Se você está pensando em ter um site, blog ou loja virtual, é essencial que você saiba contratar um bom serviço de Hospedagem de site. Uma Hospedagem de site é um aluguel que você precisa pagar para ter um site, ou seja, uma identidade online para seus clientes e audiência.

(Atualizado em 30/06/2021)

Se você não trabalha diretamente com tecnologia é possível que tenha dificuldade em compreender alguns termos comuns deste segmento. 

Talvez você não saiba o que é  hospedagem de sites, tenha dúvidas sobre domínio e não entenda a diferença entre servidores. 

Fique tranquilo, iremos ajudá-lo a entender esse universo (que nem é tão técnico assim) para que você fortaleça a sua presença digital.

Qual a diferença entre domínio e hospedagem de sites?

Esses dois termos andam juntos, porque nenhum site vai para o ar sem eles. 

O domínio é o seu endereço na internet, ou seja, é o que vem depois do “www”. Pode ser o nome da sua empresa ou algo relacionado ao seu segmento de atuação.

Por exemplo: www.floresdamaria.com.br ou www.floricultura.com.br. Cada domínio é exclusivo, por isso é importante conferir se o que você deseja usar está disponível.

O órgão que regula e controla o registro de domínios no Brasil é o Registro.br, mas você pode fazer essa consulta e contratação através de alguns provedores de hospedagem, que também oferecem recursos para o registro de domínios internacionais, ou seja, que não utilizam .com.br.

Entender o que é hospedagem de sites também é fácil. Ela é responsável por armazenar todas as informações e arquivos contidos em um site. Isso significa que, depois de escolher o domínio do seu site, você irá decidir onde ele ficará hospedado.

Se traçarmos um comparativo, o domínio pode ser representado por um endereço, como “Rua João Augusto, nº 35”, enquanto a hospedagem é o espaço físico, que neste exemplo pode ser um comércio, uma casa ou apartamento, o local onde são guardados seus pertences.

Na internet, os dados também ocupam um determinado espaço, mesmo que virtual. A hospedagem é, portanto, onde os conteúdos ficam armazenados e são disponibilizados na internet durante 24 horas por dia, todos os dias da semana.

Agora que você já sabe o que é hospedagem de sites é importante saber que existe um terceiro elemento muito importante: o servidor. Os conteúdos dos sites ocupam um espaço virtual (a hospedagem) que, por sua vez, precisa de uma estrutura física para arquivar as informações (os servidores).

Conheça os principais tipos de hospedagem

Assim como existe a hospedagem em hotéis, que costuma ser temporária, e o aluguel de casas, para uma permanência mais prolongada, também existem variações entre hospedagens de sites.

No mercado existem vários planos, mas aqui falaremos sobre três deles. Você saberá o que é hospedagem para sites únicos, sites e domínios múltiplos e lojas virtuais. As formas de contratação e os benefícios também podem variar, como você verá a seguir.

Hospedagem para um único site

Entre os tipos de hospedagem de sites e formatos de contratação, você pode optar por planos com pagamentos mensais, trimestrais, semestrais, anuais ou por períodos maiores. Mas, afinal, o que é hospedagem de sites únicos? Como o próprio nome já diz, é um serviço que você contrata para apenas um domínio.

O armazenamento pode ser limitado, mas a transferência de dados costuma ser ilimitada e você ainda tem benefícios como contas de e-mail gratuitas e pode usar um criador de sites sem custo adicional.

Hospedagem para múltiplos sites

Podemos classificar os planos de hospedagem de sites em pequenos, médios e grandes. O plano que apresentamos no tópico anterior pode ser considerado um plano pequeno, pois armazena apenas um site. Já um plano médio pode hospedar vários sites e domínios e o investimento tem pouca diferença.

A HostGator permite que você compare os planos para entender com mais facilidade os benefícios de cada um e até visualizar algumas telas do painel de controle.

Hospedagem para múltiplos sites e lojas virtuais

Para quem precisa hospedar vários sites ou lojas virtuais, o ideal é optar por um plano preparado para grandes volumes de dados. Além de ter um armazenamento maior, um plano como este costuma oferecer certificado de segurança gratuito, que é o Certificado SSL.

Se você tem uma loja virtual é recomendado usar uma linguagem mais segura, com criptografia e certificado de segurança. Esses recursos transformam as informações em códigos e embaralham os dados para aumentar a segurança do usuário e tornar o seu site mais confiável. Temos um post que explica os principais motivos para usar HTTPs no seu site.

Vale lembrar que independente do plano escolhido é fundamental que o fornecedor da hospedagem ofereça atendimento 24 horas. Afinal, caso ocorra algum contratempo você precisará de auxílio para resolver.

4 aplicações que você precisa conhecer, agora que sabe o que é hospedagem de sites

WordPress

O WordPress é uma solução usada por 27% da população mundial para criar sites. A aplicação oferece mais de 350 temas que são totalmente customizáveis. Também é possível inserir vários plug-ins para simplificar a rotina de publicações de novos conteúdos, além de várias outras funções.

Joomla

O Joomla é uma ferramenta extremamente versátil, que também permite personalização. Essa é uma solução OpenSource, que possui um código aberto e é desenvolvido por meio de trabalho colaborativo, o que faz com que esteja em constante avanço.

Magento

O Magento é a opção ideal para quem quer começar uma loja virtual. A plataforma é prática e 100% flexível. Com apenas três cliques é possível instalar uma loja virtual na sua hospedagem da Hostgator, por exemplo.

Drupal

O Drupal é outra ferramenta muito conhecida por sua flexibilidade. É uma solução que dá agilidade ao desenvolvimento de projetos complexos, é segura, escalável e possui uma comunidade muito ativa e colaborativa.  Você pode usá-la para criar um site, blog ou portal.

Vantagens de usar a Hospedagem WordPress em projeto web

Quem desenvolve sites sabe o quanto é prático usar o WordPress em seus projetos web. O CMS é leve, roda facilmente nos melhores servidores e ainda é intuitivo e fácil de personalizar, o que o torna muito usado para criar sites, blogs e até lojas virtuais.

Neste contexto, uma maneira de aprimorar ainda mais os seus projetos é utilizar a hospedagem para WordPress. Confira neste post os principais recursos e vantagens de escolher um plano exclusivo para este sistema de gerenciamento de conteúdo.

Atualmente mais de 28% da web usa o WordPress. Os usuários vão desde blogueiros iniciantes até grandes empresas como o The New York Times, a CNN e o Spotify. Mas, não basta só escolher um bom CMS, também é preciso alguns cuidados na escolha do hosting.

3 motivos para escolher a hospedagem para WordPress

Se você ainda tem dúvidas sobre a hospedagem exclusiva para sites desenvolvidos em WordPress, faça uma comparação entre os planos para identificar as principais diferenças. Para te ajudar nisso, selecionamos três das vantagens da Hospedagem WordPress da HostGator. Confira a seguir:

1. Segurança

Este plano de hospedagem tem um selo de segurança avançada, com varreduras automáticas em busca de spam e malwares.

São diversos recursos à sua disposição para garantir a máxima segurança dos sites, como a camada adicional de segurança com firewall que verifica e filtra o fluxo de dados. E também são realizados backups automáticos e restauração com um clique (este último recurso está disponível a partir do plano Startup).

