O que é preciso saber para ser um web designer freelancer

O que é preciso saber para ser um web designer freelancer?

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019 | Comentários

Escute o conteúdo do post com o player

Com a presença cada vez maior das empresas na internet, cresceu a demanda pelos serviços de web designers nos últimos anos. Para quem já trabalha com design gráfico, essa é uma chance de obter uma renda extra: trabalhando como web designer freelancer.

Mais do que criar sites, um web designer produz interfaces gráficas para uma série de outros produtos digitais. O e-book Profissão Web Designer lista algumas:

Blogs – Sites de atualização rápida, com publicações em ordem cronológica
Lojas virtuais – Sites em que são realizadas vendas virtuais de produtos e serviços
Hotsites – Sites com um objetivo específico e com duração temporária
Landing pages – Sites com o propósito capturar contatos de potenciais clientes
Interfaces digitais – De aplicativos para celular e web, por exemplo
Peças digitais em geral – Banners, peças para redes sociais, animações, entre outras

Mas o que você precisa saber para poder dar seus primeiros passos como web designer freelancer?

4 habilidades que um web designer freelancer deve dominar

Existem algumas competências técnicas e alguns aspectos comportamentais que você deve dominar para ter sucesso já nos seus primeiros projetos.

1. Ferramentas de design

Se você já é designer – especialmente designer gráfico – está familiarizado com os conceitos da área. Deve conhecer os fundamentos, as combinações de cores, a disposição de elementos, os princípios da tipografia. Para aplicar tudo isso ao trabalho com web é preciso saber mexer com algumas ferramentas. É o caso, por exemplo, do Photoshop e do Illustrator, softwares de criação de imagens e vetores. Estes dois, especificamente, são considerados o básico para quem quer seguir nesse tipo de projeto. Mas se você quiser realmente aprofundar as suas habilidades, você também pode trabalhar com o Adobe XD e criar sites, aplicativos e até protótipos para seus clientes.

Além disso, existem muitas outras ferramentas auxiliares que podem facilitar e dar agilidade ao trabalho de um web designer freelancer, automatizando atividades e proporcionando um fluxo organizado de trabalho. Aqui você pode conhecer 5 dessas ferramentas.

2. Linguagem web

Um web designer não precisa ser um especialista em programação. Mas é provável que os projetos exijam que ele execute atividades que vão além dos recursos visuais – então, vale a pena conhecer minimamente as linguagens web. Por exemplo, é bom ter noções de HTML e CSS, dois tipos de linguagens web baseadas em sequências de códigos. Isso permite ao profissional compreender a lógica de funcionamento do produto que estiver criando, melhorando tanto o seu trabalho quanto o seu relacionamento com as equipes de desenvolvimento do projeto.

HTML (ou hypetext mark-up language) é a linguagem usada para estruturar o conteúdo de um site – grosso modo, quando acessamos uma página na internet, o navegador que usamos “interpreta” essa linguagem e apresenta o conteúdo que foi programado para aparecer. CSS, por sua vez, é uma espécie de complemento do HTML, relacionado ao layout. Com essa linguagem você pode mexer no aspecto visual de um site, incluindo desde as cores até as imagens presentes no site.

3. Experiência do usuário

Quando as pessoas pensam em “design”, geralmente fazem a ligação com um “layout bonito”. Mas design, na verdade, é muito mais que isso. É preciso ter uma atenção constante à experiência do usuário, ou user experience. A área de experiência do usuário do design se dedica à usabilidade e ao fluxo de informações de uma interface gráfica (de um site, aplicativo ou outro produto), de acordo com a forma de pensar do público que a acessa. O objetivo é assegurar que o usuário encontre as informações que procura e que consiga usar todas as funcionalidades do seu site sem dificuldades.

Quem quer atuar como web designer freelancer terá um grande diferencial se conhecer de experiência do usuário. Na área de user experience (ou simplesmente UX) existem metodologias que auxiliam a antecipar a forma como o público irá usar a interface e a testar todas as possibilidades. Aliás, se esse assunto interessou a você, aprenda já 5 dicas de aperfeiçoamento da experiência do usuário.

4. Competências comportamentais

Além dos aspectos técnicos, um web designer freelancer precisa estar disposto a desenvolver algumas outras competências profissionais. É preciso ter flexibilidade para se adaptar a projetos variados, disposição para lidar com equipes diferentes a todo momento, e ficar atento às novidades, pois sempre aparecem novas tecnologias e trends no mundo web.

Além disso, vale a pena dedicar algum tempo para montar um fluxo de trabalho viável e eficiente. Uma dica é lançar mão dos princípios da gestão ágil, que tem como alguns dos seus pilares a agilidade, a entrega de valor ao cliente e os ajustes frequentes. Metodologias ágeis, como Scrum e Kanban, envolvem técnicas facilmente aplicáveis à criação de sites, por exemplo. Por que não fazer entregas em etapas, em datas acertadas previamente, em vez de apresentar o produto final de uma vez só? Aqui você confere outros benefícios da gestão ágil para seu trabalho no dia a dia.

Comentários
Pressione Enter para pesquisar ou ESC para fechar