SEO é a sigla para Search Engine Optimization, ou em português, Otimização para mecanismos de buscas, como Google, Yahoo, Bing, entre muitos outros. SEO é uma ferramenta para fazer com que o seu site atraia mais pessoas através de otimizações de tecnologia e conteúdo.

Atualizado em 15/07/2021 – Por: HostGatorBrasil

Com milhares sites disponíveis na internet, ser encontrado pelos usuários ganha muita importância. 

Entender a forma como os mecanismos de busca trabalham e estar sempre atualizado sobre as mudanças que ocorrem são questões fundamentais para que o seu visitante encontre o conteúdo que você produz.

Para sair na frente nesse quesito, investir na otimização do seu site para mecanismos de busca é fundamental. Para começar, que tal entender o que é SEO e como funcionam os mecanismos de busca?

Neste artigo você verá os seguintes temas:

O que é SEO?

SEO (Search Engine Optimization) ou simplesmente otimização para mecanismos de busca é o conjunto de estratégias que você usa para aumentar o número de visitas em seu site através dos mecanismos de buscas como Google, Bing, Yahoo, entre outros.

Otimizar um site é um desafio que requer descobrir como os mecanismos de busca identificam as páginas relevantes para uma determinada busca, e realizar algumas ações com base nessas descobertas.

O objetivo dessas ações é trazer tráfego orgânico para seu site ou blog, assim como ficar entre os primeiros lugares no ranking do Google na pesquisa de uma determinada palavra-chave, aumenta a credibilidade do seu site entre os usuários e com o Google também.

Simplificando: SEO refere-se às estratégias de ação para que o seu site apareça nas primeiras colocações dos resultados de busca.

Porque SEO é importante?

SEO se trata das pesquisas orgânicas, ou seja, aquelas que não são pagas e se encontram depois dos anúncios.

SEO é importante porque pode ser a origem de uma fonte significativa de tráfego gratuito para seu negócio, site ou blog. 

É uma oportunidade de divulgar sua empresa e marca para um público de alta qualidade que está ativamente à procura dos produtos e serviços por você oferecidos. 

Esses potenciais clientes são altamente qualificados. E, o melhor de tudo, é que vão encontrar seu negócio de graça!

Estima-se que o volume de clicks para pesquisa orgânica são de 70%, segundo alguns dados do site Advanced WEB RANKING para o mercado Americano, mas podemos replicar esse cenário para o Brasil.

Em outras palavras, isso quer dizer que se 1.000 pessoas estão pesquisando por tênis de corrida masculino, 700 podem acessar os links das pesquisas orgânicas, isto é, são 700 possíveis clientes para o seu negócio estando nos primeiros 10 links orgânicos na pesquisa do Google.

Como funcionam os mecanismos de busca?

Crawlers, como o Googlebot, são robôs de rastreamento da web. Eles rastreiam todos os sites e blogs na internet e neste processo, novas páginas são descobertas e incluídas no índice do Google. Após esse mapeamento, toda informação fica armazenada em uma grande base de dados.

Quando alguém faz uma pesquisa no Google, o mecanismo de busca lê e compara os elementos textuais com todas as informações já existentes no banco de dados. E é essa a importância do SEO, pois os buscadores filtram os dados e apresentam ao usuário em uma ordem de relevância.

Cada buscador possui seus critérios. O Google, por exemplo, considera o tempo de existência do site e outros 400 fatores. Veja alguns deles neste link do próprio Google.

Segue alguns quesitos que são básicos para ser implementado:

  • Usar a palavra-chave no conteúdo, título e subtítulo;
  • Velocidade de carregamento da página;
  • Frequência de atualizações no site;
  • Links externos e internos;
  • Qualidade do conteúdo;
  • Uso de imagens, vídeos ou qualquer outra forma de conteúdo.

Além disso, o Google costuma realizar diversas atualizações no algoritmo de ranqueamento que você pode acessar nesse link acima.

O SEO que pode ser feito por você mesmo

Como empreendedor ou pessoa que está montando um negócio como fonte de renda, você já está acostumado a desempenhar vários papéis para fazer deslanchar diversos aspectos de seu negócio. É possível também fazer um progresso significativo começando seu próprio programa de SEO.

Aqui estão 5 dicas simples sobre SEO para que possa começar:

1. Utilize as ferramentas adequadas para webmaster

Cada mecanismo de busca tem um conjunto de ferramentas gratuitas que os empresários podem usar para dar visibilidade à sua empresa nos resultados das pesquisas. 

Comece a utilizar as ferramentas para webmaster do Google visando obter dicas sobre como seu site está aparecendo nos resultados de pesquisa do Google (agora você pode adicionar webmaster à sua lista de responsabilidades – parabéns!).

Você receberá informações sobre quantas vezes o Google está rastreando seu site, quantas páginas estão catalogadas e outras notificações úteis, tais como links quebrados ou conteúdo duplicado.

Atenção: para uma compreensão ainda mais profunda do desempenho de seu SEO você pode vincular sua conta do Google Webmaster com sua conta do Google Analytics.

2. Torne seu negócio fácil de ser encontrado

Pense como se fosse um de seus clientes e pergunte-se que frases você iria utilizar para procurar os produtos ou serviços oferecidos por sua empresa. A maioria das pessoas digita duas ou três palavras simples ou uma frase curta na caixa de pesquisa. 

Essas frases genéricas são as mais populares e, como resultados, irão gerar o maior volume de pesquisa. Algo como “vôos baratos”, por exemplo, para uma companhia aérea ou agência de viagens.