2. Velocidade

A hospedagem para WordPress da HostGator oferece mais velocidade no carregamento de sites, sem a necessidade de configurações de cache.

O próprio CDN (Content Delivery Network), funciona como uma rede de distribuição de conteúdo digital, com uma configuração diferenciada com foco em garantir melhorias na performance acelerando o acesso dos usuários ao seu do site.

3. Alto desempenho

Com mais velocidade e segurança a hospedagem para WordPress proporciona um desempenho acima da média para sites, blogs, e-commerces, portfólios ou qualquer outro projeto web. Além de possuir um servidor totalmente otimizado para receber sites criados em WordPress.

Recursos da hospedagem WordPress da HostGator

Painel de Controle – Fácil de usar e completamente livre das complicações comuns aos planos de hospedagem tradicionais. Com a hospedagem para WordPress da HostGator você tem mais tempo para se dedicar ao desenvolvimento de sites.

Servidor exclusivo – Outra vantagem da hospedagem para WordPress é que os arquivos ficam armazenados num servidor exclusivo e otimizado para sites em WordPress, que proporciona um melhor desempenho e maior segurança.

Segurança avançada – O selo de segurança é mais um diferencial da hospedagem para WordPress, esta solução conta com vários recursos que garantem a máxima segurança para os seu site, como as varreduras automáticas em busca de spams e malwares.

Gerenciamento de e-mails – A HostGator disponibiliza um painel de controle que facilita a criação e o gerenciamento de e-mails. Além disso, tem integração com as plataformas Horde, SquirrelMail ou RoundCube.

Atualização do WordPress – Ao contratar a hospedagem para WordPress da HostGator você também não precisará se preocupar com as atualizações manuais. Isso porque as novas versões da plataforma são atualizadas de forma automática.

Suporte 24 horas – Vale dizer também que a hospedagem WordPress conta com atendimento especializado 24 horas por dia, nos sete dias da semana, durante o ano todo. Conte com o suporte de especialistas desde as primeiras configurações até publicação e manutenção do seu site.

7 vantagens da Hospedagem WordPress

A hospedagem para WordPress é indicada para diversos tipos de projetos, desde sites de pequenas e médias empresas, empreendedores, agências e desenvolvedores. Se você ainda possui dúvidas se esta é a melhor opção, confira abaixo as principais vantagens deste plano de hosting:

1. Maior velocidade de carregamento do site

2. Atualização automática do WordPress

3. Segurança adicional com firewall

4. Plugins e temas pré-instalados

5. Backups automáticos

6. Fácil gerenciamento de e-mails

7. Painel de controle simples

Principais vantagens da Hospedagem cloud

A popularidade da hospedagem cloud vem crescendo nos últimos anos, já que ela pode ser uma ótima opção para hospedar seu site ou aplicativo. A nuvem é um conceito empregado em muitas áreas da tecnologia que agora está expandindo para a área de hospedagem 

De modo geral, a hospedagem em cloud permite distribuir os dados da sua página por vários servidores interconectados, localizados em diferentes partes do mundo. A hospedagem de sites em cloud utiliza o poder de computação de várias máquinas que, além de maior potencial, oferece acesso aos serviços delas.

O mais interessante é que esses servidores existem apenas em um ambiente virtual ‒ por isso o nome “nuvem”. Para conhecer mais sobre esse universo, continue lendo este artigo! Nele, você conhecerá mais sobre a hospedagem em nuvem, o funcionamento e as principais vantagens dessa modalidade. 

Hospedagem cloud

Está se perguntando o que é hospedagem cloud, certo? A nuvem é uma maneira de armazenar dados em vários computadores e acessá-los por meio de uma conexão com a internet. Ela se comporta como um único computador físico, com capacidade de processamento e espaço de armazenamento infinitos.

A hospedagem cloud é a terceirização de recursos de computação e armazenamento de uma organização para um provedor de serviços, como a HostGator, que supervisiona configuração, infraestrutura de nuvem, segurança e manutenção. A melhor hospedagem cloud é acessível, escalável e confiável.

Em uma conta baseada em um único servidor, há a opção de compartilhar a máquina com outras contas (servidor compartilhado) ou rodar uma máquina individual e específica para a página (servidor dedicado). Já na hospedagem em nuvem, a escolha é similar, mas ocorre entre uma nuvem pública ou privada. 

Nuvem pública

É o equivalente a um servidor compartilhado, em que uma coleção de máquinas em rede mantém os dados de vários sites. O hardware é compartilhado entre várias contas virtualizadas, portanto o custo do recurso é compartilhado. 

Ao contrário da hospedagem compartilhada tradicional, os recursos do servidor virtual são protegidos. Assim, não são compartilhados espaço em disco, capacidade de processamento ou qualquer outra coisa com outra conta ‒ apenas espaço nos data centers. 

Nuvem privada

Nesta configuração, a infraestrutura não é compartilhada com outras contas ou sites, o que gera mais segurança e controle. Porém, esse recurso tem um custo mais alto. Como os recursos do servidor são protegidos em nuvens privadas, não é necessário compartilhar o hardware. 

Como funciona a hospedagem cloud?

A computação em nuvem consiste em três componentes: (1) front-end, por onde os clientes acessam a rede; (2) back-end, material exigido por serviços de computação em nuvem, como servidores, computadores, sistemas de armazenamento de dados, programas, etc.; e (3) rede, a internet conectando os dois componentes. 

A cloud server hospedagem está inserida nesse universo, mas acontece de forma multiplicada: com vários componentes trabalhando ao mesmo tempo. No modelo tradicional, os dados de uma página da internet residem num data center físico. 

Na hospedagem em nuvem, os dados são distribuídos por vários servidores conectados via internet. Se um deles falha, outros estão lá para compensar. Caso o site tenha um aumento no tráfego, poderá acessar mais recursos sem tempo de inatividade. Já havendo uma pausa no tráfego, ele acessa menos recursos.

Principais vantagens da hospedagem cloud

O funcionamento da hospedagem em nuvem a torna confiável, escalável, segura e acessível. Além disso, ela fornece maior capacidade de processamento, maior controle de custos e menos gastos com infraestrutura de tecnologia da informação. Abaixo estão outras vantagens desse tipo de modelo: 

Estrutura de preços flexível

Com a hospedagem na nuvem, paga-se apenas pelo que usar. Portanto, aumentando seu tráfego ou recebendo mais demandas de clientes, não será necessário atualizar completamente o pacote, mas sim aumentar os recursos durante o pico de tráfego.

Confiabilidade

Quando o conteúdo de uma página é distribuído em diversas máquinas interconectadas que armazenam as mesmas informações, caso uma delas fique offline, as outras “entram em ação” e o site permanece online sem nenhum prejuízo. 

Acessibilidade

A maioria dos provedores fornece acesso a um painel de gerenciamento de site intuitivo que permite visualizar o desempenho da página web em tempo real.

Agilidade

É possível implantar um servidor de hospedagem em nuvem em tempo recorde. Além de aumentar sem esforço a capacidade do website, esse modelo permite facilmente balancear a carga entre vários ambientes de servidor, o que pode diminuir a pressão sobre os recursos de um único deles.

Segurança

Com a hospedagem na nuvem, o site fica isolado de quaisquer problemas físicos do servidor, incluindo invasão, falha de hardware ou sobrecarga do sistema. Quando um deles apresenta um problema, é possível simplesmente utilizar os recursos físicos de outro servidor sem nenhum tempo de inatividade.

