de grande porte, o ideal é buscar uma agência especializada ou um desenvolvedor freelancer com experiência. Por exemplo:

  • Vender produtos ou serviços, com diversas opções de pagamento e frete;
  • Integrar as páginas de todas as filiais da empresa;
  • Criar um grande banco de dados online para oferecer cursos à distância.

Projetos com essa envergadura demandam uma série de funcionalidades, integrações e ferramentas que exigem o conhecimento em geral não apenas de um, mas de diversos profissionais, como: 

  1. Redatores;
  2. Designers;
  3. Especialistas em user experience, back e front end.

Além disso, trabalhando com profissionais contratados, é possível estabelecer um cronograma de entrega para cada fase do projeto. Isso garante um acompanhamento detalhado das etapas e evita atrasos que podem trazer prejuízos para você. Vamos ver mais detalhadamente os benefícios de cada escolha na hora de criar o seu site.

Contratar uma agência ou profissional freelancer

Apesar de ser necessário realizar algum investimento, caso você opte por esse caminho, também é certo que obterá uma série de vantagens. Saiba quais são elas:

Otimização do tempo

Ao contatar uma agência especializada ou um desenvolvedor freelancer, você não precisa destinar um tempo precioso do seu cotidiano para essa tarefa.

Dessa maneira, você pode aproveitar o tempo, que seria utilizado na construção do site, realizando outras tarefas diretamente ligadas a esse objetivo ou a outras prioridades da sua vida.

Serviços integrados

Ao deixar a construção do seu site com uma agência especializada, você pode também contratar serviços agregados que contribuam para o crescimento da página. Por exemplo, ter uma boa e consolidada estratégia de marketing digital.

Essas agências também podem otimizar o site para os buscadores, utilizando técnicas de SEO, além de produzir conteúdo e anúncios do seu site para o Google, Facebook, Instagram e LinkedIn, por exemplo.

Expertise nos casos complexos

Ao contratar uma agência especializada ou um desenvolvedor freelancer, você leva também toda a expertise do profissional para a criação de sites mais complexos, com múltiplas páginas e funcionalidades. Nem sempre essas necessidades podem ser resolvidas com facilidade por alguém que é iniciante no assunto.

Fazer você mesmo

Outra alternativa para quem não pode investir na contratação de uma agência especializada ou um desenvolvedor freelancer é colocar a mão na massa e fazer o site. 

Desenvolver o site por com seus próprios esforços pode ser bem gratificante, e garante algumas vantagens, tais como:

  1. Personalizar o site da forma como você imaginou;
  2. Escolher as ferramentas de sua preferência;
  3. Controlar todas as etapas de desenvolvimento e melhorias;
  4. Tempo livre para o desenvolvimento do projeto;
  5. Redução do custo inicial do projeto.

Criar sites de qualidade pode ser uma tarefa simples, mas demanda estudo, conhecimento de programação, cuidados com a experiência do usuário, desenvolvimento de soluções e muito mais. Vale a pena pensar se você tem todos os requisitos básicos para suprir as necessidades técnicas para o bom funcionamento do seu site.

Formas de criar um site

Criador de Sites

Uma das melhores maneiras para criar um site sem ter qualquer conhecimento técnico prévio nessa área é usar criadores de sites. Eles são ferramentas desenvolvidas com o objetivo de serem práticas e altamente intuitivas.

Usando um criador de sites, você consegue desenvolver uma página web com o DNA do seu negócio. Recomendada para qualquer tipo de site, seja ele institucional, blog ou loja virtual, a ferramenta tem um painel dinâmico e possibilita que você escolha, entre diversos temas, o que se alinha à identidade visual de sua preferência, além de oferecer diversas opções de personalização.

Gerenciadores de conteúdo (CMS)

Outra possibilidade para criar seu próprio site é utilizar os Gerenciadores de Conteúdo ou Content Management System (CMS). Eles funcionam como uma espécie de estrutura de site “pré-fabricada”, para que você complete com as informações personalizadas.

Dessa maneira, você obtém um resultado totalmente alinhado com as suas necessidades, sem precisar se preocupar em aprender linguagens de programação ou outras especificidades técnicas mais complexas.

Esse tipo de solução é tão eficiente que até mesmo desenvolvedores profissionais costumam usá-la como base para seus projetos. A partir deles, eles criam sites totalmente personalizados para seus clientes.