No entanto, as frases mais populares também são as mais competitivas. Por isso, será muito difícil conseguir aparecer na primeira página da pesquisa apenas com elas. 

É preciso encontrar o equilíbrio entre o genérico e o específico, que pode ser menos competitivo, mas ainda apresentar um forte volume de pesquisa, como “voos baratos para Miami” ou “voos de Boston para Miami”.

Quando for escolher 10 palavras-chave para retratar o foco de seu negócio, tente conseguir o balanço perfeito entre os termos extremamente populares com os mais específicos

Esses termos genéricos e específicos se classificam de duas maneiras que você pode se aprofundar melhor estudo pela internet:

  • Head Tail;
  • Longtail.

Lembre-se também de evitar jargões, siglas ou abreviaturas específicas da indústria, palavras usadas no seu dia a dia. Você e sua equipe podem saber o que elas significam, mas o consumidor médio não saberá.

3. Coloque o título otimizado (certo) e a descrição

Agora que as 10 palavras-chave estão definidas, é hora de escolher o que talvez seja o mais importante para uma página de conteúdo SEO: o título e a descrição. Afinal, são eles que irão mostrar o que é seu negócio na página de resultados de um mecanismo de busca.

O título da página, que é referido como title tag no código do website, deve incluir uma palavra-chave importante que você deseja elevar no ranking e que represente o conteúdo da página. A regra de ouro é manter o título da página com um máximo de 65 caracteres.

A descrição (meta description no código do website) deve ser uma frase curta que forneça mais detalhes sobre o negócio e informações sobre o que há na página.

Uma descrição bem feita ajuda o cliente potencial a entender exatamente o que irá ver depois de clicar no link. 

A questão é gerenciar as expectativas e a experiência do usuário de forma correta. Faça sua descrição com, no máximo, 150 caracteres com a palavra-chave que você quer aparecer no Google.

A maioria das ferramentas de gerenciamento de conteúdo e de criação de sites facilita a atualização dos títulos e da descrição sem que exista a necessidade de editar o código.

Algumas plataformas de conteúdo, tipo WordPress, fazem isso de forma automática. Também existem alguns plugins que podem lhe ajudar no dia a dia, como Yoast SEO.

4. Mantenha seu conteúdo original, atualizado e simples

Independentemente de você gerenciar um site com três páginas ou um com milhares de páginas de conteúdo, os princípios fundamentais de produção de informação para postar online permanecem os mesmos. 

Todo o conteúdo importante deve ser original, encontrado apenas em seu site e formatado como um conteúdo completo.

Isso ajuda a estabelecer seu site como autoridade sobre determinado assunto pelos motores de busca (Google) e aumenta a possibilidade de suas páginas terem suas palavras-chaves elevadas no ranking dos mecanismos de busca.

5. Lembre-se que imagens também são conteúdo

É fácil focar exclusivamente no conteúdo escrito de um site e renunciar à otimização do conteúdo visual. Não se esqueça de que as imagens e fotografias originais também são conteúdos valiosos, que podem ser poderosas fontes de tráfego e novos consumidores.

Elas são uma ótima maneira de mostrar visualmente o diferencial de seus produtos e serviços para sua audiência. Para que os motores de busca compreendam o conteúdo das imagens e as cataloguem corretamente, adicione um texto para descrever cada uma das fotos.

Até mesmo as imagens do seu site precisam estar otimizadas para ter impacto positivo no Google.

Busque sempre fazer o upload da imagem com a palavra-chave no título do arquivo e preenchendo a Tag “alt” com o mesmo termo.

Melhor do que isso: certifique-se de facilitar a vida de blogueiros e proprietários de sites no compartilhamento de suas fotos e imagens em seus próprios sites ou através de redes sociais populares como Facebook, Twitter, Instagram e Pinterest.

SEO para dispositivos móveis

O uso de smartphones no Brasil teve um crescimento avassalador. A estimativa da Fundação Getúlio Vargas é de que atualmente no país tenha um celular por pessoa. Segundo dados do IBGE, hoje somos 208 milhões de habitantes e a base instalada de smartphones é a mesma, com previsão de crescimento. Uma reportagem publicada pelo Estadão afirma que até 2019 serão 236 milhões de smartphones. Sendo assim, SEO para mobile deixa de ser complementar e se torna indispensável.

As estratégias de SEO (Search Engine Optimization) já são bastante usadas no desenvolvimento de sites com o propósito de alcançar um bom posicionamento nos mecanismos de busca e atrair mais visitantes. O SEO para mobile segue a mesma lógica do tradicional, porém a navegação do usuário nos smartphones costuma ser bem diferente dos desktops e isso precisa ser considerado.

Os principais desafios da estratégia de SEO para mobile

Um dos grandes desafios para quem trabalha com o desenvolvimento de sites é proporcionar uma boa experiência para os usuários e isso está diretamente ligado ao tempo de carregamento. 

Um estudo da Google aponta que 75% dos sites mobile das principais marcas brasileiras levam mais de 20 segundos para carregar. Se for cronometrar o tempo de espera para uma página carregar, você vai perceber que 20 segundos parece uma eternidade.

Se formos analisar dados de navegação, os números confirmam que sites lentos não têm vez. 

Segundo o portal Profissional de E-commerce, 64% dos usuários tendem a deixar a página se o carregamento for muito lento

Além disso, 62% das pessoas que passam por uma experiência negativa no mobile se tornam menos propensas a comprar. Assim, o SEO para mobile pode ser uma alternativa para reverter essa situação, tanto via sitemap, palavras-chave, links, entre outros cuidados que descreveremos a seguir.