Sustentabilidade

A hospedagem na nuvem também reduz a pegada de carbono da empresa, já que utiliza menos data centers gerais e usa apenas os recursos do servidor de que realmente necessita no momento. Ao otimizar o uso de recursos e dados, cria-se menos impacto ambiental.

Escalabilidade

Se os níveis de tráfego aumentam ou diminuem, será difícil encontrar um host que ofereça o melhor serviço pelo mesmo dinheiro. Com a hospedagem em nuvem, existe a possibilidade de escalar facilmente os recursos do servidor conforme a necessidade. 

Se está pesquisando sobre esse assunto, é porque já sabe que possuir um site é fundamental para turbinar seu negócio. Desempenhando uma função primordial, a melhor hospedagem em nuvem vai depender das necessidades do negócio. Por isso, apesar de ser nova e interessante, ela não é indicada para todos. 

Se sua empresa depende de um site para funcionar, por exemplo, as opções de hospedagem cloud no Brasil podem ser uma excelente alternativa. Além disso, e-commerces, sites corporativos, páginas para geração de leads e outros de alto tráfego também podem se valer de seus benefícios.

Esse tipo de hospedagem é indicado a quem busca assegurar a máxima performance possível, correndo poucos riscos de falhas que interfiram na navegação. Isso porque os dados espalhados por diversos servidores tornam o sistema “redundante”.

Glossário de hospedagem de sites

Mas é preciso aprender todos esses termos? Mesmo que você crie o seu próprio site ou contrate um profissional, é importante saber algumas palavras do dicionário de hospedagem.

Isso vai ajudar você na hora de contratar o serviço certo que atende as suas necessidades, pode evitar erros na criação e gerenciamento do site e também facilita na hora de pedir ajuda para o suporte técnico.

Por esse motivo, preparamos um glossário de hospedagem na web, onde você encontrará o vocabulário básico para a sua presença on-line.

Como a internet nasceu nos Estados Unidos, muitos dos termos são acrônimos ou palavras em inglês, dê uma olhada para saber o que cada um significa.

Backup

É uma cópia de segurança de arquivos ou dados. Ele serve para salvar e guardar as informações do site garantindo que possam ser recuperados em possíveis erros ou acidentes inesperados.

Os backups podem ser feitos manualmente ou automaticamente, além disso você também pode fazer através do cPanel ou deixar na nuvem com o backup online CodeGuard.

Base de Conhecimento

A base de conhecimento é um canal oferecido pelas empresas de hospedagem onde contêm informações, instruções e tutoriais para solucionar as dúvidas mais comuns dos usuários. Como por exemplo, tutoriais para configurar uma conta de e-mail.

A base de conhecimento ajuda a agilizar a resolução das dificuldades, pois o usuário pode pesquisar no site a dúvida e seguir o tutorial. Além de evitar a sobrecarga de atendimento no suporte. A HostGator oferece uma Base de Conhecimento bastante completa e atualizada por uma equipe especializada.

Blog

Um blog também é um canal de comunicação bastante utilizado no Marketing Digital para a produção de conteúdos relevantes para os clientes. Os blog desempenham um papel fundamental nas estratégias de Inbound Marketing pois é um dos meios para a atração de leads para empresas.

Mas, popularmente, os blogs também são utilizados com o foco pessoal, abordando assuntos variados, onde os donos dos sites se posicionam como influenciadores digitais e tornam seus blogs sua fonte de renda e profissão.

Certificado SSL

Para manter a segurança na internet, vários protocolos foram criados, entre eles, o Certificado Secure Socket Layer (SSL). O SSL é um protocolo de segurança que usa a criptografia para mascarar os dados e proteger a integridade do conteúdo que circula na internet.

O certificado SSL é fundamental para sites que precisam garantir aos seus visitantes que nenhum dado fornecido será interceptado por terceiros. Desta forma, as informações como números de cartão de crédito, dados pessoais e outras, serão protegidas.

A importância do SSL é tanta que em 2018, o Google Chrome começou a mostrar sites que não têm o certificado como um site inseguro.

CMS

A sigla CMS significa Content Management System, que em português é Sistema de Gerenciamento de Conteúdo. O CMS é um componente importante ao criar um site, porque é uma plataforma que facilita a criação e gerenciamento do site. Assim você pode concentrar sua atenção em criar o conteúdo do seu site sem se preocupar com questões de programação e desenvolvimento.

O CMS mais conhecido e utilizado é o WordPress, mas você também pode contar com opções como Joomla e Drupal. Basta identificar qual é o CMS mais recomendado para o tipo de site que você quer criar.

cPanel

O termo cPanel é a abreviação de Control Panel, que em português é painel de controle. O cPanel é a ferramenta de gerenciamento de hospedagem mais popular e utilizada. Isso porque foi desenvolvida para facilitar toda a administração e configuração dos planos de hospedagem e do site.

Criador de Site

É uma ferramenta para facilitar a criação de sites sem a necessidade de conhecimentos técnicos, é uma alternativa mais simples em relação aos CMSs pois não é necessário instalar temas ou plugins.

Os criadores de sites mais comuns entre as empresas de hospedagem são os do formato “arrasta e solta”, onde você seleciona os elementos que quer inserir no site e coloca na página em poucos movimentos.

Data Center

É um local físico onde os servidores estão localizados. Esses lugares devem ser extremamente protegidos contra qualquer calamidade e preparados para qualquer eventualidade. A HostGator possui data centers nas cidades de Houston e Provo, nos Estados Unidos.

DNS

É a sigla para Domain Name System, em português Sistema de Nomes de Domínios. É um mecanismo responsável por associar um domínio ao endereço IP do servidor em que está hospedado.

Todo plano de hospedagem oferece um endereço IP para que o seja utilizado no direcionamento do domínio, dessa forma ao acessar o domínio é possível verificar o conteúdo armazenado na hospedagem.

Domínio

Um domínio é o seu endereço na internet. É o nome que as pessoas usarão para encontrar você na web, sem ele seria necessário decorar um endereço IP (vários números) para acessar os sites. Quando você vai criar um site, o registro de domínio e a escolha do plano de hospedagem devem ser os primeiros passos.

Domínio Adicional (ou de Complemento)

Nos planos de hospedagem em que é possível utilizar domínios ilimitados, você pode colocar um domínio adicional para criar um site diferente do seu domínio principal.

Dessa forma é possível hospedar diferentes sites, com diferentes domínios, utilizando a mesma conta de hospedagem.

Domínio Estacionado

O recurso de domínio estacionado é utilizado para direcionar um endereço para outro e assim acessar o mesmo conteúdo.

É bastante comum ver empresas registrarem seus domínios com diferentes extensões (como .com, .com.br ou outra) e usá-lo para apenas um site. Assim quando as pessoas acessarem o site conseguem ver o conteúdo independente da extensão usada.

E-mail

O e-mail é uma ferramenta de comunicação muito utilizada na internet. É por ele que se pode enviar e receber mensagens digitais, é a sua caixa postal na internet.

Popularmente, diversas empresas (como Gmail, Outlook e outras) oferecem o serviço de e-mail gratuitamente para os usuários.

Mas o serviço de e-mail também pode ser encontrado na hospedagem de sites e ficar atrelado ao domínio do site, dessa forma torna a comunicação mais profissional e é um ótimo recurso para marcas.