Uma das grandes vantagens do CMS é que seu uso é bastante intuitivo. Até mesmo quem não tem qualquer familiaridade com a construção ou atualização de sites pode acessar o sistema e fazer publicações e edições sem muita dificuldade.

Além disso, a maior parte das plataformas de CMS permite o suporte e atribuição de papéis a múltiplos usuários, com excelente capacidade de personalização por meio de plugins ou módulos.

Outra vantagem de optar pelo CMS é o gerenciamento realizado por meio de templates. Em síntese, isso quer dizer que você pode trocar facilmente a interface do site sem a necessidade de ficar modificando cada página.

Por fim, o CMS permite ainda um controle de fluxo eficiente, o que possibilita que você crie etapas de publicação, revisão e aprovação para cada novo conteúdo no site. 

Com isso, quando um dos seus colaboradores criar algo novo para uma página, esse material não necessariamente será publicado de forma automática. Você pode ajustar as configurações para que ele só vá para o site depois de passar pela etapa de aprovação.

Conheça os principais gerenciadores de conteúdo

WordPress

Embora tenha sido desenvolvido inicialmente para dar suporte a blogs, o WordPress é um dos melhores e mais utilizados CMS do mundo. Atualmente, é utilizado também como base para sites de todos os portes.

Um de seus principais atrativo do WordPress é a imensa oferta de templates prontos que você pode usar como base para o seu site. Além disso, os plugins aprimoram a experiência do usuário, trazendo funções como galeria de fotos e edição de temas.

WordPress

A comunidade responsável pelo CMS trabalha em atualizações constantes, o que resulta em um sistema de gerenciamento de conteúdo que elimina bugs, melhora a segurança e a usabilidade.

O WordPress também conta com uma comunidade oficial de desenvolvedores que atuam diretamente na gestão da documentação, fóruns, meetups, etc. E o mais importante: é gratuito! 

Saiba como dar os primeiros passos no WordPress neste curso online Meu site WordPress no ar.

WooCommerce

O WordPress conta, ainda, com o WooCommerce, plugin específico para criação de lojas virtuais que é líder de mercado. De fácil utilização, a ferramenta tem uma série de recursos para que você possa criar seu e-commerce sem complicações, como:

  • Carrinho de compras;
  • Gerenciamento de estoque;
  • Filtros para ordenação por preço e por produtos mais buscados.

Outra enorme vantagem de optar pelo WooCommerce é que sua loja virtual poderá aceitar diversas formas de pagamento:

  • Transferências bancárias;
  • Boleto;
  • PayPal;
  • Pagamento contra entrega;
  • Principais bandeiras de cartão de crédito.

Tudo isso facilita as vendas e garante uma experiência mais confortável para o usuário. 

Além disso, o WooCommerce é considerado um dos recursos mais seguros para quem lida com comércio virtual, porque possui um grande número de desenvolvedores envolvidos, que realizam atualizações, buscam e reparam erros na ferramenta.

Magento

Já entre os CMS voltados para administração de e-commerces, o Magento é um dos principais. A ferramenta é bastante popular por apresentar diversas possibilidades de personalização e boa usabilidade nos quesitos publicação, edição e manutenção.

De acordo com essa pesquisa, o Magento é responsável por 12% do mercado mundial de e-commerce, sendo a segunda plataforma mais utilizada no mundo, atrás somente do WooCommerce.

Magento

Lançado em 2008, o Magento é uma plataforma de código aberto, que também oferece uma boa gama de templates que podem ser totalmente personalizados. Com essa funcionalidade, você consegue desenvolver o sua loja virtual de maneira independente, não sendo necessário conhecer uma linguagem de programação.

Outra vantagem do código aberto é que ele permite a integração da plataforma com uma série de outros recursos úteis para quem tem uma loja virtual, o que melhora a experiência do usuário. 

Por falar em experiência do usuário, um dos pontos fortes do Magento é o sistema de navegação de produtos, que deixa as lojas virtuais organizadas e intuitivas, o que facilita as vendas. 

Desde a sua criação, o Magento vem recebendo atualizações anuais, tanto de correções de bugs, quanto de segurança. Isso faz com que a plataforma seja moderna e confiável para operações delicadas, como as que acontecem nos e-commerces.