No post por que um site lento é problemático (e como resolver isso) você pode conferir algumas alternativas para aperfeiçoar a estrutura do seu site. Inclusive, com dicas para acelerar a velocidade de sites mobile.

O que é AMP e como você pode usar?

Quem desenvolve sites ou estratégias de SEO para mobile precisa ficar de olho na sigla AMP, que significa acelerated mobile pages

O AMP é um dispositivo usado para carregar os sites com mais rapidez. Na prática funciona assim: você configura as páginas que deseja acelerar e sempre que o usuário acessá-las irá abrir uma versão simplificada que carrega mais rápido.

O AMP tende a trazer bons resultados, principalmente para quem já desenvolve uma estratégia específica de SEO para mobile. Os sites de conteúdo foram os primeiros a testar essa funcionalidade. 

Você pode visualizar páginas com AMP acessando Washington Post e Folha de S. Paulo via dispositivos móveis. O resultado da busca do Google apresenta um símbolo de raio nos sites com AMP.

3 dicas para seguir ao criar um site mobile

As técnicas usadas para a otimização de sites responsivos, que se ajustam aos dispositivos móveis, são chamadas de SEO para mobile. 

Como a navegação nos smartphones e tablets é diferente dos desktops, algumas técnicas de SEO também mudam. Por isso, listamos algumas dicas para você seguir. Confira!

1. Estude a busca pelo mobile

Um aspecto que você deve considerar ao elaborar uma estratégia de SEO para mobile é identificar o padrão de busca em smartphones, que costuma ser diferente dos desktops. 

Um dos motivos é o próprio teclado dos aparelhos, que é bem menor do que um teclado de computador. A tendência de quem pesquisa via smartphones é pesquisar por palavras-chave menores. Portanto, vale a pena analisar o comportamento do seu consumidor ao pesquisar sobre o seu segmento de atuação.

2. Use uma tipografia adequada

Quando for desenvolver um site é importante considerar a tipografia mais adequada para cada versão. 

Enquanto nos desktops as pessoas tendem a ficar mais distantes da tela, nos aparelhos móveis é diferente porque o hábito é segurar o dispositivo mais perto do rosto

Logo, se a versão tradicional de um site tem 16px, a versão mobile pode ser com 12px. Mas, isso não é uma regra, é só um exemplo. O ideal é testar e verificar se o texto proporciona uma leitura agradável e fácil.

3. Lembre-se dos espaços negativos

A sua estratégia de SEO para mobile deve andar lado a lado com o design. Afinal, de nada adianta seguir todas as questões técnicas e o site ficar muito carregado de textos, sem espaços em branco. 

Então, lembre-se: você não precisa preencher todos os espaços. Ter algumas áreas de respiro, como são chamados os espaços negativos, é importante para tornar a leitura agradável para os usuários.

SEO local para pequenos negócios

SEO local é o nome dado ao processo de otimização de presença de um site para buscas locais. Ele permite que empresas promovam seus produtos e serviços para pessoas que estejam em uma localidade próxima a elas.

Para coletar as informações, o SEO local atua com base no algoritmo de busca local e leva em consideração a geolocalização, destaque e relevância.

Portanto, o que será analisado pelo algoritmo é:

  1. Proximidade da empresa em relação à pessoa que está fazendo a busca;
  2. Nível de popularidade;
  3. Relevância entre o que foi pesquisado e o que ela oferece.

Mas será que vale a pena adotar estratégias de SEO local?

A resposta para isso está em alguns números divulgados pelo Google:

  • 5 bilhões de pesquisas por restaurantes;
  • 1 bilhão de pesquisas por lojas de roupas;
  • 600 milhões de pesquisas por salão de beleza;
  • 5 milhões de pesquisas por cafeteria.

Logo, quem deseja ser encontrado em meio a essa diversidade de pesquisas e melhorar o posicionamento da marca, precisa dar uma atenção ao SEO local.

Agora que você conheceu um pouco mais sobre essa ferramenta, que tal aprender a utilizá-la na prática? Neste artigo, traremos dicas para atrair mais clientes com SEO local e as vantagens de incluir o seu negócio nessa prática.

Neste conteúdo você vai ler

Como pequenos negócios podem atrair mais clientes com SEO local?

  1. Dê mais atenção aos resultados
  2. Olhe para o Google Meu Negócio
  3. Peça a opinião de seus clientes
  4. Crie parcerias e troque backlinks
  5. Mantenha seu site bem otimizado
  6. Busque palavras-chave regionais
  7. Desenvolva conteúdos relevantes

Quais as vantagens de implementar boas práticas de SEO local?

  • Ajuda a posicionar a empresa
  • Incentiva o levante de mão
  • Gera credibilidade regional
  • Alcança públicos distintos

Como pequenos negócios podem atrair mais clientes com SEO local?

1. Dê mais atenção aos resultados

O profissional de SEO costuma colocar como objetivo central do seu trabalho gerar mais tráfego orgânico. Essa ideia, porém, precisa mudar um pouco quando se trata de SEO local, tendo em vista que o resultado deve ser prioridade.

Quando uma pessoa pesquisa por algum negócio local no Google, é comum que ele queira apenas obter alguma informação rápida, como telefone e endereço. Logo, o buscador está em constante evolução para que ele obtenha as respostas prontas rapidamente.

Essa é uma funcionalidade do Google Local Pack, em que o usuário clica em uma das empresas e confere os dados que constam no seu Google Meu Negócio. Isto elimina a necessidade de ter que acessar o site para saber o básico sobre a empresa.