Endereço IP

O endereço IP é um código de números que funciona como um identificador. Esses conjuntos de números identificam cada servidor e dispositivo para que não haja dois iguais.

Espaço em Disco

É a quantidade de espaço destinada para o armazenamento de arquivos em um servidor. Cada serviço de hospedagem oferece uma quantia de espaço em disco diferente.

É importante analisar esse recurso antes de contratar um plano para que o espaço seja suficiente para o seu site.

Extensão de domínio

A extensão do domínio é a informação que vem depois do ponto (.) do seu domínio, por exemplo: .com. Também conhecido como TLD (top level domain, ou domínio de primeiro nível), a extensão indica a categoria que o domínio pertence.

Existem diferentes tipos de extensões de domínio como, por exemplo, .com, .net, .org, .biz, .info e também .edu, .gov, e outros. Existem domínios territoriais como .mx ou .co e outros mais criativos como .photo, .cool, .club, entre outros.

Favicon

É o ícone de um site que será exibido na aba do navegador. O favicon facilita a identificação do site no navegador e também ajuda a fortalecer a identidade da marca.

FTP

O File Transfer Protocol, como o próprio nome indica, é um protocolo que tem a função de transferir arquivos (upload e download). É o meio utilizado para enviar os arquivos do seu site para a hospedagem.

Hospedagem de sites

É um dos componentes mais importantes para garantir o funcionamento adequado do seu site. Quando falamos em hospedar um site, nos referimos ao serviço de aluguel de um espaço dentro de um servidor.

Enquanto o domínio é o nome do seu site, a hospedagem é o local onde todos os arquivos que compõem o site ficarão armazenados e disponíveis na internet.

Ao criar um site, você terá que escolher um plano de hospedagem. Existem diferentes planos e é importante escolher de acordo com as necessidades do seu projeto online.

Hospedagem Compartilhada

É o plano de hospedagem com melhor custo-benefício. Como o próprio nome já diz, é um serviço compartilhado com outros sites no mesmo servidor – por isso o valor é mais em conta.

No entanto, mesmo compartilhando um único servidor, cada conta de hospedagem possui seus próprios recursos para armazenamento do site.

.htaccess

É um arquivo de configurações no servidor, ele permite definir regras para diretórios ou arquivos. As regras criadas no .htaccess podem ser desde redirecionamentos até a restrição de acesso a uma página com senha.

HTML

Sua sigla em inglês significa HiperText Markup Languaje, é uma linguagem de marcação de texto usada para criar a estrutura e o conteúdo dos sites.

HTTPS

Significa Secure Hypertext Transfer Protocol. Este protocolo sempre aparece no navegador quando o site possui o Certificado SSL, e é através dessa informação que sabemos se um site é seguro ou não.

Inodes

De uma forma simples, inodes é o número de arquivos na hospedagem. São estruturas que contêm informações básicas sobre arquivos, pastas ou diretórios. Dessa forma, a quantidade de inodes de uma hospedagem é igual à quantidade de arquivos.

IP Dedicado

É um endereço de IP exclusivo para o seu site e possibilita a instalação do Certificado SSL.

MySQL

É o sistema de gerenciamento de banco de dados mais popular, ele utiliza a linguagem SQL e está incluso nos planos de hospedagem.

POP3

É um protocolo de transferência de e-mail que permite que você baixe os e-mails do servidor utilizando um programa específico, como Outlook ou Thunderbird.

Revenda de Hospedagem

É um produto em que pode ser oferecido o próprio serviço de hospedagem para terceiros, gerenciando valores, planos, pacotes e recursos que serão disponibilizados aos clientes. A revenda de hospedagem é uma ótima maneira de começar um negócio online e ganhar dinheiro na internet.

SEO

É a sigla para Search Engine Optimization. SEO é um conjunto de técnicas que servem para melhorar o posicionamento de um site na busca orgânica do Google. O termo SEO abrange um número infinito de técnicas, com o único propósito de aparecer nos primeiros lugares dos resultados de pesquisa sem pagar nada por isso.

Servidor

O servidor é o computador físico que hospeda os arquivos de diversos sites e disponibiliza na internet. Os servidores podem ser compartilhados por vários usuários ou podem ser dedicados, ou seja, um servidor para um único site com uma estrutura robusta e pesada.

Servidor Dedicado

É um serviço de hospedagem exclusiva onde todos os recursos do servidor estão disponíveis para um usuário. Nesse serviço é possível ter controle avançado das configurações para ajudar conforme a necessidade, mas para isso é preciso um conhecimento técnico mais avançado.

Site

Chamamos de site o conjunto de páginas que correspondem a um determinado domínio na internet. O site é o lugar onde as pessoas encontrarão as informações da sua empresa ou seu blog, e é nele que você coloca todo o conteúdo que você quer mostrar na internet.

Subdomínio

O subdomínio é um recurso do domínio onde você pode diferenciar algumas páginas do site sem alterar o domínio principal. Você pode reconhecer um domínio da seguinte forma: www.exemplo.seudominio.com.br. Uma forma de utilizar o subdomínio é para criar um blog para o seu site.

SSH

O SSH é um protocolo e também um programa que permite o acesso remoto em um computador, em outras palavras, é um computador controlando outro computador. Os servidores Linux ou VPS possuem os acessos através de SSH configurados.

Uptime

Esse é o termo que define a disponibilidade de um servidor, ou seja, quanto maior for o uptime, maior é a garantia de que o seu site estará disponível. Esse número é fornecido em percentual, então quando falamos em hospedagem de sites, o máximo que pode ser garantido é ente 99,5% e 99,9% de uptime, como é o caso do serviço disponibilizado pela HostGator.

URL

É o endereço completo de um site ou página na internet, a URL consiste em: protocolo (http ou https), subdomínio (se existir), domínio e diretório. Um exemplo de URL é: “https://www.hostgator.com.br/hospedagem-de-sites”

VPS

É a sigla para Virtual Private Server, em português servidor virtual privado. É um serviço de hospedagem onde é um servidor virtualizado que permite que o usuário tenha maior controle sobre o sistema operacional e os programas que serão instalados. Em um VPS o acesso de administrador do sistema operacional (acesso root) é dado ao usuário.

Webmail

É uma ferramenta de envio e recebimento de e-mails através do navegador, sem a necessidade de instalar um software, como o Outlook – o que facilita a utilização.

WordPress

É um gerenciador de conteúdo do site que permite criar e gerenciar seu site. O WordPress é o CMS mais usado no mundo pela sua simplicidade e liberdade ao escolher temas e ao número de plugins que podem ser baixados para várias funções.

WHOIS

O WHOIS é um protocolo para encontrar informações dos domínios, como quem é o registrante, o ano de registro e muito mais. Ele funciona como um local público no qual você pode descobrir quem possui um determinado domínio.

Mitos sobre hospedagem de sites

1. Espaço em disco ilimitado

Como chamariz, muitas empresas divulgam planos que, em teoria, oferece espaço em disco ilimitado para os seus clientes, mas isso não quer dizer que é infinito. Servidores e serviços de hospedagem de sites estão limitados à sua estrutura e não são capazes de oferecer espaço sem limites. Afinal, todo disco possui um limite de armazenamento, pois é um disco rígido.