Joomla

Esse gerenciador de conteúdo foi lançado em 2005 e também é oferecido gratuitamente a qualquer usuário. Com código aberto, é uma opção muito utilizada por quem precisa criar sites corporativos ou e-commerces mais elaborados .

Ele é considerado um pouco mais complexo que o WordPress, mas isso não significa que se trata de uma plataforma exclusiva para desenvolvedores com alto grau de conhecimento. 

Joomla!

A plataforma é bem flexível e funciona bem para blogs, portais de pequeno e grande porte e também intranets. A segurança também é um ponto alto. A presença de ferramentas como o RSFirewall fazem do Joomla o CMS escolhido até por órgãos públicos. Também merece destaque a facilidade para exportar e importar backups de um servidor local. 

O Joomla também possui uma grande comunidade de desenvolvedores, o que faz desse gerenciador de conteúdo um produto bem popular e amplamente discutido em fóruns e sites especializados

Open Cart

Também focada no universo das compras virtuais, o Open Cart é uma plataforma para e-commerce que demanda um nível de experiência menor, se comparado com o Magento. Com ela é possível montar um site de alta qualidade, mas com recursos mais simplificados do que seus principais concorrentes.

Opencart

O Open Cart não perde em nada em termos de organização de sua plataforma e facilidade de uso, o que é fundamental para quem é iniciante no desenvolvimento de e-commerces. Ela também conta com recursos para otimizar estratégias de SEO e está disponível em 17 idiomas.

Prestashop

Mais uma plataforma free com foco em e-commerce. Disponível em 65 idiomas, o Prestashop é utilizado em mais de 350 mil lojas da web. Possui uma estrutura modular, que se adapta aos diferentes tipos de projetos, desde pequenas lojas até grandes empresas do varejo.

Prestashop

Além dos recursos para administração de e-commerce e gestão de produtos, o Prestashop possui algumas ferramentas de gestão de clientes, que permite uma análise aprofundada sobre a jornada de compra dos consumidores. 

O Prestashop também conta com um marketplace onde é possível adquirir mais recursos e templates para a sua loja.

Apontamento de domínio

O DNS funciona como uma tradução dos números do IP de um site para o nome do domínio. Os computadores usam uma linguagem puramente numérica, sendo assim, é preciso traduzir o endereço do IP para a nossa linguagem, o que dá origem ao domínio do site (ex: www.seusite.com.br).

Esse procedimento não pode ser deixado de lado, caso contrário, seu site ficará inacessível à audiência. É o DNS quem “faz a ponte” entre o servidor do site (que contém todos os arquivos e conteúdo do site) e o acesso requisitado por um internauta. 

Em outras palavras, todo plano de hospedagem oferece um endereço IP para que o seja utilizado no apontamento do domínio, dessa forma ao acessar o domínio é possível verificar o conteúdo armazenado na hospedagem.

Criação de contas de e-mail

Esse recurso oferecido nos pacotes de hospedagem de site é um dos mais úteis para os usuários. Isso porque, entre muitos benefícios, ajuda a aumentar a credibilidade do seu negócio.

Você já se sentiu inseguro ao trocar informações profissionais com uma conta de e-mail pessoal que dizia representar uma empresa?

Um e-mail profissional ajuda você a se identificar de maneira mais clara diante de clientes, parceiros e do mercado em geral. Essa ferramenta também transmite a mensagem de que seu negócio é sólido e se preocupa em criar a infraestrutura de trabalho adequada para oferecer os melhores serviços.

Se o seu receio é ter que abandonar o Gmail, com o qual provavelmente está acostumado há muito tempo, não precisa se preocupar. Seu e-mail corporativo pode estar integrado com esse e outros recursos, como o Google Drive e o Hangouts. Também pode ser acessado não apenas do computador, mas como de smartphones e tablets.

Como garantir a estabilidade de um site?

A segurança do servidor é fundamental para que o site mantenha-se ativo, sem interrupções e com seus dados bem seguros. 

Protocolos de segurança complexos, ferramentas de primeira, sistemas de monitoramento de atividades e controle físico do acesso aos servidores são premissas básicas dessas empresas. É fundamental assegurar aos clientes que seu site esteja hospedado em um ambiente seguro, seja qual for a modalidade de contratação.