Com isso, não significa que ninguém irá acessar o site, mas esse processo visa uma maior efetividade na disponibilidade de informações – o que poderá render boas vendas.

2. Olhe para o Google Meu Negócio

Pegando o gancho da dica acima, o Google Meu Negócio é uma das ferramentas imprescindíveis para quem deseja ser encontrado no Google e no Google Maps em uma única navegação.

As se cadastrar nele, quando alguém pesquisar por padaria, por exemplo, e clicar no seu nome no Google Maps, poderá visualizar um pequeno “cartão” referente a sua empresa, que pode conter:

  • Fotos da empresa;
  • Telefone;
  • Endereço;
  • Horário de funcionamento;
  • Avaliações.

3. Peça a opinião de seus clientes

As avaliações que citamos acima são muito importantes, pois influenciam na tomada de decisão de outros consumidores. São elas que mostram o que as outras pessoas pensam sobre o seu negócio e a experiência que tiveram ao comprar de você.

Elas também são essenciais pensando no SEO local. Isso porque o Google é capaz de entender o que os usuários pensam sobre a empresa e melhorar a sua relevância na hora da pesquisa.

Logo, quanto mais avaliações e notas positivas você receber, melhor será a posição adquirida.

Existe algum blog relevante na sua região que tenha relação com o que você oferece? Converse com a pessoa responsável e avaliem juntos a possibilidade de trocar divulgações. A dica é buscar parcerias e utilizar esse canal de tráfego para elevar as visitas ao seu site.

Receber backlinks e citações de páginas de qualidade, com autoridade e confiança poderá ajudar a impulsionar o seu SEO local. O Google verá isso como algo positivo, o que poderá melhorar também o seu ranking orgânico.

5. Mantenha seu site bem otimizado

Outra forma de atrair mais clientes através do SEO local é pensando na otimização do seu site. Existem várias estratégias que podem ser adotadas, com destaque para:

  • Crie uma página de contato com endereço e telefone;
  • Tenha um site responsivo, ou seja, que se adapta facilmente a qualquer dispositivo utilizado, seja smartphone, tablet ou computador;
  • Crie um botão de ligação, que permita que a pessoa, acessando a página através de um dispositivo móvel, clique no número e realize uma chamada direta;
  • Acrescente um mapa com a localização da sua empresa;
  • Adicione depoimentos de clientes;
  • Crie uma descrição da página incluindo os dados mais relevantes, como a localização do seu negócio.

6. Busque palavras-chave regionais

Fazer um estudo das palavras-chave mais pesquisadas no seu bairro ou cidade e que tenham ligação com seus serviços e produtos é essencial.

Isso porque isso faz com que a pesquisa seja mais efetiva, aproximando a sua empresa de quem realmente tem intenção em contratá-lo.

7. Desenvolva conteúdos relevantes

Outra dica importante em relação ao SEO local diz respeito ao Marketing de Conteúdo. Criar um blog e desenvolver conteúdos relevantes, que realmente esclareçam dúvidas dos seus clientes, é fundamental para criar autoridade.

Mas atenção: não fique falando apenas dos seus serviços ou produtos. Aborde sobre assuntos que sejam de interesse da sua persona e que, de fato, vão ao encontro das suas dores.

Quais as vantagens de implementar boas práticas de SEO local?

Essa estratégia oferece diversos benefícios para os pequenos negócios. Os principais são:

Ajuda a posicionar a empresa

O SEO local permite que as empresas consigam se posicionar. Com isso, seus sites passam a ser facilmente localizados, melhorando a sua posição nos mecanismos de busca.

Junto a isso, permite que os clientes encontrem os seus dados rapidamente, aumentando as probabilidades de eles entrarem em contato ou irem até o local.

Incentiva o “levante de mão”

Essa estratégia também estimula o cliente a “levantar a mão”, ou seja, demonstrar maior interesse em adquirir do seu negócio e até entrar em contato para tirar alguma dúvida.

Gera credibilidade regional

Quando um consumidor realiza uma pesquisa no Google, os links que estão dispostos nas primeiras posições aparentam ter mais credibilidade. De fato, isso não está errado, pensando no processo de ranqueamento que os mecanismos de busca realizam para oferecer o que há de melhor para seus usuários.

Logo, ao utilizar estratégias de SEO local e se posicionar melhor no Google, você estará transparecendo autoridade e credibilidade, aumentando as chances de realizar novas vendas.

Alcança públicos distintos

Um dos benefícios que o SEO local oferece é a possibilidade de atingir diversos públicos em regiões específicas. Imagine a quantidade de pessoas que andam próximo ao seu estabelecimento, mas não sabem o que de fato você oferece?

Com essa estratégia, você conseguirá aparecer para potenciais novos clientes – sem precisar investir em mídia.

SEO por pesquisa por voz

O seu negócio está preparado para o futuro? Essa é uma pergunta que todo empreendedor deve fazer se quiser se manter relevante no mercado. 

No marketing digital, é preciso ficar ainda mais atento por conta da velocidade das mudanças e surgimento de novas tecnologias. 

Por isso, ter fluidez nas estratégias, principalmente quando se trata de SEO, é fundamental. 

O ano de 2019 trouxe a era dos assistentes virtuais inteligentes. Aliados à Inteligência Artificial, tecnologias como Siri, Google Assistant e Alexa introduziram de vez a pesquisa por voz na vida das pessoas. 

A tradicional busca por texto está cedendo lugar para a busca direto pela voz e a otimização dos sites se faz urgente para acompanhar essa tendência. 