Assim, a escolha mais adequada vai depender de cada site. Se sua ideia é trabalhar com muitas fotos e vídeos, por exemplo, o espaço oferecido deve ser uma de suas prioridades. A HostGator, por exemplo, possui planos com capacidade armazenamento de 100 a 150 GB, nas hospedagens compartilhadas.

2. Hospedagem grátis é melhor

Principalmente para quem está começando e ainda não possui uma estrutura muito grande, é comum acreditar que os planos gratuitos de hospedagem de site vão sempre dar conta do recado.

Mas a realidade é bem diferente. Assim que o projeto começa a crescer, as limitações de planos gratuitos se tornam cada vez mais evidentes. Desse modo, em pouco tempo, isso pode virar um obstáculo no caminho do seu crescimento, uma vez que esse tipo de hospedagem não disponibiliza todos os recursos necessários para continuar a expansão do seu site.

Isso faz parte de uma estratégia conhecida como freemium (a junção das palavras free e premium), em que certas ferramentas são oferecidas gratuitamente, enquanto outras são cobradas à parte. Além disso, existem muitos casos em que clientes que optaram pela hospedagem grátis não têm possibilidade de migrar de servidor.

No final, esse modelo de hospedagem se mostra caro e desvantajoso para quem deseja criar um site profissional e tem planos para crescer.

3. O suporte técnico resolve tudo

Mesmo com acesso a tanta informação na internet, em alguns momentos precisamos contar com a ajuda e experiência de um especialista da área, por isso o suporte técnico é um fator fundamental na hora de escolher um serviço de hospedagem de sites. Problemas podem acontecer a qualquer momento, não é mesmo?

Contudo, fica a dúvida do verdadeiro papel do suporte técnico. Esse tipo de serviço é oferecido pelas empresas para resolver questões relacionadas ao servidor da hospedagem, isso vai desde apontamento de domínio, até identificar falhas de segurança e problemas de desempenho de um site.

Porém o atendimento não está ligado à problemas de desenvolvimento e criação do site, como erros no código ou customização de temas do site. Além disso, muitas empresas oferecem uma Base de Conhecimento bastante completa – o que ajuda na hora de fazer os procedimentos técnicos do site.

4. Hospedagem com 100% de uptime

Outro mito diz respeito ao uptime, que é a garantia de disponibilidade de um site no servidor. Existem algumas empresas que afirmam oferecer 100% de uptime, ou seja, dizem garantir que seus sites estarão 100% do tempo disponíveis no servidor.

E isso não é uma verdade, pois uma diversos fatores podem forçar um servidor de hospedagem a ficar indisponível, mesmo que seja para uma simples reinicialização da máquina.

Quando falamos em hospedagem de sites, o máximo que pode ser garantido é ente 99,5% e 99,9% de uptime, como é o caso do serviço disponibilizado HostGator.

Verdades sobre hospedagem de sites

1. Segurança é fundamental

O internauta brasileiro é extremamente desconfiado e preocupado com sua segurança online. Por isso, é fundamental adotar ações com o objetivo de tornar o seu site cada vez mais seguro e confiável. A principal medida de segurança que deve ser tomadas é a instalação do Certificado SSL.

O Certificado SSL utiliza da criptografia para mascarar os dados do visitante e garante que terceiros não tenham acesso a esse tipo de informação. Vale destacar que um site que tem instalado um Certificado SSL em seu sistema possui o protocolo HTTPS.

Esse protocolo de segurança informa aos visitantes que o site que acessaram é seguro, protegendo a troca de informações consideradas sigilosas, como números de cartão de crédito e outros dados pessoais.

Se garantir a segurança dos dados do usuário e tentar driblar sua desconfiança já não fossem motivos o suficiente para ter um site seguro, tudo isso se tornou ainda mais importante após as últimas atualizações promovidas pela Google no navegador Chrome.

Além de mudanças relacionadas ao SEO, a empresa passou a informar para os internautas se os sites acessados são seguros ou não. Ou seja, se seu site não possui as ferramentas para ser considerado confiável pelo Google.

2. É possível criar um site sozinho

A resposta é: sim! Hoje em dia, não é preciso ser um programador para desenvolver seu próprio site. Existem diversas ferramentas que disponibilizam os recursos necessários para a criação de website, sendo a mais famosa delas o WordPress.

Outra alternativa é o Criador de Sites da HostGator, que simplifica o processo e permite ao usuário criar um site totalmente personalizado do zero, oferecendo mais de 200 temas, um completo banco de imagens gratuito e um painel de edição intuitivo e fácil de mexer.

3. Existe migração grátis

De uma maneira geral, empresas de hospedagem auxiliam seus novos clientes na migração dos sites para o servidor. Como é aqui na HostGator, ao adquirir um plano, todo esse processo é feito de forma gratuita pela nossa equipe técnica, seja para migrar contas novas ou para quem precisa mudar para um servidor dedicado.

Porém, é importante estar atento às condições da migração como, por exemplo, compatibilidade de estrutura e tamanho dos arquivos.

Dicas para escolher um fornecedor de hospedagem web

Escolher um fornecedor de hospedagem pode ser uma tarefa complicada para quem não tem tanto conhecimento sobre o assunto.

Por isso, listamos dez aspectos que você deve considerar quando for escolher uma hospedagem web para o seu site, blog ou loja virtual.

Além de saber o que as empresas oferecem, também é importante ter em mente o que você precisa. Quanto mais clareza sobre o que é preciso para o seu site, mais fácil será identificar um plano e fornecedor ideal.

Como escolher a melhor hospedagem web

1. Conheça os planos disponíveis

Geralmente os fornecedores de hospedagem web oferecem planos, com características que atendem diferentes necessidades.

Enquanto alguns planos são voltados para um único site, o foco de outros é atender múltiplos sites e domínios e também existem opções voltadas para lojas virtuais.

Conheça cada um dos planos e os benefícios oferecidos. Um deles deve se encaixar bem no que você precisa.

2. Pesquise planos para aplicações específicas

Se o seu site foi desenvolvido em WordPress talvez seja uma boa alternativa escolher uma hospedagem web exclusiva para essa aplicação.

Você pode ganhar mais velocidade no carregamento e com isso obter um desempenho acima da média, isso porque seus arquivos ficarão num servidor só para sites desenvolvidos em WordPress, por exemplo. Quer saber mais?

3. Descubra os recursos adicionais

Como citamos no primeiro tópico, cada plano de hospedagem tem uma característica e isso inclui a oferta de recursos adicionais.

Então, na hora de escolher a sua hospedagem web compare os recursos que fazem parte de cada plano, você pode ganhar desde o acesso a uma ferramenta para criar sites até o Certificado SSL gratuito.

Isso sem falar nas vantagens das contas de e-mail como: respostas automáticas, antiSpam, redirecionamentos, etc.

Você pode conferir também os serviços adicionais que podem ser usados na sua hospedagem web, como: detectores de malware ou ferramentas de backup online.

4. Questione sobre o gerenciamento

O fornecedor de hospedagem escolhido lhe dará acesso a um painel de controle para fazer o gerenciamento dos serviços contratados. Porém, antes disso é importante saber se o gerenciamento é feito por uma ferramenta intuitiva, prática e fácil de usar.

Quando estiver avaliando as opções de hospedagem web questione sobre o cPanel, como são apresentadas as funções e qual o idioma. Para entender melhor este assunto, sugerimos a leitura do post “cPanel: conheça a interface e os recursos do seu painel de controle“.