Por isso, é tão importante averiguar a qualidade da empresa de hospedagem. Certifique-se de que a empresa toma os seguintes cuidados com segurança:

  • Utilização dos melhores protocolos de segurança;
  • Realização de backups periódicos para evitar perda de informações;
  • Segurança física também é importante. Certifique-se de que seu site vai estar hospedado em um servidor que encontra-se seguro contra roubos, incêndios e outros problemas que podem abalar a integridade física dos aparelhos responsáveis pela hospedagem.

5 motivos pelos quais seu site pode estar fora do ar

1. Problemas na programação

É possível que um erro no código da linguagem de programação utilizada, ou mesmo uma alteração no código fonte, seja o responsável por deixar o site fora do ar. 

Se isso acontecer, o ideal é buscar o responsável pelo desenvolvimento do site para que ele corrija as falhas que podem estar causando a indisponibilidade.

Se você for seu próprio desenvolvedor, pode procurar na internet suporte ou consultar ajuda de terceiros.

2. Erros de redirecionamento

Outro motivo que pode estar deixando o seu site fora do ar é um problema no redirecionamento de páginas. Pode ser que, por estratégia de marketing, você tenha registrado domínios com diferentes versões do nome para redirecioná-los àquele que realmente é utilizado. No entanto, quando isso é feito da forma errada, sua página web pode ficar indisponível.

Como existem muitas possibilidades de erro nos redirecionamentos, o ideal é que você converse com a agência especializada ou com o desenvolvedor freelancer responsável pelo site para que ele faça as correções necessárias. 

Caso tenha feito o site por conta própria, será necessário analisar as URLs, links e landing pages para encontrar o erro de direcionamento.

3. Falhas de configuração

Também não é incomum que o site fique fora do ar caso você não realize a configuração do site de forma adequada. Para evitar que isso ocorra, certifique-se de que está contratando uma empresa com suporte técnico 24 horas por dia, 7 dias por semana, e siga fielmente as instruções fornecidas por eles.

Não hesite em pedir ajuda caso não tenha familiaridade com programação de sites. Você precisa estar atento a fatores, como:

  • Compatibilidade;
  • Instalação do CMS;
  • Transferência adequada de conteúdo;
  • Temas;
  • Funcionamento de plugins.

Além disso, é importante esclarecer todos os detalhes a respeito do escopo do suporte. Ou seja, qual das partes é responsável por qual tipo de configuração.

4. Uso excessivo de recursos do plano contratado

Outra hipótese para que o site esteja apresentando indisponibilidade é o uso excessivo de recursos do plano de hospedagem contratado. 

Isso pode acontecer por alguns fatores:

  • Pico de acessos simultâneos muito além do previsto inicialmente;
  • Uso excessivo de bancos de dados ou FTP;
  • Scripts mal desenvolvidos;
  • Plugin instalado no sistema de gerenciamento de conteúdo.

5. Indisponibilidade do servidor

Por último, o site pode estar fora do ar por uma indisponibilidade do servidor contratado. Para evitar que isso aconteça com frequência, procure verificar o uptime do serviço de hospedagem, ou seja, o tempo em que o servidor estará disponível.

Quanto mais alto for esse índice, menores são as chances de que o seu site passe por alguma indisponibilidade. Servidores de hospedagem que prezam por alta qualidade têm uptime garantido de 99,9%.

Na prática, isso quer dizer que as chances do seu site ficar fora do ar em um ano são de 0,1%, ou seja, cerca de 8 horas em um total de 8.760 horas anuais.

Deixe os programas sempre atualizados

Além da correção de bugs, softwares são constantemente atualizados com o objetivo de diminuir falhas e vulnerabilidades de segurança. Por isso, quanto mais atualizado eles estiverem, maior a chance de que seu site esteja seguro.

Além disso, verifique, com frequência, se há novas versões de seus plugins, CMS ou qualquer outro software e sistema que esteja diretamente ligado ao funcionamento do seu site. 

Utilize senhas fortes e troque-as constantemente

Resista a tentação de usar caracteres sequenciais ou números de fácil dedução, como datas de aniversário. Garanta que a senha utilizada para proteger a área administrativa do seu site seja realmente segura.