Para se ter uma ideia do tamanho da mudança, estima-se que, até 2020, 50% de todas as pesquisas serão feitas por voz. 

Não é pouca coisa! A busca por voz altera os resultados da pesquisa e traz novos desafios para o empreendedor se manter relevante. 

A seguir vamos explicar como funciona e como você pode preparar a sua empresa para os impactos das pesquisas por voz, inclusive dando uma turbinada nas estratégias de SEO para tornar seu site ainda mais ranqueável.

Como funciona a pesquisa por voz?

A pesquisa por voz, também chamada de Voice Search, é um sistema de busca que substitui a necessidade de digitar as palavras-chave numa caixa de busca pelo uso da voz. 

Se você já usou a Siri de um Iphone ou falou “Ok Google” para seu smartphone Android, você já fez uma Voice Search, mesmo que apenas para brincar com a ferramenta com perguntas divertidas. 

O funcionamento se dá pelo reconhecimento do seu discurso pelo assistente digital para, então, converter em texto e iniciar a busca na internet normalmente. 

Até pouco tempo atrás, o principal uso da Voice Search era exatamente fazer buscas como você faz no Google. Mas hoje é possível ir além com os assistentes digitais. Essas são algumas das funções presentes nos sistemas operacionais atuais:

  • Pesquisas;
  • Compras;
  • Iniciar ligações telefônicas;
  • Redigir;ensagens de texto;
  • Gerenciamento de e-mail e calendário.

A Voice Search muda como nós interagimos com os dispositivos e pensamos em nossas buscas. 

Com o aumento da utilização desse mecanismo, a experiência do usuário evolui e é preciso entender como isso impacta a presença do seu negócio na web.

Os impactos da pesquisa por voz nas estratégias SEO

Com a evolução dos sistemas de assistentes virtuais integrados aos dispositivos móveis e a expansão do mercado de assistentes digitais como a Alexa e Google Home, a tendência é que a pesquisa por voz só aumente. 

Só em 2018, o mercado dos chamados smart speakers aumentou 187%! E é claro que se houver uma alteração no cenário de pesquisas, isso vai impactar as estratégias de SEO. 

A opção pela Voice Search – Pesquisa por voz tem a ver com a velocidade dos resultados. A pesquisa por voz é mais rápida do que uma feita em um navegador. 

E uma busca mais rápida significa resultados mais rápidos. Contudo, não é só comemorar, pois se a forma da pesquisa é alterada, os resultados também são. 

Uma página de resultados de busca tradicional não é igual a uma feita por Voice Search. Isso porque os termos usados na fala são diferentes dos termos usados na escrita. 

Pensando nisso, o empreendedor atento busca adaptar sua estratégia de SEO para não perder espaço nas pesquisas por voz. 

Para essa adaptação ser bem feita, é preciso entender as três principais mudanças no comportamento do usuário: onde pesquisam, como pesquisam e o que pesquisam. 

A expansão do “near me”

Uma das principais funções buscadas pelos usuários na Voice Search é para achar ou descobrir coisas ou locais perto de onde eles estão. 

Com a utilização em larga escala de serviços de localização, a ideia do “near me” direciona as pesquisas por voz para situações mais utilitárias, como encontrar um restaurante ou um serviço próximo. 

A expansão desse tipo de pesquisa pede que sua estratégia de SEO mude para que sua empresa continue relevante. 

Tenha em mente que para buscar presença regional não basta apenas implementar SEO para que seu ranqueamento nas buscas seja superior. É preciso pensar em quando o usuário fará a busca. 

Pesquisas com termos como “perto de mim” e “mais perto” são derivadas de uma necessidade momentânea do usuário e estão balizando mudanças para as estratégias adotadas em SEO. 

Antes do seu site aparecer nos resultados do Google, o buscador disponibiliza resultados integrados com o Maps, que já mostra o que está disponível naquele momento. 

Repense o uso das palavras-chave

O ponto principal a ser levado em conta na sua estratégia SEO para se adaptar à Voice Search é a diferença entre os termos buscados em relação à uma busca tradicional. 

Na pesquisa por voz, a tendência é que o usuário elabore mais sua busca, da mesma maneira que perguntaria à outra pessoa. Por isso, as pesquisas já não se limitam mais a head e short tail.

Explore mais o campo semântico do seu conteúdo para favorecer seu negócio nas buscas, como variar palavras e expressões da mesma família. 

Outra boa atitude é responder a possíveis perguntas nas long tails. Criar uma página de FAQ, por exemplo, com respostas diretas a possíveis perguntas ligadas ao seu negócio é uma ótima maneira de subir no ranqueamento do Google. 

Na hora de pensar nas palavras-chave para seu conteúdo e na sua estratégia de SEO, tenha em mente que, na Voice Search, o usuário faz uma pesquisa num tom mais humano e espera o mesmo resultado. 

Produzir conteúdo com uma voz natural, como uma pessoa falaria, te coloca mais próximo da necessidade de quem faz a pesquisa. 

Por exemplo: Em uma busca tradicional, uma pessoa digita no buscador “estratégias SEO”. Agora, na pesquisa por voz, provavelmente ela diria algo como “Quais as melhores estratégias SEO para meu site?”. 