5. Pergunte sobre a disponibilidade

Talvez você ainda não tenha ouvido falar em uptime, que é o tempo de atividade de um servidor. Ou seja, quanto mais alto for o uptime, maior será a disponibilidade do seu site para ser acessado pelos usuários.

Agora que você já sabe, fique atento aos serviços de hospedagem com uma taxa de uptime baixa, pois significa que o período de indisponibilidade é alto e o seu site pode ficar fora do ar muito tempo.

A HostGator, por exemplo, oferece garantia de 99,9%. Isso significa que a chance de o seu site ficar fora do ar é de apenas 0,1% do tempo.

6. Analise a segurança

A segurança é um fator determinante na escolha da hospedagem, afinal, todas as informações do seu site ficarão armazenadas lá.

Por isso, descubra quais são as medidas tomadas pelo seu potencial fornecedor de hospedagem web para garantir a segurança dos arquivos e dados.

Questione também sobre a rotina de backups, proteção contra hotlinks e bloqueios de acesso aos diretórios.

7. Avalie o custo-benefício

Você provavelmente irá comparar os preços para a contratação de um fornecedor de hospedagem. A nossa recomendação é que vá além e trace um comparativo do custo em relação aos benefícios.

É possível que os valores sejam semelhantes, então as vantagens oferecidas passarão a ser um diferencial.

Os tópicos que estamos apresentando aqui já são critérios iniciais que lhe ajudarão a avaliar uma hospedagem web, mas não esqueça de perguntar tudo o que o fornecedor pode lhe oferecer.

8. Verifique a forma de contratação

A facilidade na contratação é outro elemento que você deve considerar. Afinal, quanto mais simples for a contratação melhor. O ideal é que você possa escolher o plano de sua preferência, adicionar ao carrinho de compras e se desejar, incluir serviços adicionais, como o registro de domínio ou outros.

O meio de pagamento online também facilita muito a contratação, pois basta escolher se vai pagar no cartão de crédito, PayPal ou boleto bancário, por exemplo. Lembre-se que é importante ler o Termo de Serviço e conhecer as condições de uso, para garantir que você não tenha imprevistos.

Afinal, além de saber detalhes sobre o que está contratando, você também passa a conhecer os seus direitos.

9. Busque informações sobre o suporte

Estamos na era da experiência do usuário, o que torna ainda mais importante buscar informações sobre os canais de atendimento do seu potencial fornecedor de hospedagem.

Verifique se a empresa disponibiliza consultores de vendas online, para ajudá-lo a escolher a melhor solução e eliminar suas dúvidas.

Busque mais informações sobre o atendimento online aos clientes, se as orientações podem ser feitas por chat, formulários ou abertura de ticket.

Também é importante que a empresa escolhida tenha uma Base de Conhecimento, onde centraliza todos os tutoriais e dicas de como usar os serviços.

Além disso, ter um canal de Ouvidoria para receber sugestões, críticas, elogios ou reclamações é fundamental. Reunir todas essas informações pode ser decisivo para escolher o melhor fornecedor de hospedagem web.

10. Esclareça dúvidas sobre migração

Para quem já tem um fornecedor de hospedagem, mas não está satisfeito com o serviço recebido, a saída é aproveitar essas dicas para escolher uma nova hospedagem web.

Além dos pontos que já destacamos também é relevante saber mais sobre os termos de migração, se existe compatibilidade, etc.

Digamos que você queira migrar para a HostGator. Neste caso, o primeiro passo é confirmar se o atual provedor usa cPanel, o que lhe permitiria fazer a migração total.

Como essa não é uma tarefa tão simples, você pode solicitar o auxílio gratuito da empresa para onde deseja migrar.

Por que fazer a migração de site para uma hospedagem paga?

Muitas vezes optamos por utilizar um serviço mais barato, ou até mesmo gratuito, esperando ter bons resultados, porém essas soluções funcionam apenas para propósitos específicos.

Se você quer ver a sua presença online crescer e se consolidar cada vez mais, é importante entender que, em diversos casos, a migração de site é uma alternativa para resolver limitações com a hospedagem ou o fornecedor.

Neste post você vai perceber que, embora seja um processo complicado, se contar com o apoio do novo fornecedor ele pode se tornar mais simples.

Ter um bom site e hospedá-lo no lugar errado é o mesmo que ter um carro super potente, com um motor de mais de mil cavalos, que atinge a velocidade de 100 quilômetros por hora em questão de segundos e guiá-lo numa estrada de chão, cheia de buracos e desníveis.

Certamente não é o melhor local para você aproveitar toda essa força e potência. Quando se trata de hospedagem de sites é a mesma coisa.

O que é migração de site?

Quem trabalha com desenvolvimento há mais tempo já deve ter feito ao menos uma migração de site. Mas como alguns dos nossos leitores estão entrando agora neste mercado é válido explicar que a migração é a transferência de dados de um servidor para outro.

Isso significa que todo o banco de dados do site, desde imagens, fotos, vídeos, arquivos, e-mails, será deslocado para um novo local de armazenamento. Você mesmo pode fazer essa mudança, mas é necessário ter atenção e seguir alguns passos básicos.

As empresas de hospedagem também costumam auxiliar na migração de site, como é feito aqui na HostGator. Ao adquirir um plano de hospedagem o processo de migração do seu site é feito de forma gratuita e pela nossa equipe.

Então a transferência dos arquivos, bancos de dados, scripts e e-mails é feita pela nossa equipe técnica para as contas adquiridas em 30 dias ou que precisam passar por uma mudança de plano como, migração de uma hospedagem compartilhada para um servidor dedicado.

Como identificar se você precisa mudar de hospedagem

É possível que você ainda tenha dúvidas se realmente precisa fazer a migração do site para uma nova hospedagem. Por isso, vamos listar alguns motivos que podem ajudar a identificar se realmente precisa fazer a transferência.

1. Serviço de hospedagem gratuito com limitação

Se você iniciou a sua presença online contratando um serviço de hospedagem gratuito mas agora viu o seu projeto crescer, certamente você notou que ele possui diversas limitações e o barato está saindo caro.

Muitas das hospedagens grátis acabam impedindo que o seu site cresça ainda mais pois não disponibilizam todos os recursos que você precisa. Nesses casos, a melhor opção é migrar para uma estrutura paga e que ofereça mais vantagens e qualidade.

O serviço de hospedagem gratuito faz parte do modelo freemium (free + premium) em que uma parte dos recursos é oferecido sem custo e a outra parte (ou serviços adicionais) são cobrados à parte.

Um bom exemplo desse modelo é o serviço do Spotify, em que a versão paga possui propaganda e uma série de outras limitações que na versão paga não possui. Quando falamos de hospedagem, vemos algumas condições de uso também, como:

  • Exibição de anúncios de terceiros no seu site;
  • Destaque com créditos e a marca do fornecedor;
  • Limitação de páginas no site;
  • Limitação de recursos de armazenamento;
  • E outros.

Essas condições acabam sendo desvantajosas e inconvenientes se você deseja criar um site profissional. É preciso ter muita atenção também quando identifica um bom crescimento do seu site, pois as hospedagens gratuitas possuem limites rígidos e não pensarão duas vezes antes de bloquear um site que está utilizando mais que o fornecido gratuitamente.