O ideal é a senha ser uma combinação de números, letras e caracteres especiais bem diferentes da utilizada em outros logins. Nunca utilize, por exemplo, a mesma combinação para o acesso à área administrativa e ao painel de hospedagem.

Além disso, relembre aos seus colaboradores e outras pessoas que têm acesso ao site a importância desse cuidado. Conheça nossas dicas para criar uma senha realmente forte e proteger seu site:

  • Além de números sequenciais e datas de aniversário, evite termos óbvios e frequentemente utilizados por usuários em todo o mundo, como “password”, “iloveyou” e “senha”;
  • Se o sistema que você está utilizando permitir, crie sempre uma senha com no mínimo 8 caracteres. Também utilize letras maiúsculas, minúsculas, caracteres especiais e números;
  • Caso realmente necessite manter um registro da senha para não esquecer, evite deixá-la anotada próximo ao computador ou aos seus pertences pessoais, como bolsas e carteiras. Também não faça essa anotação em blocos de notas, notebooks, tablets e celulares. O ideal é guardá-las em um pen drive e em um local seguro.

Programe-se para, ao menos a cada 6 meses, realizar uma troca de todas as suas senhas por outras capazes de reforçar a segurança.

Se necessitar de auxílio, o gerador de senhas HostGator oferece, automaticamente, uma sequência aleatória de caracteres como sugestão para você. Basta clicar no botão azul para gerar uma nova senha e deslocar o botão para os lados a fim de escolher o número de caracteres na senha.

Realize backups regulares 

Outra medida importante para evitar qualquer tipo de problema envolvendo a segurança dos dados do seu site é realizar backups regulares das informações. Afinal, caso qualquer problema aconteça, você não vai desejar iniciar o site do zero. Com as informações guardadas, é mais fácil restaurá-las. 

Para isso, você pode fazer uso de um sistema de backup online que possui uma série de benefícios para os usuários. Além de fazer o backup, tanto do conteúdo quanto do banco de dados automaticamente, a ferramenta também restaura os dados em apenas alguns cliques e sem complicações.

Nos servidores compartilhados, os backups são realizados com frequência pelas empresas fornecedoras. Elas estabelecem uma política de backup e executam o procedimento com uma periodicidade definida, que geralmente é diária. 

Isso é feito para que todos os sites hospedados no servidor tenham um processo estabelecido de segurança das informações. Assim, não é necessário que o responsável pelo website execute os backups manualmente.

Aposte em detectores de malware

Bastante comuns no meio digital, os malwares costumam atacar computadores de clientes e visitantes quando presentes no seu site. Isso pode manchar a credibilidade digital da sua empresa. Por isso, não abra mão de instalar um bom detector de malware.

Esse tipo de programa é capaz de encontrar arquivos maliciosos com facilidade e ajudar você a eliminá-los de maneira simples, antes que provoquem danos no site ou nos computadores dos seus usuários.

Seja bastante criterioso com as permissões dos usuários

Outra maneira simples de manter seu site seguro é ser bastante criterioso no que diz respeito à concessão de acesso ao seu site. É impossível deixar de fornecer acesso a seus colaboradores para que eles façam alterações na sua página. Dependendo do porte da empresa, esse número aumenta gradativamente.

No entanto, evite fornecer acesso irrestrito a qualquer pessoa. Lembre-se sempre de que quanto mais pessoas puderem administrar o site, maiores são as chances de que ele fique vulnerável. 

Por isso, forneça acesso apenas a quem realmente tem funções a executar na administração e edição do site. Crie níveis de acesso para que cada colaborador só possa atuar no limite de suas funções.

Obtenha um Certificado SSL/HTTPS

Fundamental para quem está montando qualquer site hoje em dia, a compra de um Certificado SSL é uma espécie de “atestado” para os seus clientes. Ela mostra que sua página web é segura e que a inserção de informações pessoais nesse espaço não causará nenhum dano.

Quando você insere um Certificado SSL no seu site, ele passa a exibir um cadeado verde na barra do navegador, informando aos usuários que eles estão em um ambiente realmente seguro.

Além disso, o Certificado SSL agrega um nível extra de proteção para o compartilhamento de dados, que são criptografados e ficam imunes aos ataques de hackers. Dessa maneira, é impossível que terceiros tenham acesso às informações de seus clientes e o tráfego de dados entre o servidor e o usuário da sua página ocorre em total segurança.