Entende a diferença? Ela pergunta como se estivesse falando com outra pessoa e isso muda tudo! Checklist:

  • Desenvolva suas palavras-chave de maneira mais natural, como uma pessoa falaria. Pense que você está estabelecendo um diálogo com o usuário, não apenas respondendo uma pergunta.
  • Crie palavras-chave mais longas, com 5 palavras ou mais, para estabelecer o tom de conversa.
  • Invista em palavras-chave em formas de pergunta. Na pesquisa por voz, o usuário tende mais a elaborar uma pergunta do que dizer palavras-chave soltas.
  • Os termos “quem”, “onde”, “o que” e “como” devem povoar seu conteúdo.

Sua estratégia SEO define quem você é na web

Deu pra perceber que implementar uma estratégia de SEO fluída e atenta às novas tendências de mercado é essencial para um negócio digital de sucesso. 

E vale lembrar: não se prenda somente à pesquisa por voz! Não é porque a Voice Search está chegando com tudo que você deve focar seu SEO só nela. 

O segredo para aumentar o volume de buscas é:

  • Desenvolver sua plataforma para dispositivos móveis;
  • Garantir o carregamento rápido das páginas;
  • Pensar em todos os caminhos que o usuário pode fazer até seu conteúdo.

UX e SEO – Implementações essenciais para performance

SEO aborda um universo grande de disciplinas e possíveis estratégias, e uma delas é UX. Isso porque, acima de tudo, SEO é sobre experiência de busca.

Parece batido dizer, mas faz tempo que SEO não é mais apenas palavras-chave, ajustes simples e conteúdo. O comportamento de busca evoluiu, os buscadores evoluíram e as estratégias de Search também.

O User Experience tem muito a somar em estratégias de otimização de sites, e por isso vamos entender como essa dupla pode ser um ponto diferencial.

O que é UX?

User Experience, ou Experiência do Usuário, é a disciplina que tem o usuário no centro das ações, tentando entender toda sua interação com um produto, marca ou serviço. Entendendo melhor todo esse comportamento de uso, o UX trabalha para entregar um produto mais fácil e interativo possível para o cliente.

Ainda muito ligado ao Design, o UX é uma área cada vez mais evidente e que transcende o digital. Faz até mais sentido dizermos que foi incorporada ao digital analisando com o ponto de vista de um produto.

Pode não parecer, mas é cada vez mais normal a preocupação das marcas em proporcionar melhores experiências aos seus clientes. E isso já não é um ponto fora da curva, mas sim uma obrigação para quem deseja competir em seus mercados.

O UX vai além do valor monetário do produto ou serviço, pois se preocupa em valorizar e resolver o problema dos seus usuários através de uma interface e experiência que faça sentido e seja atraente ao mesmo tempo.

Como disse o Diego Motta neste post sobre UX Design, sua marca, serviço ou produto “precisa ser útil para as pessoas, precisa ser fácil de usar e precisa ser sexy, ou seja, bonito, atraente, desejável”.

Usabilidade e Acessibilidade

Assim como o SEO, o UX engloba outras disciplinas para formar seu todo, somando a si tudo que pode contribuir para uma melhor experiência de uso. Todas são especiais, mas vou falar aqui de duas: Usabilidade e Acessibilidade.

As disciplinas transitam por UX de uma forma tão fluida que parecem ser a mesma coisa para muitos. Mas vamos a suas definições:

  • Usabilidade é um conjunto de padrões e boas práticas para avaliar como os usuários utilizam um produto para completar um determinado objetivo. Através de mensuração e acompanhamento é avaliado com qual facilidade os usuários aprendem a usar tal produto.
  • Acessibilidade é a forma como qualquer pessoa, independente de sua condição ou necessidades especiais, acessa, usa e se beneficia de algo. Levando para o cenário digital, podemos dizer que se refere a quanto um produto é acessível a todos de forma igual, tornando-o mais democrático.

Notou a relação entre elas? Todas convergem para o usuário e suas interações com uma propriedade, um site, por exemplo.

São regras, análises e estudos acerca do uso e melhorias que possam ser feitas para o usuário atingir seu objetivo da melhor maneira possível através de uma ótima experiência.

Como UX se relaciona com SEO

Peter Morville propôs 7 fatores base da Experiência do Usuário, um conjunto chamado de UX Honeycomb: Útil, Utilizável, Desejável, Acessível, Confiável, Encontrável, Valioso.

Analisando o cenário de uma propriedade digital do macro para o micro, ou seja, da internet para o site, conseguimos encaixar alguns destes fatores durante o percurso.

O primeiro é Encontrável que é o objetivo (de forma simplória) de uma estratégia de SEO: ser encontrado.

Na sequência podemos ter Acessível, onde a acessibilidade web entra em cena. Um site deve ser acessível a todos usuários, independente das condições. Uma missão que vai desde o buscador até o site, pois devem se disponibilizar de forma democrática a todos.

Temos então o Utilizável que determina se o site funciona da forma que o usuário espera. Em outras palavras, o site entrega o que promete? Tem valor para o usuário?

Ainda poderíamos encaixar elementos como Confiança para sites seguros, Valioso para sites que tem valor agregado.

É possível analisar diversos aspectos da UX Honeycomb que fazem total sentido para SEO. E isso é só uma pequena parte dessa relação.

Evolução dos algoritmos do Google

Para melhorar esse pensamento, vamos rever alguns pontos importantes na evolução dos algoritmos do Google, o gigante das buscas.

Diariamente são lançados updates dos algoritmos com o objetivo de aperfeiçoar o mecanismo e melhorar a experiência de busca. Porém existem updates de destaque ao longo dos anos.