Além disso, as versões gratuitas geralmente não oferecem suporte técnico e, quando você precisar de uma ajuda, não terá atendimento.

2. Site fora do ar com muita frequência

Uma pesquisa divulgada pelo site Think With Google revela que 53% dos consumidores abandonam um site mobile que demora mais de três segundos para carregar.

Portanto, se notar dificuldades permanentes de instabilidade e velocidade de carregamento, você pode estar perdendo a oportunidade de fechar novos negócios. Em alguns casos, a migração do site para outro hosting pode ser a última solução, depois de se certificar que todas as otimizações no site já foram feitas.

Você mesmo pode melhorar a velocidade do seu site com algumas ações como: otimização de imagens, remover recursos desnecessários, revisão do código do site, utilizar CDN e outros que mostramos nesse conteúdo sobre otimização de site.

3. Site precisa de uma estrutura mais robusta

Talvez os sites que você desenvolveu não enfrentam nenhuma das dificuldades acima, mas os recursos oferecidos pela hospedagem atual já estão alcançando o limite.

Nesses casos é importante avaliar se o site precisa de uma estrutura mais robusta, como no caso de blogs com bastante acesso.

É nesse momento que a contratação de um servidor dedicado resolve muitas dores de cabeça e, mesmo que o processo de trocar de ambiente seja delicado, quando você já está em um provedor de confiança, a equipe de suporte ajudará nessa migração de site com toda atenção que você precisa.

4. Ausência de atendimento

Muitos fatores contribuem para decidir por uma migração de site como vimos, entre eles a falta de disponibilidade de canais de ajuda, ouvidoria e uma equipe de suporte para atendê-lo também conta.

Ter atendimento é um fator fundamental para eventuais problemas, ainda mais porque eles não dão aviso prévio para acontecer, não é mesmo?

Por isso, opte por fazer uma migração para uma empresa que ofereça atendimento 24 horas por dia, nos sete dias da semana.

Case de Sucesso: Prefeitura de Soledade

Se já é ruim para qualquer site enfrentar os problemas que descrevemos acima, imagine para uma prefeitura. No município de Soledade, no Rio Grande do Sul, o setor de Tecnologia da Informação percebia muita lentidão no carregamento do site e falhas no envio de e-mails.

A solução encontrada por eles foi a migração de site para um servidor dedicado da HostGator que possui uma estrutura mais robusta, confira o case completo neste link.

3 cuidados essenciais na migração de sites

  1. Faça um backup do site antes de começar o processo de migração;
  2. Tenha um sitemap com todas as URLs do seu site para evitar que alguma página fique indisponível;
  3. Conclua toda a migração para a nova hospedagem antes de fazer o cancelamento do serviço atual.

Como fazer um review sobre Hospedagem de Sites

Fazer um review é uma das formas mais fáceis de começar sua estratégia para ganhar dinheiro com um Programa de Afiliados. Muito usada por lojas virtuais nas páginas de produto, a estratégia também é poderosa e eficiente para aumentar as taxas de conversão de vendas de serviços.

Isso mesmo! Fazendo reviews, você ajudará consumidores a escolher produtos e serviços perfeitos para o negócio deles.

Para quem quer entender melhor como ganhar uma grana extra como afiliado, recomendamos ler os posts ‘Como gerar receita com programa de afiliados de hospedagem’ e ‘Como ser um afiliado de sucesso’.

Neste post nosso foco será falar sobre os reviews de hospedagem de sites para que você possa atrair interessados em contratar estes serviços. Vamos lá?

O que é um review?

Um review é uma avaliação ou uma análise sobre um produto ou serviço feita de acordo com a experiência de quem os usou. Muito além de uma resenha ou crítica, estes conteúdos ajudam a levar informação relevante para o consumidor.

Para criar um review sobre Hospedagem de Sites é importante listar pontos-chave sobre a empresa que presta este serviço e analisar planos ou recursos relevantes para seu público.

Além de informações sobre composição, qualidade, vantagens e desvantagens, facilidade de uso, entre outros. Veja como fazer.

Como fazer um review para vender serviços de hospedagem

Comece seu review sobre uma hospedagem de sites escolhendo o produto e a empresa que oferece o serviço. Em seguida analise suas características e escreva sua avaliação com base no que o seu público deseja saber. Siga estes 4 passos:

  1. Faça um rápido reconhecimento do serviço e da plataforma que o oferece
  2. Anote o que você está observando: características, ferramentas, recursos, valores, etc
  3. Avalie todos os pontos importantes: É fácil de usar? É bom? É diferente? É útil? Quem teria interesse em usá-lo? Funciona?
  4. Tente responder às perguntas das pessoas que vão ver o seu review: Que tipo de informação procuram? Que dados precisa? Como você pode ajudar a pessoa a decidir sobre o serviço? O que você sugeriria para a pessoa que está procurando informações sobre ele? Se quiser, você pode usar um software como o Google Keyword Planner ou pode fazer uma pesquisa direta com a sua audiência por meio das redes sociais, e-mail ou formulários.

Quem tem interesse em comprar uma Hospedagem de Sites?

Todo mundo precisa de um site, blog ou aplicação. Portanto, agências de marketing digital, pessoas ou freelancers que querem ter um blog ou um site e empreendedores em geral são potenciais candidatos para lerem o seu review.

Quais tópicos colocar no seu review?

Agora que você já tem todos os dados que precisa para produzir o seu review (seja em texto, vídeo ou podcast). Sugerimos que você separe os assuntos do seu review por tópicos, assim você facilita o entendimento do seu público e torna o conteúdo mais dinâmico.

Abaixo você encontra algumas sugestões para organizar a apresentação do seu review:

  1. Descrição e características: Qual é o tipo de produto? Exemplos: Registro de domínio, hospedagem compartilhada, servidor VPS ou Dedicado. Como você descreveria o nível de dificuldade para usar este serviço? Para que tipo de pessoa indicaria? Quanto ele custa? Qual é a avaliação geral sobre ele e que empresa oferece o produto que você está indicando?
  2. Prós e contras: Neste item você pode descrever as vantagens e desvantagens de adquirir um determinado plano de hospedagem. Fale sobre as características e diferenciais daquele produto de hospedagem. Por exemplo: se você está avaliando um plano compartilhado deve ressaltar as limitações dos recursos como espaço em disco, número de domínios, contas de e-mail, etc. Se você está falando sobre um servidor VPS vale destacar pontos como autonomia (acesso root), custo-benefício e a tecnologia de virtualização de servidores e por aí vai.
  3. Tipo de pessoas que precisam do produto: Para quem você indicaria esse produto? Que tipo de pessoas ou empresas podem precisar de um produto com essas características? Um Criador de Sites, por exemplo pode ser uma ótima sugestão para microempreendedores que estão começando um negócio na internet, enquanto um Servidor Dedicado pode ser indicado para pessoas com sites ou aplicações que precisam de infraestrutura para receber alto tráfego, etc.
  4. Data Centers: Você pode fornecer informações a respeito da localização, estabilidade e o tempo de resposta dos servidores, método de refrigeração, segurança dos data centers, rotina de backups, entre outros.
  5. Planos disponíveis: Se o produto que você está indicando é oferecido em diferentes planos e com diferentes valores, você pode apresentar as variações dos planos e os recursos que cada um deles oferece de acordo com a necessidade da pessoa que está procurando a informação.
  6. Migração e suporte técnico: Você pode falar sobre o processo de migração de um site, como funciona, processo para solicitar a migração e as condições para que seja feita. Além disso, procure informações sobre o suporte técnico, se há algum custo ou se é gratuito, qual é o tempo médio de demora no atendimento, qual o horário de funcionamento, canais e situações em que é preciso usar o suporte.
  7. Testes e experiência: Aqui você pode falar que tipos de testes você fez, explicar os produtos que testou e dar mais informações sobre a análise feita no momento do reconhecimento do produto ou serviço. Neste item, sua opinião honesta é o ponto central e sua experiência no teste vai validar toda a informação apresentada nos itens anteriores.