Mantenha-se protegido contra ataques hackers

Ataques hackers são realizados com o objetivo de encontrar falhas no sistema de segurança de sites para causar danos, tanto a página web, quanto aos seus visitantes. 

Ainda que existam várias maneiras de realizá-los, 2 deles são mais comuns. Saiba mais!

  1. Cross Site Scripting: Diz respeito aos pontos fracos existentes no código do site, que podem facilitar a invasão e modificação da página web;
  2. SQL Injection: Esse tipo de vulnerabilidade possibilita que o hacker tenha acesso a informações sensíveis armazenadas no seu banco de dados, como endereços, números de documentos pessoais ou de cartões de crédito.

Todas essas dicas são fundamentais para garantir que o seu site esteja sempre seguro e livre de instabilidades. No entanto, elas não são as únicas. Diariamente, surgem novas ameaças no ambiente digital e, com elas, novas técnicas de prevenção e boas práticas de segurança.

Por isso, a melhor maneira de garantir um ambiente confiável para seus usuários é estar sempre atualizado sobre as mais recentes recomendações, fornecendo ao seu site a segurança que ele merece.

Confira mais conteúdos sobre segurança online:
Segurança da informação: precisamos conversar sobre isso?
Tudo sobre segurança: saiba como proteger o seu negócio na web
Semana da internet segura

Conclusão

Colocar um site no ar não é tão complexo quanto pode parecer. Mesmo quem não está familiarizado com linguagem de programação e só compreende a tecnologia sob a ótica do usuário é capaz de criar uma página web e colocá-la no ar. 

O primeiro passo é compreender bem a importância e o funcionamento da hospedagem de site, local onde estão armazenados os arquivos de foto, vídeo, áudio e texto da sua página. E, principalmente, conseguir diferenciar esse conceito do de domínio, que é o seu endereço virtual.

Depois que esses conceitos ficam mais claros, é importante entender melhor os tipos de hospedagens disponíveis no mercado. Assim você pode escolher com propriedade aquela que mais se adapta às necessidades da sua empresa.

Nessa fase, é importante conhecer a possibilidade de contratar a hospedagem para um único site, para sites diversos e para e-commerces. Também conhecer  conceitos relacionados ao assunto, como hospedagem compartilhada, VPS e servidor dedicado.

Essas informações são fundamentais para que você possa diferenciar os serviços oferecidos pelas empresas que atuam com hospedagem de site. Você pode compreender melhor suas vantagens, pontos de atenção e, dessa maneira, optar pela modalidade que está mais alinhada às necessidades do seu projeto.

Agora, você está pronto para colocar a mão na massa e partir para a operacionalização do site! Viu que é possível colocar sua página web no ar sozinho, mesmo sem ter qualquer formação na área de programação. Também aprendeu as vantagens em contratar uma agência especializada ou um profissional freelancer.

Neste conteúdo, você:

  • Conheceu os gerenciadores de conteúdo mais populares entre quem realmente entende do assunto;
  • Descobriu mais sobre outras funcionalidades que tornam a programação da sua página web muito mais simples, como o Criador de Sites e o Página Fácil;
  • Recebeu dicas para manter sua página web segura, evitando instabilidades e ataques hackers que tanto podem prejudicar o desempenho do seu negócio;
  • Aprendeu a criar senhas seguras para a administração da sua página web;
  • Entendeu a importância do Certificado SSL na construção de um site seguro e com credibilidade junto aos usuários;
  • Viu a importância de realizar backups constantes, ser criterioso na concessão de acessos ao painel de administração do site e apostar em detectores de malware.

Seguindo todas essas orientações e com o apoio de uma empresa com credibilidade, solidez e experiência, você terá um site otimizado, funcional, livre de instabilidade e seguro. 

Certamente, sua página servirá como uma poderosa ferramenta para que seus negócios possam se expandir ainda mais. Depois, é só colher os resultados que uma presença digital adequada e bem planejada podem trazer!

Gostou de saber mais sobre hospedagem de sites e entender tudo que você precisa para colocar seu site no ar com praticidade e segurança? Então, não perca mais tempo! Acesse agora mesmo o site da HostGator.

Sumário

Sumário

Sumário
Compartilhar