  1. Tivemos a Panda em 2011, que demonstrou uma grande preocupação do Google quanto a conteúdo de qualidade.
  2. A Hummingbird de 2013 foi uma evolução considerável do algoritmo na busca por uma melhor experiência do seu produto. A partir dela o Google começou a entender melhor o contexto, intenção de busca e histórico do usuário para apresentar conteúdos altamente relevantes, deixando de lado o foco apenas em uma palavra-chave.
  3. O SSL Update, em 2014, trouxe um peso muito grande em relação a segurança do usuário nos sites. O Google começou a considerar o protocolo HTTPS como fator de rankeamento oficial. Através de certificado SSL os sites podem oferecer um ambiente mais seguro e criptografado ao seus visitantes, principalmente na troca de informações.
  4. Outro update com peso em UX foi o Mobile Friendly de 2015.  O algoritmo passou a priorizar sites com experiência amigável em dispositivos móveis. UX foi importante para equalizar o uso entre mobile e desktop e fornecer a visão necessária para se adaptar.
  5. Tivemos a integração de uma inteligência artificial ao algoritmo, o Rankbrain de 2015. Utilizando machine learning e AI o algoritmo passou a aprender o comportamento de busca e suas semânticas, oferecendo resultados assertivos.
  6. Tivemos muitos outros updates, como o Fred de 2017 e outros mais recentes como o de Março de 2019. Mais observando o objetivo de cada update é clara a preocupação em melhorar a vida dos usuários.

Se os algoritmos evoluem nesse caminho, as estratégias se adaptam e seguem a mesma linha. Isso levou SEO para um patamar ainda maior ao longo dos anos.

A Otimização de Sites e a Experiência de busca

SEO passou a comportar naturalmente (e por necessidade) disciplinas como UX porque, como dito antes, SEO é sobre experiência de busca. Todo passo de uma pesquisa faz parte de uma experiência.

Por ser tão natural em nosso dia a dia, a experiência da pesquisa não é percebida. O Google recebe +70 milhões de consultas por segundo, segundo o Internet Live Stats.

O Google define sua missão da seguinte forma:

Nossa missão é organizar as informações do mundo para que sejam universalmente acessíveis e úteis para todos.

Reparem, “organizar” para que sejam “universalmente acessíveis”. Organização e acessibilidade. O principal motor de busca do mundo preza pela experiência, fornecendo features, evoluindo layout, usabilidade e organizando as informações num grande índice que tenta ser mais útil possível para as dores dos seus usuários.

No ambiente do site temos que proporcionar uma ótima experiência também:

  • Site acessível em qualquer dispositivo
  • Entregar uma experiência rápida e segura
  • Conteúdo que resolva uma dor, bem escrito e fluído
  • Navegação clara e fácil de utilizar

Todos os esforços são direcionados ao usuário para que possamos ter um tráfego qualificado, gerar leads, compras e afins. SEO evoluiu a ponto de agregar um completo hub de práticas e táticas focadas no usuário e não apenas nos robôs.

Otimize seu site para o usuário

Se o seu objetivo de SEO é ter melhor conteúdo, vender para o cliente certo, gerar leads qualificados ou alavancar seu site de alguma forma, você deve oferecer a melhor experiência a sua audiência.

A Experiência do Usuário sempre foi importante, indo do design para uma função primordial, atuando de forma mais efetiva no marketing digital e em áreas como SEO.

10 mitos que você já ouviu (ou vai ouvir) sobre SEO

O Marketing Digital cresceu muito nos últimos anos, com isso, aumentaram também o número de conteúdos e “especialistas” que ensinam práticas simples e fáceis para seu site ficar em primeiro lugar.

Nesse contexto, surgiu muita informação conflitante e mitos sobre SEO que, na maioria das vezes, deixam o leitor confuso sobre o que e em quem acreditar.

SEO significa, em português, otimização para motores de busca. Quando utilizada adequadamente, essa prática potencializa e melhora o posicionamento de um site nas buscas orgânicas, principalmente aquelas realizadas no Google.

Logo, empresas que querem se destacar e atingir seu público-alvo precisam conhecer e colocar em prática as ações de SEO corretamente.

Para ajudar nesse sentido, listamos e esclarecemos 10 mitos sobre SEO para você.

Você vai ler nesse conteúdo:

  • Os 10 mitos mais comuns sobre SEO
  1. A escolha das palavras-chave é o mais importante
  2. Quanto mais links inseridos no texto, melhor
  3. Basta ter a keyword no domínio para ranquear no Google
  4. Uma vez conquistado o topo, o site nunca mais sai de lá
  5. Campanhas de links patrocinados ajudam nos resultados orgânicos
  6. Quanto maior o conteúdo, melhor
  7. Conteúdo duplicado é vantajoso
  8. Não é necessário se preocupar com as atualizações de algoritmo do Google
  9. A velocidade de carregamento da página não influencia no SEO
  10. Se o conteúdo é excelente, ele será bem ranqueado

Não caia nas mentiras sobre SEO!

Os 10 mitos mais comuns sobre SEO

1 – A escolha das palavras-chave é o mais importante

Selecionar uma palavra-chave adequada é importante, mas o que você faz com ela é que irá diferenciar o seu conteúdo e, consequentemente, a sua empresa nos mecanismos de busca. Ela precisa estar disposta em locais estratégicos, que são:

  • Título do post;
  • Primeiro parágrafo;
  • Alguns subtítulos (preferencialmente o primeiro);
  • Conclusão.

É preciso cuidar, ainda, com o seu uso excessivo, pois o Google pode imaginar que você está utilizando a técnica Black Hat chamada Keyword Stuffing e, com isso, penalizar sua página.