Que recursos da Hospedagem de Sites devo avaliar?

Ao analisar os recursos você pode ir mais a fundo nas características do produto, dependendo dos planos disponíveis e dos que você vai indicar. Geralmente esses recursos estão especificados no site que oferece os serviços de hospedagem, são eles:

  1. CPU e tipo de processador: Quanto mais núcleos o processador de um servidor usar, mais capacidade ele terá para realizar tarefas simultâneas. Se quiser pode inclusive falar sobre a qualidade e a marca do processador, para quais tipos de projeto são usados e seus impactos no desempenho do site.
  2. Memória RAM: A memória RAM é usada armazenar e disponibilizar, temporariamente, todos os dados necessários para rodar um programa ou aplicação. Por isso vale a pena explorar que tipo de memória a hospedagem usa (DDR3, DDR4, etc) e que diferença ela faz na capacidade de resposta dos servidores.
  3. Armazenamento e espaço em disco: Este é um dos recursos mais importantes para analisar em uma hospedagem de sites. Neste espaço serão armazenados dados importantes do site como imagens, vídeos, arquivos, banco de dados, etc. Se você está analisando um servidor compartilhado vale a pena ressaltar as limitações do plano, pois isso será fundamental para a tomada de decisão de quem está vendo o seu review.
  4. Uptime/Disponibilidade: Este é um dos principais motivos de preocupação de quem compra uma hospedagem. Manter uma página sempre online impacta diretamente a experiência dos usuários e também a receita de uma empresa. Qual é a garantia de disponibilidade dos servidores que você está avaliando? Qual é a política de reembolso em caso de indisponibilidade do servidor?
  5. Painel de controle: Qual é o painel de controle usado para gerenciar o site e o plano de hospedagem? Tente explicar quais são as características deste painel (facilidade, recursos extras, etc) e outras perguntas recorrentes como ‘Por que o cPanel é o painel mais usado do mundo?’ e ‘O que dá para fazer no WHM ou WHMCS?’
  6. Informações extras: sistema operacional, certificados SSL, endereços IP, e-mails, opções para criar o site, entre outros. Além de apresentar as informações técnicas vale a pena explorar que ganhos o usuário terá com esses componentes.

Avaliação do produto e conclusão

Para finalizar seu review, você pode fazer suas considerações finais do produto. Compare-o com o mercado, dê sugestões para a pessoa que está pensando em adquiri-lo e conclua com as razões pelas quais você indica o produto. E não se esqueça de disponibilizar o link para que o usuário possa comprá-lo.

Lembre-se que o objetivo do review é fazer uma análise e dar uma opinião sincera sobre o que você avaliou, falando sempre da sua impressão como usuário. Dê sugestões a partir do que você realmente tem conhecimento para afirmar, pois sua experiência é o elemento que vai dar credibilidade ao texto.

Ao completar todos os passos, seu review estará pronto! Faça uma última revisão para garantir que está de acordo com suas expectativas e ter certeza que cumpriu o objetivo informativo e sugestivo do texto. Feito isso, agora é só publicar!

Revenda de hospedagem: O que uma proposta comercial precisa ter?

Existem alguns aspectos e um roteiro mínimo de informações que precisam estar presentes em qualquer proposta comercial de hospedagem para sites. Confira quais são e saia por aí conquistando clientes com ela:

1. Quem é você?

O documento deve ter uma breve apresentação da sua empresa. Explique qual é o seu papel no negócio e descreva também um pouco da sua experiência profissional com revenda de hospedagem para sites. Lembre-se ainda de contar um pouco sobre a empresa de hosting que você representa.

No caso da HostGator, vale a pena dizer que ela é uma das maiores companhias do segmento no mundo, com cerca de 9 milhões de domínios sob gestão.

Essa apresentação não precisa ser longa: um slide (se optar por uma apresentação) ou um parágrafo (se decidir escrever um texto) já são o suficiente.

2. Quais são os objetivos?

Use esse espaço para relembrar os objetivos do cliente ao contratar os serviços da sua revenda de hospedagem. Você provavelmente conversou pessoalmente ou pelo telefone com ele (ou pelo menos trocou e-mails ou mensagens) antes de ter a chance de apresentar sua proposta comercial.

Vale a pena resgatar suas anotações anteriores nesse momento. Em uma negociação, é importante que todos estejam falando a mesma língua.

O prestador do serviço precisa estar certo de que compreendeu exatamente o que o cliente precisa contratar, para ficar seguro de que oferecerá uma solução efetiva para os problemas apresentados.

Isso evita surpresas e decepções – para o cliente, não há nada pior do que achar que está comprando uma coisa e acabar recebendo outra.

3. Como você pode ajudar?

Indique os serviços que a sua revenda de hospedagem oferece e que podem suprir as necessidades do cliente. Aproveite para destacar os seus diferenciais.

Vale a pena ressaltar, por exemplo, que o uptime – o tempo de disponibilidade do servidor no ar – da HostGator é de 99,9%. Lembrando que a HostGator foi a campeã do ranking de Melhor Revenda de Hospedagem 2019, elaborado pelo site Tudo sobre hospedagem de sites.

Dica! A abordagem da proposta comercial deve estar adaptada ao tipo de empresa que você possui. A revenda de hospedagem pode ser seu negócio principal.

Ou pode ser um serviço adicional oferecido junto com suas atividades como web designer, programador ou especialista em marketing digital, entre outras. Lembre-se disso ao descrever como você pode ajudar a solucionar os problemas do cliente.

4. Qual é a sua oferta?

Explique a proposta de serviços da sua revenda de hospedagem, incluindo todos os detalhes que podem ser importantes para o cliente tomar a decisão de contratá-la ou não:

  • a quantidade de domínios e contas de e-mail,
  • o espaço de armazenamento e transferência,
  • a forma de acesso ao painel de controle e outras plataformas,
  • entre outros.

Não deixe de prever um cronograma de prazos de entrega. Avalie criteriosamente as condições do trabalho, para propor datas que você conseguirá cumprir. Indique também os preços dos serviços e as condições de pagamento.

Além disso, indique por quanto tempo a proposta comercial é válida. Para terminar! Se fizer sentido para o seu negócio, finalize o documento com um termo de confidencialidade.

Indique que as informações constantes nele são confidenciais e têm apenas o objetivo de descrever os serviços da sua empresa, a pedido do cliente, não devendo ser utilizadas para outras finalidades, nem repassadas para terceiros.

Ficou mais fácil entender o que é hospedagem de sites e porque você deve conhecer esse universo mais a fundo? Se você ainda tem alguma dúvida, entre em contato com um consultor online para esclarecer seus questionamentos.