Essa é uma das mentiras mais comuns sobre SEO. O importante é acrescentar links internos e externos de qualidade e que agreguem valor ao conteúdo. Links de dados duvidosos ou que tragam assuntos irrelevantes podem fazer com que o Google considere que você está fazendo spam.

Logo, para não ser penalizado, é essencial pesquisar a autoridade do domínio e da página antes de acrescentá-lo no seu site ou blog.

A mesma lógica se aplica quando outras páginas adicionam links direcionando para o seu site. Uma loja virtual de roupas que recebe muitos links de blogs de culinária, por exemplo, não deve ser vista positivamente.

Se os mecanismos de busca não verem relação entre os temas, podem entender a ação como uma tentativa de enganar o algoritmo – punindo as duas partes.

3 – Basta ter a keyword no domínio para ranquear no Google

Esse é um dos mitos sobre SEO que até tem justificativa. O que ocorre é que antigamente o Google dava muita relevância às palavras-chave dispostas no domínio.

Porém, as coisas mudaram e, hoje, conteúdo de qualidade e usabilidade da página são considerados ainda mais relevantes para melhorar o ranqueamento de um site.

4 – Uma vez conquistado o topo, o site nunca mais sai de lá

Você seguiu as técnicas de SEO corretamente e conquistou as primeiras posições do Google em uma das suas palavras-chaves. Você está de parabéns, mas não comemore achando que o trabalho terminou por aí.

O seu concorrente pode criar um post ainda mais incrível e tomar o seu lugar. Principalmente se o seu conteúdo se tornar defasado.

Portanto, não caia em mais uma dessas mentiras do SEO. Fique de olho no posicionamento das suas páginas e, se necessário, melhore as informações e os dados para que eles estejam sempre atualizados e sirvam de fonte para as pessoas.

Por mais que os anúncios no Google Ads façam com que o seu site apareça no topo das pesquisas, isso não influencia no campo das buscas orgânicas. Os dois formatos utilizam critérios distintos, sendo que, no caso do patrocinado, o método de classificação é o valor pago por determinada palavra-chave.

Logo, a recomendação é trabalhar as duas estratégias simultaneamente, pois elas se complementam!

6 – Quanto maior o conteúdo, melhor

Que o conteúdo é importante para o ranqueamento, você já sabe. Porém, de nada adianta produzir artigos de 1000 ou 2000 palavras se ele for raso, falar mais do mesmo e, portanto, não for realmente de qualidade. Isso significa que, em alguns casos, um post de 500 palavras pode ser mais eficiente.

Logo, não caia em mais uma das mentiras sobre SEO e, principalmente, na tentação de “encher linguiça” para criar um conteúdo extenso por achar que é mais relevante.

7 – Conteúdo duplicado é vantajoso

Ao realizar uma pesquisa no Google, você já reparou que, às vezes, aparece uma mensagem dizendo que alguns resultados foram omitidos? Como o exemplo abaixo:

Geralmente, o motivo para essa omissão é que os conteúdos são duplicados ou muito parecidos. Logo, não importa se o material é bem escrito. A republicação de um artigo não é considerada uma boa ideia, pois provavelmente vai zerar o tráfego orgânico.

Foque suas energias em criar algo original!

8 – Não é necessário se preocupar com as atualizações de algoritmo do Google

Quem deseja adotar as estratégias de SEO corretamente precisa estar sempre atualizado sobre os algoritmos dos mecanismos de busca.

A técnica utilizada hoje pode não ser mais relevante amanhã e, consequentemente, seu site pode ficar para trás sem você entender o motivo.

9 – A velocidade de carregamento da página não influencia no SEO

Esse é um dos mitos  sobre o SEO que mais influenciam no resultado obtido pelas empresas. Em 2010, o Google anunciou que o tempo de carregamento passou a ser fator de ranqueamento.

Já em 2018, ele voltou ao assunto, porém para alertar que a partir de então a velocidade de carregamento nos dispositivos móveis também começaria a afetar nos posicionamentos orgânicos.

Não bastasse isso, 83% dos usuários mobile esperam que um site carregue em 3 segundos ou menos. Ou seja: se ele for muito pesado, você também estará oferecendo uma experiência ruim aos usuários, o que irá reduzir suas conversões.

10 – Se o conteúdo é excelente, ele será bem ranqueado

Um texto útil, bem escrito e relevante pode oferecer diversos benefícios para uma página, mas ele não fará o trabalho de ranqueamento sozinho. Afinal, o seu concorrente pode estar escrevendo conteúdos tão bons quanto os seus.

Como então se diferenciar? Lembre-se de juntar as principais estratégias de SEO:

  • Adicione as palavras-chave no título, no primeiro parágrafo, em subtítulos e na conclusão;
  • Escolha links internos e externos de qualidade e que agreguem valor ao conteúdo;
  • Otimize suas imagens;
  • Cuide da usabilidade da página e velocidade de carregamento;
  • Tenha um design responsivo.

Não caia nas mentiras sobre SEO!

O problema dos mitos de SEO é que muitos deles acabam se difundindo e, desta forma, prejudicando o trabalho de muitas empresas que desejam ver seu site bem ranqueado. Por isso, antes de acreditar cegamente no que dizem, pesquise sobre o assunto em sites que sejam referência no assunto.

No blog da HostGator, você encontra diversos artigos especializados e que abordam as melhores técnicas para você colocar em prática o SEO hoje mesmo. Através desse artigo você já consegue extrair muitas práticas que podem ser implementadas em seu projeto de SEO e conseguir seus acessos orgânicos hoje.